quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

ANO NOVO...PROMESSAS NOVAS...RSRS.

Mesmo que nossas reflexões não se perpetuem em escritos, a essa época do ano elas inevitavelmente surgem, intensas... Particularmente tenho evitado um confronto entre minha consciência e minhas reflexões...  
Agora é a tradicional época do balanço pessoal. O que foi feito de proveitoso durante o ano, o que planejaremos pro ano que já avistamos, que roupas tiraremos do armário de nossas almas (aff... nem eu me agüento com essas tiradas filosofeiras), enfim. O problema é que comigo esse troço não funciona. Sou péssima em planejamento, articulação...um desastre total! De qualquer forma, listarei aqui coisinhas que penso serem fundamentais pra que minha vida funcione, digamos, com mais relevância a partir de agora.
Eis:


# Ai meu Deus! Minha consciência me pede aqui pra prometer ser financeiramente mais organizada, responsável. Árdua tarefa essa, mas me prometo tentar. Até acho que obtive progressos nesse ano “véio”. Bora ver no que dá...


# Esse meu desejo é intenso, latente... quero readquirir meu hábito de ler, pq eu gosto, pq nunca me forcei a ler, sempre tive prazer. Quero e preciso me reencontrar com esse prazer fujão em virtude da correria, cansaço, internet... Não justifica, né Teórico? Rrsrs... Ok, ler antes de dormir é uma opção... já sei!


# Esse ano ouvi, li inúmeras vezes a seguinte frase, textualmente escrita diferente, mas cujo sentido foi o mesmo pra mim: VC ME COBRA DEMAIS! Putz! Então tenho buscado refletir acerca dessas cobranças... já que elas não me fazem ganhar uma grana boa, o jeito é me livrar da profissão de cobradora... Isso ta me deixando ainda mais confusa. O problema é que sou passional, extremamente passional. E a solução? Ainda não sei, mas já percebi que excesso de demonstração de carinho quando não são mal interpretados, não são tão desejados. A minha ânsia de dizer “olha-estou-aqui-vamos-ser-amigos-pra-sempre-e-vc-promete-não-me-abandonar?” é por si só uma representação do patético. Mas já fiz pequenos progressos nesse aspecto também... Já me sinto mais desprendida, desintoxicada... e isso é bom, principalmente pra mim. Tem uma frase, a qual não vou dar os créditos aqui pq cada site enlouquece dizendo ser de um autor diferente... Quintana, Rubem Alves, Clarice Lispector...mas que define de forma “perfeitinha” (viu poeta? rsrs...) tudo isso pra mim, e é por aí que quero conduzir meu lado que de tão possessivo assim não tem nada... Eis: ATOS SÃO PÁSSAROS ENGAIOLADOS, SENTIMENTOS SÃO PÁSSAROS EM VÔO...   Ando pensando que sentimento demais atrapalha...será? Ser mais racional parece ser menos traumático.


# Quero as rédeas da minha vida de volta! Foi essa a frase que falei pra minha médica, há uns 2 anos e meio atrás, quando ela me deu uma prensa terrível acerca da minha saúde. Esse ano espero recuperar as tais rédeas. Algo determinante, uma cirurgia, possivelmente me proporcionará isso. Me permitam não falar aqui exatamente do que se trata, apenas torçam pra que aconteça realmente. Torçam por mim. É claro que vou dizer tudo direitinho aos que me amam, mas só depois. Rsrs...mas nem se preocupem, não estou à beira da morte... nem tão pouco vou colocar silicone. Kkkk...


# Pensei em tentar conter minha “saraivice”, mas não sei se consigo. Alguém agorinha, aqui do meu lado, disse que tenho que ser menos sarcástica, irônica...
não sei se consigo. Faz parte do jeito euzinha de ser. Tentarei porém, ser mais tolerante com as coisinhas corriqueiras, que só irritam mas não ferem. Agora, bem que eu poderia receber bem menos emails chatos e repetitivos, né? Bem que o povo lá no site de sinuca poderia me poupar das perguntas sem noção de sempre...E o MSN com cam? PelamordeDeus! Acho que vou criar uma daquelas correntes insuportáveis e implorar pra que essas coisinhas pelo menos diminuam, e assim minha “saraivice” se abrandará...


# Eu, Milene, prometo diminuir consideravelmente meu tempo em frente a essa telinha hipnotizante e me voltar ao meu mundo real. Acho até que vou autenticar essa promessa em cartório pra ver se realmente consigo.


# Adoraria viajar...viajar...viajar... mas não farei planos. Esse sonho não é tão difícil de ser concretizado, se tudo der certo na história da cirurgia que não é de silicone. Rsrs...


# Tentarei usar religiosamente, todas as noites, o creme anti-rugas que está intacto da silva há meses... Ter rugas nao é chato, chato mesmo é usar esses cremes melequentos. Estou há pelo menos 15 anos me devendo começar usar os tais...


# Ao amor que se faz presente na minha vida, que se perpetue. Não é o amor na caracterização que um dia esperei. Mas é tão intenso quanto. O amor pelas pessoas queridas, amigos, minha família maluquete... Que os momentos “perfeitinhos” sejam constantes. Confesso que parei de tentar refletir sobre o meu merecimento ou não a viver um grande amor (aquele que é uma flor roxa). Minha porção prática deu de ombros pra isso, mostrou a língua desaforadamente e seguiu em frente.


Certamente não teremos um ano “perfeitinho”, mas quero obrigar os bons sentimentos e expectativas a aportarem dentro de mim, e imaginar que todos ao menos o tentaremos torná-lo o melhor possível.


Abracinhos e beijoquinhas a todos que forem pacientes o suficientes pra ler minhas bobagenzinhas.


A propósito...ninguém ouse perguntar pq esse troço ficou essa confusão de fontes... não vou saber responder. Rsrs...


2010... pode chegar!

domingo, 27 de dezembro de 2009

MEU POEMA

Hoje tive um domingo tão bacaninha, então quis finalizá-lo postando um poema que gosto muito. Na verdade foi o primeiro poema que me chamou a atenção há "alguns" anos, na minha adolescência, quando comecei a me perceber sensível. 


Não quero jamais passar a ideia de que sou completamente familiarizada com o mundo da poesia. Simplesmente gosto, sinto... fico leve ao ler algo que gosto, mas não me forço a isso.


E esse é especial, está escrito em letras enormes na minha primeira agenda, onde constavam também pequenas confissões de uma adolescente romântica...rsrs...tadinha, mal sabia o que a esperava. 


Ah, quanto ao meu domingo "bacaninha", amanhã será o aniversário de minha mãinha. Hoje almoçamos todos juntos, numa comemoração antecipada. Muita criança enlouquecida, comilança exagerada, os palhaços existentes em toda família, ela feliz e emocionada e assim o domingão se fez. 
Mais um domingão perfeitinho.


Enfim, "meu" poema, pra terminar lindamente meu dia.


Beijinhos pr'ocês... boa semaninha.






Canção Entre Parênteses

Que bom que você veio!

(Estava de ouro na janela o poente:
e cerrei a janela calmamente;

no meu cigarro havia um céu inteiro:
e deixei-o apagar-se no cinzeiro;

o romance que eu lia era o mais lindo:
e marquei minha página, sorrindo;

o meu sorriso era o melhor que existe:
e desfolhei-o, docemente triste;

a frase que eu pensava era tão louca:
e fechei para um beijo a minha boca;

nos meus olhos a vida ia cantando:
e olhei para você quase chorando...)

Que bom que você veio!

[
Guilherme de Almeida poeta paulista, no livro “Você”. Ele escreveu também, Nós, A dança das Horas, Era Uma Vez, Livro de Horas de Sóror Dolorosa, entre outros]

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

EIS QUE CHEGA DEZEMBRO






Divagando sobre as festas de fim de ano, percebo que pra mim elas já não surtem o efeito da mágica proposta. Há tempos não sinto assim. Por mim dispensaria todos os abraços e todos aqueles desejos de “tudo de bom” que sou obrigada a ouvir no trajeto de meio quarteirão que faço da minha casa até a casa d minha mãe, onde passo a maioria dos réveillons, aos quais respondo com um sorriso amarelo e um simples, “obrigada, pra ti também...”
Não entendo muito de religiosidade, confesso. Mas percebo que o verdadeiro intento do Natal, por exemplo, está longe de ser o foco principal da festa nem tão pouco o que a antecede. A correria é alucinada em busca das roupas mais fashions, dos presentes de “amigo secreto”, preparação da festa, enfim. Se sobrar um tempinho, faz-se uma caridadezinha, uma doação de alimento, um brinquedinho velho. Afinal as pessoas precisam comer, né? Pelo menos no Natal.
Então é Natal. Isso é Natal? Ah, não se pode esquecer das intensas declarações de amor/amizade, dos pedidos de perdão chorosos e das promessas sem noção de que no ano novo tudo será diferente.
Eis que o tão falado novo ano chega e tudo volta a ser exatamente como antes. Nos despimos da felicidade superficial e seguimos na correria do dia-a-dia, sem nos lembrarmos das promessas, pedidos de perdão. Os bons atos e sentimentos os quais supostamente servimos junto às guloseimas natalinas, serão engavetados para serem utilizados no próximo dezembro.


Receita de ano novo 


Para você ganhar belíssimo Ano Novo
cor do arco-íris, ou da cor da sua paz,
Ano Novo sem comparação com todo o tempo já vivido
(mal vivido talvez ou sem sentido)
para você ganhar um ano
não apenas pintado de novo, remendado às carreiras,
mas novo nas sementinhas do vir-a-ser;
novo até no coração das coisas menos percebidas
(a começar pelo seu interior)
novo, espontâneo, que de tão perfeito nem se nota,
mas com ele se come, se passeia,
se ama, se compreende, se trabalha,
você não precisa beber champanha ou qualquer outra birita,
não precisa expedir nem receber mensagens
(planta recebe mensagens?
passa telegramas?)




Não precisa
fazer lista de boas intenções
para arquivá-las na gaveta.
Não precisa chorar arrependido
pelas besteiras consumidas
nem parvamente acreditar
que por decreto de esperança
a partir de janeiro as coisas mudem
e seja tudo claridade, recompensa,
justiça entre os homens e as nações,
liberdade com cheiro e gosto de pão matinal,
direitos respeitados, começando
pelo direito augusto de viver.




Para ganhar um Ano Novo
que mereça este nome,
você, meu caro, tem de merecê-lo,
tem de fazê-lo novo, eu sei que não é fácil,
mas tente, experimente, consciente.
É dentro de você que o Ano Novo
cochila e espera desde sempre.



(Carlos Drummond de Andrade)

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

DOMINGÃO PERFEITINHO


O que fazer alguém cujos finais de semana eram dedicados exclusivamente a “tomar umas’, ficar insuportavelmente chato, mandar todo mundo “sifu”, fazer cenas lamentáveis na frente dos filhos, encher o saquinho da família inteira e se tornar frenquentador assíduo do hospital nos domingos à noite, quando já não suportava de dor?

Meu irmão encontrou a resposta.

Depois de passar da adolescência até pouco tempo atrás (exatos 3 anos) nesse ritmo sem noção de vida, após ter ido parar no hospital pela enésima vez, levado pela minha cunhada na madruga, pq ele gemia de dor, após levar uma prensa da médica, do tipo... “meu camarada, se continuar bebendo tu vai morrer cedinho...”, eis que resolve parar de beber, segundo ele “ao menos até saírem os resultados do s exames”.
Os deuses conspiraram pra que tais exames demorassem meses pra ficarem prontos, e isso deixava a todos sob suspense... estávamos sempre esperando sua volta do trabalho pra ver em que situação chegava. E os “amigos” que sempre apostavam no dia em que voltaria a beber? Putz! Era mesmo confortador! O fato é que foram passando festas comemorativas (Carnaval, São João, Natal) e todas eram tidas como prova de fogo. Será q ele passa por essa? Pensávamos nós a cada data. Passou! Ufa!
Que alegria foi ver domingo a concretização dessa mudança.
Como seus fins de semana estavam completamente vazios, ociosos, num domingo qualquer resolveu levar alguns moleques da rua em q moramos pra jogar numa quadra perto de casa. No início eram alguns garotos, incluindo seu filho, motivo de orgulho do pai por ser “bom de bola”. E daí vieram outros, colegas de escola do menino, vizinhos de outra rua, até que teve q recusar receber as crianças pois não daria conta de tantas.
Fielmente, todos os domingos pela manhã são dedicados ao futebol do Moleque Travesso. Não é nenhum projeto social, os meninos contribuem com o aluguel da quadra, compraram seus uniformes, enfim. Mas é muito bacana vê-lo indo com sua trupe pro jogo, se preocupando, cuidando. Alguns pais vão lá de vez em quando, dão uma espiadinha, mas o dono da bola é ele.
Ontem fomos à confraternização deles.Foi tão prazeroso, mas um prazer que não precisamos ficar alardeando. Percebíamos no semblante de cada um a felicidade que sentimos em testemunhar o mesmo irmão, porém com uma vida completamente diferente.
Ele, tonto, chorou pq estávamos lá.
Realmente achou que o abandonaríamos?
Nunquinha!
Foi um domingão bacana.
Mais que bacana... foi um domingão inesquecível.


sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

APENAS LAMENTAR...





HÁ UM TANTÃO DE ANOS O JORNAL NACIONAL TORNOU-SE UM ÍCONE DA INFORMAÇÃO TELEVISIVA NO NOSSO PAÍS. ERA PARADA OBRIGATÓRIA VER O NOTICIÁRIO SOBRE POLÍTICA, ECONOMIA, ENTRE TANTOS ASSUNTOS PERTINENTES AO COTIDIANO DO POVO BRASILEIRO.
VEZ OU OUTRA AS MANCHETES POLICIAIS CHOCAVAM A TODOS DANDO CONTA DE ALGUM CRIME BÁRBARO, PROVOCANDO UMA COMOÇÃO GERAL OBSERVANDO-SE O GRAU DE ABSURDO NO ATO. ESSES TEMPOS DE COMOÇÃO FORAM AOS POUCOS SE TORNANDO ESCASSOS E QUANDO PERCEBEMOS, ESSE TIPO DE NOTÍCIA TORNOU-SE ROTINA. HOJE, ASSISTIR AO JORNAL NACIONAL E OUTROS DO GÊNERO É PRATICAMENTE ESTAR DIANTE DO BOLETIM DIÁRIO DE UMA DELEGACIA DE POLÍCIA. SÃO TANTOS OS CRIMES HORRENDOS QUE NÓS NÃO NOS ESPANTAMOS TANTO. A QUE PONTO CHEGAMOS? ESTAMOS NOS HABITUANDO À BARBÁRIE. CADA DIA UMA NOVIDADE, E A ÚLTIMA DELAS, NÃO HÁ EXPLICAÇÃO RAZOÁVEL: COMO TODOS ESTÃO ACOMPANHANDO, UMA ABERRAÇÃO EM FORMA DE SER HUMANO INTRODUZIU MAIS DE 30 AGULHAS NUMA CRIANÇA DE APENAS 2 ANINHOS DE IDADE QUE AINDA LUTA PRA SOBREVIVER. HÁ O QUE SE COMENTAR ACERCA DISSO? HÁ APENAS O QUE SE LAMENTAR E ESPERAR QUE TUDO CORRA BEM PRA ESSE PEQUENO SER QUE NEM DEVE ESTAR CIENTE DO QUE LHE ACONTECE.
MAS...UM FATO QUE ME CHAMOU A ATENÇÃO NO NOTICIÁRIO DE HOJE, LOGO NA APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA, FOI A SEGUINTE MANCHETE: HOMEM É LIBERTADO NOS EUA APÓS 39 ANOS DE PRISÃO POR UM CRIME QUE NÃO COMETEU. NOSSA!!! NÃO ACREDITEI NO QUE OUVI. ENTÃO ADIEI MEU BANHO E FIQUEI FAZENDO COMPANHIA AO CASAL JN ATÉ O MOMENTO DESSA MATÉRIA. OS MINUTOS QUE SE SEGUIRAM ATÉ O SIMPÁTICO WILLIAM NARRAR O FATO ME DEIXOU ENVOLTA EM MUITOS PENSAMENTOS. E MEU CORAÇÃO JÁ SE COMPADECIA E SE ENVERGONHAVA MESMO ANTES DE CONHECER A HISTÓRIA. É CLARO QUE CRIMES HEDIONDOS ME COMOVEM, ME FAZEM CHORAR COMO A QUALQUER PESSOA COM UM MÍNIMO DE SENTIMENTO. MAS... SABER QUE ALGUÉM PAGOU POR UM CRIME HEDIONDO SEM O TER COMETIDO ME DEIXA INFELIZ, INDIGNADA, DESILUDIDA...ENTÃO, WILLIAM ME CONTA TUDO. HÁ 39 ANOS UM JOVEM DE 19 ANOS É ACUSADO DE VIOLENTAR UM GAROTO DE ...PUTZ, MEMÓRIA FALHOU! ACHO QUE O GAROTO TINHA 9 ANOS. O CARA JUROU INOCÊNCIA O TEMPO TODO, OS EXAMES REVELARAM QUE ELE NÃO ERA CULPADO, MAS MESMO ASSIM FOI CONDENADO A VIVER ENJAULADO MAIS DE DOIS TERÇOS DE SUA VIDA. MUNDO DOIDO ESSE, MINHA NOSSA! IMAGINO A CENA, ELE SENDO COLOCADO ENTRE OUTROS NEGROS E A CRIANÇA O APONTANDO COMO PODERIA TER FEITO COM QUALQUER UM OUTRO, QUE CERTAMENTE TERIA SIDO CONDENADO DA MESMA FORMA. MUNDO MESMO DOIDO, EM QUE UM HOMEM É JULGADO PELA COR DE SUA PELE. E DAÍ SE O FATO ACONTECEU HÁ QUASE 40 ANOS? ACONTECERIA HOJE NOVAMENTE. ACONTECEM TODOS OS DIAS CRIMES MENOS GRAVES QUE ESSE, MAS CUJA NÓDOA FICA PRA SEMPRE. ME ENVERGONHO DE FAZER PARTE DISSO. CHOREI VENDO O SORRISO DAQUELE HOMEM SAINDO DA PRISÃO, FELIZ AO PODER PASSAR O NATAL EM CASA, COM SUA MAE JÁ VELHINHA. CHOREI E MEU CORAÇÃO SUSSURRAVA UM PEDIDO DE DESCULPAS. 
DEUS BEM QUE PODIA PASSAR UMA BORRACHA NA HUMANIDADE E TENTAR MAIS UMA VEZ. QUEM SABE VIRIA UM MODELO APERFEIÇOADO, COM MUITO MAIS ALMA E CORAÇÃO...


"De tanto ver triunfar as nulidades; 
de tanto ver prosperar a desonra, 
de tanto ver crescer a injustiça. 
De tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, 
o homem chega a desanimar-se da virtude, 
a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto."

(Rui Barbosa)

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

DAS COISAS QUEM ME ACARICIAM A ALMA...






- um dia de domingo com minha família, sem praia ou piscina...apenas nós, as crianças correndo, berrando, chorando...rsrs... e mesmo assim percebemos o quanto é bom estarmos juntos.

- estar meio acordada, ver que o sol já chegou, e abrir um sorriso sonolento ao lembrar que é sábado e posso continuar dormindo...rsrs.
adooooooooro...

- quando uma amiga vem me visitar num sábado, depois do trabalho dela...detalhe: não nos víamos há mais de 5 anos, ela mora em aracajú e simplesmente disse ao marido que tinha que matar a saudade do “povo dela”. chegou no início da noite pra voltar na manhã seguinte, apenas pra abraçar, conversar, rir... aí, nessa hora, todos os clichês sobre amizade se adequam...

- ainda no tópico “família”...quando meu irmão deu carona pra mim e uma amiga, na volta do trabalho, me deixando em casa primeiro...minha amiga então comenta com ele que sou uma “graça”, por uma brincadeira que fiz com ela antes de descer...então, quando seguiram ele sorriu e respondeu: “ela é uma bênção”.

- sentar com amigos e fazer absolutamente nada, a não ser dar boas risadas e jogar muita conversa fora... se for no “escritório”, regado a uma boa cerveja geladérrima, ainda melhor, mas senão... o simples encontro já é incrível.

- deixar meu pensamento voar longe ouvindo uma música linda, cantarolando baixinho pra não espantar quem tiver por perto..rsrs...

- chorar com uma cena de filme que não seja necessariamente triste, mas de pura emoção, amor, amizade...

- fim de tarde, observar em silêncio a magia do sol indo embora, à beira-mar. nada é tão energizante...

- fazer as pazes com alguem a quem a gente magoou de alguma forma, mesmo sem jeito vc pede desculpas e percebe que a importância da pessoa em sua vida é muito maior do que qualquer orgulho bobo relutando em reconhecer que agiu errado.

- receber o abraço apertadérrimo da minha amiga na escola, pq ela diz que faz com que o dia dela seja melhor depois do meu abraço fofo...rsrs.

- comer uma barra inteira de chocolate aqui, escondidinha, enquanto converso no msm... nesse momento a culpa se ausenta completamente... é tão bommmmmmmmmm!

- embarcar na história de um bom livro e querer devorá-lo sem pausa, vivenciando como se fosse umas das personagens.

- quando estava um certo dia com dificuldades p atravessar a rua em que moro, por causa do trânsito mutcho louco, quando um caminhoneiro parou seu veículo praticamente no meio da rua, impedindo que outros carros passassem, e assim atravessei tranquila a rua. ainda há gentileza despretensiosa no mundo. êbaaaaaaaaaa!!!

- quando hj, aterrorizada com a ideia de fazer a tal endoscopia digestiva, estava falando com minha amiga sobre isso e ela falou: “olha, vou estar trabalhando, mas se tu quiser vou lá segurar tua mão”... no coments!

- falando na maledita endoscopia, bacana constatar que apesar da invasão brutal daquela borracha terrível, sobrevivi!...rsrs... eu e minha mania de transformar bichinhos em monstros assustadores...

- sair com minhas amigas, depois do trabalho, meio de improviso e ir pro “escritório” papear, bebericar e falar muito mal dos homens...

- abrir minha caixa d emails, ou os sites q participo e ver muita msg dos meus amigos, msg pessoais, enormes ou curtinhas, às vezes apenas querendo saber se estou legal. bem diferente daquela treva de corrente...

- ficar na madruga papeando e rindo muito pelo telefone. antes do pc eu fazia muito isso, acho q vou vendê-lo pra voltar a fazer...rsrs.

- receber carta. genteeeeeeeee... sou jurássica, não tem jeito! adoro receber carta. mas o povo agora só quer saber de tc...snif!

PROVAVELMENTE VOU ESQUECER ALGUMAS COISINHAS, MAS POR ENQUANTO AÍ ESTÃO ALGUNS EXEMPLOS DE COISAS QUE ME PÕEM UM SORRISINHO NOS LÁBIOS. MEU CORAÇÃO E ALMA SÃO BEM RECEPTIVOS,
NÃO PRECISA SER ALGO MUITO ELABORADO PRA ME DEIXAR FELIZINHA...

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

DAS COISAS QUE ME ESTRESSAM...MAS NÃO ME TRAZEM RUGAS.




- Ser chamada de gata, principalmente por quem nunca me viu na vida. Gata? Putz! Muito pouco criativo... 

- Não poder me melindrar e extravasar minha sensibilidade pq sempre vem alguém me dizer q estou sentindo pena de mim mesma. 

- Ficar 07 dias sem internet à noite e eles ainda me pedem p ter paciência. Putz! Ta certo q quero desintoxicar, mas que essa droga pelo menos esteja à minha disposição pra quando eu quiser usar. 

- Quando o engov não bloqueou a dor de cabeça q me acometeu só pq tomei 600ml de caipirosca. 

- Meu sobrinho ter ficado de recuperação em 5 matérias e ficar com a maior cara de paisagem, como se não tivesse sido com ele. 

- Perceber q não há solução quanto ao espaço do meu quarto...ele é pequeno demais pra mim, minha cama, armário e meu PC.... 

- Quando minhas atitudes sem noção me fazem não me suportar. 

- Ver meus emails e me deparar com 150 emails repetidos e ainda por cima com ameaça de q se eu não os encaminhar a pelo menos 15 pessoas algo ruim acontecerá. 
Corrente é a treva! Auto-ajuda idem... 

- Não ter coragem de ligar p polícia quando o bar da esquina faz um barulho terrível e não me deixa dormir. 

- Imaginar q essa semana vou fazer um exame de endoscopia digestiva e dessa vez não vou conseguir escapar. 

- Fingir q estou interessadíssima nas histórias que as pessoas me contam pela milionésima vez. 

- Quando amigos só se interessam em conversar sobre seus próprios problemas, fingindo q sua vida não existe. 

- Não poder comer tudo q é gostoso...pq tudo engorda ou provoca câncer. 

- Lembrar das noites em que ficávamos na calçada de ksa, tomando vinho, esperando o sol nascer e não havia o menor risco de sermos assaltados. 

- Quando me acordam... seja lá porque motivo for. 

- Ao estar vendo algum programa na TV, o apresentador diz pela milésima vez q “daqui a pouquinho” terá uma matéria incrível, “vc não pode perde”. Posso! Faço questão de mostrar p ele q posso perder e nada acontece. 


PEGUEI EMPRESTADO A IDEIA DESSE TEXTO DE UM BLOG DE UM AMIGO, QUE GENTILMENTE ME DEIXOU UTILIZAR O TÍTULO, O QUAL ADAPTEI. 
SÃO PEQUENAS COISINHAS QUE ESTRESSAM ALGUÉM FALÍVEL, 
CUJA TENDÊNCIA A SEMPRE VER O LADO POSITIVO DAS COISAS ANDA COM DEFEITO. 
PERDOEM-ME, PESSOAS...SOU APENAS HUMANA. 
E NA VERDADE É TUDO UMA BRINCADEIRA COM AS COISINHAS CORRIQUEIRAS QUE IRRITAM SÓ UM POUQUINHO.
A PROPÓSITO, LI POLLYANNA MENINA E ACHEI ELA UMA CHATA!
BESOS..

domingo, 13 de dezembro de 2009

SILÊNCIO OPORTUNO




É PRECISO SABER A HORA EM QUE AS PALAVRAS NÃO SERÃO OPORTUNAS... 
CECÍLIA MEIRELES CERTAMENTE FALARÁ MUITO MELHOR QUE EU.
DELÍCIA DE POEMA...

Serenata


Permita que eu feche os meus olhos,
pois é muito longe e tão tarde!
Pensei que era apenas demora,
e cantando pus-me a esperar-te.


Permite que agora emudeça:
que me conforme em ser sozinha.
Há uma doce luz no silencio,
e a dor é de origem divina.


Permite que eu volte o meu rosto
para um céu maior que este mundo,
e aprenda a ser dócil no sonho
como as estrelas no seu rumo.

(Cecília Meireles)

sábado, 12 de dezembro de 2009

AMOR AMIGO




TEXTO A SEGUIR ROUBEI DE MIM MESMA DA MINHA PÁGINA NA NETLOG...


Há tantos textos, poemas e afins dissertando sobre AMIZADE, que falar algo sobre o tema torna iminente o risco de dizer o que já foi mil vezes dito. Paciência! Nem sou uma pessoa que se joga assim nos riscos, mas o momento é especial demais e tenho que deixar minhas emoções falarem por mim. 
Ops! Filosofando feito uma caminhoneira (absolutamente nada contra a categoria... perdoem-me a comparação inoportuna). 
Esses dias recebi um telefonema de um amigo. Mas não um amigo qualquer. Um amigo especial, daqueles que fazem parte da alma da gente, que confundimos se já não temos a mesma alma. 
Tínhamos nos falado minutos antes, por cerca de meia hora. Somos da mesma cidade, mas ele agora trabalha fora, então não nos vemos com freqüência, 
nem mesmo nos falamos no celular sempre, mas sabemos que amamos um ao outro da maneira mais linda que duas pessoas podem se amar. 
Então meu coração se angustiou um pouco pq ele não está bem de saúde, está sozinho, triste, meio deprimido...depressivo até. 
Fiz o meu possível pra deixá-lo um tantinho melhor sem que percebesse que eu também tinha ficado triste. Disse que o amava e desliguei. Então pouco tempo depois me liga novamente e diz: “Eita, desculpa! Esses dias andei lembrando que não comemoramos nosso aniversário de amizade. Dia 30 de junho fizeram exatos 20 anos que a gente se conheceu, a gente ainda vai comemorar isso esse ano, né?” 
Putz! Eu nem tinha lembrado do ano, imagine dia e mês! 
Manteiga derretida que sou, me derramei em lágrimas. Um filminho curto de duas décadas passou na minha cabeça, começando pelo dia que ele apareceu na minha rua dizendo ser primo do Muller (então jogador do São Paulo...se ferrou pq foi mentir pra euzinha, uma garota que gosta e entende de futebol) aos momentos que fizeram essa amizade adquirir corpo, da cumplicidade, parceria, companheirismo, ... 
Rsrs...claro q nem tudo foi um céu ensolarado. Brigamos muuuuuito e era sempre adorável fazer as pazes. Quantas vezes, dramática que sou, que não mais queria saber dele por causa das pausas que insistia em fazer sem me procurar. Que amizade é essa, pensava eu, que não quer a presença? Com o tempo fui me dando conta que a presença é sim importante, mas não é soberana. Quando nos víamos era como se ele, o tempo, jamais tivesse passado. As conversas, risadas, provocações (é um flamenguista q insiste em me sacanear), palhaçadas de ambas as partes fluíam naturalmente, sem nenhum vestígio de pausa. 
Na sua ida pra morar fora, nos despedimos com a seguinte frase dita por ele: “Minha vida não seria a mesma se eu não tivesse conhecido vc”... Misericórdia! Não se faz isso com uma alma em constante processo de construção afetiva... Traduzindo: carente! Então choramos, e tivemos a certeza que sempre teríamos um ao outro. 
No Dia do Amigo passado, escrevi-lhe um email dizendo que adoraria num futuro distante, quando estivesse eu num abrigo pra velhinhos (rsrs... por favor, me permitam só esse draminha), receber a visita dele, de bengala, negro, cabelos branquinhos e lindo. A resposta me foi dada em viva voz, no celular, comprovando sua eterna vocação pra me emocionar: “Vc não vai me ver entrando no asilo pra te visitar, pq eu já vou estar lá. Vamos estar os dois juntinhos, conversando, rindo, fofocando dos outros velhinhos...rsrs. Eu já falei com Deus, se um dia vc se for antes de mim, pode esperar que chego logo em seguida. A gente vai estar junto sempre.” 
Nocaute absoluto no meu coração! 
Só quis compartilhar isso aqui pq essa semana me preocupei especialmente com ele. 
Foi meu jeito de estar perto, proteger, dizer que tudo vai ficar bem e principalmente que ele não está sozinho. 
Quis apenas deixar meu coração menos apertadinho... 
Ele não vai ler... é avesso a internet por mais que eu o tente corromper... Rsrs... 
Mas através dele busco falar a todas as pessoas a quem chamo de amigo. 
Definitivamente, não uso essa palavra de forma superficial. 
Se assim me refiro a alguém, é pq dessa forma sinto. 
Há sempre o risco de chamar em vão alguém de amigo, mas é um risco que estou disposta a correr, pois quando há sintonia, quando as almas se percebem, quando a vida fica mais bacana pq aquela pessoa está de alguma parte presente sem interesse nenhum a não ser seu afeto, companhia, cumplicidade... aí tudo terá valido a pena. 
Viva os tolos que acreditam na AMIZADE! 
Sou sócia desse clube e não abro!

Cá Estou



Olá.

Olá a mim mesma, já que estou inaugurando esse blog e nem sei no que vai dar. Meu propósito é escrever... sobre o que nem sei ainda. Postar poemas que adoro, considerações sobre os temas mais diversificados, importantes ou nem tanto.
Espero que venham.
Espero que leiam.
Espero que fiquem.
Um bom fim de semana...por enquanto pra mim mesma.
Rsrs.
Beijos.