domingo, 17 de janeiro de 2010

SOBRE SER DIFERENTE

 A Princesinha das Perninhas de Pau


Antes mesmo que completasse 1 aninho de idade, a princesinha rosada tornou-se especial. Sendo a primeira menina depois de uma série de 6 machos na família, normal que a tratassem como uma princesinha e fosse mimada e paparicada por todos, afinal, sua chegada tinha sido ansiosamente esperada.


Numa barulhenta noite de São Pedro, assustou-se com os fogos incessantes, típicos da época. Acordou chorando e até esse momento ninguém imaginava que sua vida havia começado a se delinear de fato. Percebeu-se que já não se sustentava mais de pé no bercinho, como antes fazia. Suas perninhas gorduchinhas a traiam... O diagnóstico não tardou: Paralisia infantil! Sua perninha direita, mais especificamente, perdera os movimentos.

Foram sucessivas consultas, a busca incansável por um médico que contestasse o primeiro diagnóstico, mas não! Era mesmo aquilo. A princesinha se tornara paralítica.
Até seus 4 anos de idade, não soube o significado da palavra andar. Foi morar ‘temporariamente’ com os avós porque o irmão mais novo estava doente e a mãe não daria conta de duas crianças carecendo de tanta atenção. As tias maternas, prestativas, lançaram: ‘deixem a bichinha aqui só enquanto o irmãozinho melhora’. E lá ficou sua vida inteira.

Aos 4 anos aprendeu a andar. Arranjaram-lhe um par de muletinhas de madeira, após várias tentativas de lhe enfiarem numa daquelas horrendas pernas mecânicas... os robôs não estavam tão em foco naquela época, seria uma bizarrice.

O fato é que a princesinha rosada foi crescendo assim, tentando compreender o porquê de ser diferente.
Não sabia a razão de todos a olharem com olhos piedosos, como se quisessem tomar pra si suas dores. Mas... que dores? Sentia todas as vontades e manhas de uma criança ‘normal’. Á medida que as situações iam surgindo, ia se adaptando. Nem mais se importava quando, a caminho da escola, as pessoas paravam pra cumprimentar suas tias e se admirando com a pequena, ouviam das tias: “ela é ‘assim’ mas é muito inteligente”. Em sua cabecinha inocente, não entendia o porquê desse diálogo. Estudava na escola onde suas tias praticamente eram fundadoras, então não havia como fugir das cobranças em ser a melhor da turma, a mais inteligente, afinal, teria que compensar aquele ‘pequeno defeito’.

Esse tipo de situação foi podando a personalidade da menina. Era muito pra uma criança sentir-se forçada a ser a melhor, a superar os outros como se fosse culpa sua ter que carregar pra sempre suas muletinhas. Tornou-se acanhada, com uma enorme vontade de ser invisível. Mesmo assim, no seu mundinho imperfeitinho, não foi uma criança infeliz...nem que tentasse teria conseguido ser infeliz.

Eis que a adolescência... com sua urgência mordaz, se faz presente. Agora era uma mocinha. E os sentimentos, percepções, sensações continuavam afloravam, como em  qualquer garota de sua idade. Intimamente, recusava a pressão para que se sobressaísse entre os demais. Não queria ser melhor, a mais inteligente, a especial. Queria ser apenas compreendida em suas inquietações. Começara a perceber, porém, que o mundo, sociedade, o diabo à quatro, exigia das pessoas ‘diferentes’ que elas fossem geniais em algum aspecto. Ela definitivamente não era, melhor ainda, não tinha a pretensão de ser. Recusar essa oferta de encontrar em si uma genialidade que em absoluto existia, foi a maneira que encontrou de se fazer imperceptível, ainda que chamasse a atenção com suas ‘pernas’ de madeira por onde quer que fosse.

Apesar desse seu recolhimento ao seu próprio mundo, sempre teve uma facilidade absurda em fazer amigos. Era sempre escolhida a conselheira, o cupido da turma. Com o tempo, porém, foi se dando conta de que o cupido não advogava em causa própria. O preço que a vida lhe cobrou por bancar a melhor amiga de todos, inclusive dos meninos. Quisera ser invisível? Havia conseguido!


Assim se descobriu querendo pra si todos os sentimentos do mundo, querendo experimentar as sensações que a vida lhe oferecia como num cardápio.


A mocinha se tornara uma grande preguiçosa. Entre experimentar tais sensaões e sair de sua zona de conforto, escondidinha, protegida em seu casulo, imuni à às possíveis frustrações, . escolheu a segunda opção. Permaneceu no seu comodismo um tanto covarde.


Porém, tornou-se mulher. Sair do casulo foi inevitável.

A vida adulta não poupa ninguém. Isto compreendido, lá foi a moça, a essa altura bem acomodada nas suas perninhas de metal, buscar o pão de cada dia. Uma nova pergunta passou a fazer parte do seu cotidiano: "Porque você não se aposenta? É uma judiação deixarem uma pessoa assim trabalhar, com tanta gente por aí ganhando sem fazer nada...” Putz! Melhor ser surda (ops! perdoem o pensamento politicamente incorreto) do que ouvir tamanha bobagem. A eles nenhuma resposta, a nao ser um sorrisinho no melhor estilo "oi?" e se continha pra não dar uma resposta ‘estilo Saraiva’. Pobres ignorantes...


Nunca quis ser referência de deficiente modelo (mas uma vez o termo politicamente moderno se apresenta). Por que é isso que as pessoas esperam dos portadores de necessidades especiais, a tal genialidade já citada. Tem que ser muito bom em alguma coisa, ser parâmetro de potencialidade. Esperem dela apenas a normalidade... Já está de boníssimo tamanho. Não gosta de se propor a fazer algo apenas pra provar pras pessoas que é capaz. 


A moça da perninha de metal gosta de contrariar um tanto as expectativas de comportamento.


É um ser humano comum, recheada de defeitinhos que compõem as pessoas comuns, com anseios, frustrações,alegrias, emoções enfim, que moldam qualquer ser humano, use ele muletinhas ou não..


Volta e meia ouve das pessoas que tem que parar de ser autopiedosa, se maldizer, enfim. A vida é linda, maravilhosa, que ela é capaz, tem que ser feliz, mostrar a cara pro mundo e um monte outras frases bacanérrimas gentilmente cedidas pelos livros de autoajuda (ela detesta livros de autoajuda).


Claro que tudo isso é verdade. Parafraseando Almir Satter, “cada ser em si carrega o dom de ser capaz, de ser feliz...”, não importa quantas pernas ou braços esse ser tenha funcionando. Mas a personalidade da pessoa é que determina como ela se comporta em determinadas situações. Não adianta cobrar arrojo, coragem, determinação de alguém cujas características fogem disso. O fato de se querer simplesmente esperar pra ver no que as coisas vão dar, não significa necessariamente que esteja se autopiedando.


Para ela, as limitações surgem na vida de qualquer um, com maior ou menor intensidade. As suas, tenta superar, com uma certa dose de drama, melindre (isso é o que dizem, que é dramática e melindrosa, entre outros adjetivos), e o que alguns muitas vezes denominam de lamentação, ela atribui ao seu jeito próprio de levar a vida atualmente, correndo menos riscos, numa espécie de autodefesa, o que obviamente não lhe impede de dar altas cabeçadas. 

Não se imagina sem amar. E como ama essa mulher! E como muitas vezes ama errado essa mulher! Quer acolher a todos no seu tonto coração, esquecendo que deve dar o direito ao outro de querer ser ou não acolhido.

Numa porção louca de inúmeros defeitos e qualidades, se compõe. Ainda se permite acalentar sonhos. Ainda segue a espera do seu final feliz. 

(M. Lima)











"Não sou nada. Nunca serei nada. Não posso querer ser nada. À parte disso, tenho em mim todos os sonhos do mundo..."


(Fernando Pessoa)


13 comentários:

  1. Depois de um certo tempo convivendo com as mazelas humanas, poucas coisas me chamam mais a atenção do que a superação. É, apesar de todas as dificuldades, conseguir sorrir e tirar proveito, uma lição disso tudo. E vc consegue. Consegue se enxergar no meio de um mundo preconceituoso que estabelece que o normal é o comum. Puro preconceito. Cada ser humano é único e especial nas suas diferenças, na diversidade das raças.

    Acho que talvez vc não tenha se dado conta de uma coisa importantíssima que vc disse. A sua enorme capacidade e facilidade de fazer amizade é só uma prova do ser especial que és, e é isso, só isso e não a sua 'deficiência'(odeio esse termo) que te torna diferente. No teu texto abaixo vc diz que a amizade está banalizada e de fato, está. Mas se vc consegue, apesar disso, conseguir formar uma família de amigos verdadeiros, a missão está cumprida.

    Nunca olhe para a sua diferença como incapacidade e sim, como mais um motivo para provar quem e o que vc é.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Comentar o que você escreve é algo assim que as palavras saem livremente.
    Já faz um tempinho que conheço vc e sempre fez questão de comentar seu defeito físico e eu,dei tanta importância que só hoje ao ler aqui e tc c vc fiquei sabendo que ainda usa muletas.
    A gente comentar, aconselhar é a coisa mais simples do mundo. Como te disse eu convivo aqui com meu pai que não anda nem de muletas e ao socorrer alguém quando eu tinha 9 anos, a hélice do carro soltou e bateu no olho dele.Tem hoje olho de vidro e eu presenciei o acontecimento. Eu tirei meu pai de não ajudar o cara e ele não me ouviu, brigando comigo.Ficamos eu, meu irmão de 7 anos, um amigo numa estrada de terra no fim do mundo e mainha foi com ele e o dono do carro, no nosso, prá cidade.
    Eu tive uma adolescência muito cortada, muito chantageada.Filha única, era linda e acabei casando cedo pela prisão que eu vivia.Ainda bem que casei com o homem certo,mesmo me separando depois de 7 anos de casada, com filha de 5 meses e outra de 3 anos.
    hoje uma de 21 e outra de 24.
    Escrevi isso tudo para chegar no que vou te dizer agora. Comi o pão que o diabo amassou para viver e criar as meninas,embora o pai seja até hoje meu amigo e pai presente, mesmo tendo se casado de novo, maravilhoso ele.
    Milene... é muito fácil dizer para os outros para aceitar,ter paciência.Mas conviva com isso 24 horas por dia para entender.
    Quero te dizer que hoje que minhas filhas estão plenamente na vida, bem encaminhadas, arrumei um emprego público no ano passado, pela 1ª vez e, seria a razão para eu estar bem e livre.
    Moca!!! considere-se uma pessoa feliz e invejável.
    Eu tenho tudo que muita gente queria, inclusive as duas pernas (gordas mas normais.rssrs), mas minha vida parou, você bem sabe.Eu não faço hoje nada que me anima , que me dê motivação e , olha que tenho astral legal e de certa forma bem resolvida.
    Vou te dizer o que me fortalece e de repente me ajuda mesmo a superar , procuro pensar e até mesmo acreditar em reencarnação. Que hoje estou pagando algo que eu vim cumprir, uma missão que acredito que pouca gente faria o que eu faço.Tenho meus momentos de chorar, me fechar, me isolar.
    Tem momentos que eu não vejo rumo mesmo e nem solução.Você me pega sempre para ler suas coisas em dias que estou mais sensível e...acaba dizendo que converso demais.
    Lendo hoje praticamente ''obrigada'' o seu blog, risos, fiquei sabendo do que eu nunca me liguei e no msn eu te disse. Gosto tanto de você, mas tanto mesmo que ter ou não ter muletas para mim é indiferente.
    você tem luz , uma luz que a gente nem precisa te ver para sentir.Tanto é que é como te digo, a minha melhor amiga e talvez , a única pessoa que eu falo todos os dias.
    Como gosto de você!! Talvez se não fosse a Mi faltando as perninhas normais e eu com meus tantos problemas, a gente nem teria se conhecido.
    Você tem um carisma assim que acaba conquistando e tomando meus amigos e e nem ligo. Vou apanhar.
    Acho que você deve realizar aquele seu sonho que falamos no msn.Acho que deve correr atrás de tudo que te faça feliz.Acho que a gente tem que estar feliz para fazer os outros também. Hoje eu não estou e talvez a razão daquele outro problema que vc sabe.E como não estou... não consegui fazer também a felicidade.
    Mas nada melhor do que um dia após o outro.
    A gente não pode é ter medo de ser feliz quando as oportunidades aparecem.Como também não ter medo de jogar para o alto o que não nos realiza.
    Só posso concluir que você é uma pessoa que eu nunca quero perder de vista, com perninha que já foi mecânica,com muletas ou sem elas,gordinha, outros defeitos que nem vou escrever aqui,risos.
    QUERO SER SUA AMIGA PARA O RESTO DE NOSSAS VIDAS E TE QUERO ASSIM COMO VC É.
    ADMIRO SUA INTELIGÊNCIA E SUA LUZ.
    ADORO VC . É UM AMOR ASSIM DE PAIXÃO MESMO.MESMO VOCÊ SENDO ESTA BESTA QUE É.RISOS.

    AGORA VOU DORMIR.

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
    TE ADORO, MILENE BESTA.

    ResponderExcluir
  3. As diferenças é qe nos fazem ser quem somos, porém, a sociedade e seu padrões tentam fazer com que agente perca isso. Temos que ser quem somos e não perca isso jamais. Bjus e parabéns pelo texto.

    http://submundosemmim.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Mi... oia eu aki! rsrs..
    Mana... "a princesinha da perna de pau" assim compreendi o seu texto como uma pequena auto biografia... e vc conseguiu passar com clareza... resumindo sua vida até o momento. deixou claro para que os amigos/e ou visitantes tenham uma visão mais ampla de como foi o inicio da Milene. e de como é a Milene hoje tbm! Estamos indo para 7 anos de amizade virtual.Mas o amor que tenho por essa "curiosa acerca da alma humana" como ela se define aqui,é realmente de amigo... de irmão! A adimiro pela mulher que é... que se tornou...
    Te amu Mi...
    E parabéns pelas outras postagens... seu bloq esta ficando show!
    Sua inteligência me desconcerta!
    Essa é a minha pétala rosadinha!!!

    ResponderExcluir
  5. Milene,

    vc correndo atrás de mim, e eu faltando com meu 'dever de casa'...rsrs

    É aquela danada da cirurgia, já estou de repouso, falando pouco e tc menos ainda.

    meu filho que postou para mim esses últimos que vc viu.

    Menina!!!

    Vc é linda.
    Vc é inteira.
    Vc é simplesmente.

    Adoro vc, (e ainda não descobri o porquê...) mas pensando bem , acho que sei sim. Eu tb sou portadora de um pequeno deslize 'físico' e sofri muito na adolescência.

    Mas te digo olhando em teus olhos: sabe que hoje eu nem lembro que ele existe???

    Menina bonita, vc é assim mesmo, sem deslize nenhum!
    É só acreditar e esquecer. Tua vida é o que vale, teu amor, tua energia positiva, tua simpatia...

    Quer confete???
    Peraí, que vou ver se sobrou do carnaval passado...rs

    E vc é besta, sim.
    E tenho dito.

    Grande Milene, bjs e uma semana linda!!!!

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito de leer o teu post, todos temos direito a ter sonhos e ser felizes ;)
    Beijinhos e volta sempre que quiseres ao meu blog*

    ResponderExcluir
  7. Terminar o texto com uma citação de Pessoa é voar no sonho da histórinha...

    ResponderExcluir
  8. Mí! faça suas palavras as minhas, "não importa quantas pernas ou braços tenha funcionando. Mas a personalidade da pessoa é que determina como ela se comporta em determinadas situações". AMIGOS VERDADEIROS ñ existe, ou altera diferenças. s/ênfase àquilo q ñ quer q ti afliges, p/ assim refletir sua natural alegria e amor à todos ao seu redor.

    ResponderExcluir
  9. Muito prazer, Milene!!
    Não se encontra fácil por aí a íntegra de um Ser inteiro como você!

    Já te admirava, aí fui me afeiçoando...juntando tudo, só encontro um grande, bonito, suave bem-querer...

    Bjo com afeto!


    * Tua capacidade de comunicação ultrapassa toda genialidade esperada...e não importa quantas pernas vc tenha funcionando, quem sabe um dia não te vejo vindo em direção ao um abraço???

    ResponderExcluir
  10. Milene, não conhecia esse lado de sua vida e confesso que nenhuma diferença faz. O ser humano que encontrei nesse mundo virtual é perfeito e completo. Tem humor e inteligência louváveis. Trabalha e vive como qualquer outra pessoa, alimenta sonhos e realiza projetos. Como você, não gosto de livros de auto ajuda. Só quem passa por dificuldades, e somos todos nós, sabe os limites que lhe são impostos, seja com quatro pernas, com duas, sem nenhuma. Exitem "deficiências" que nos afastam das pessoas, que nos impedem de amá-las. Mas estas não são visíveis a olho nu. Grande beijo!

    ResponderExcluir
  11. Uau! Achei o que eu procurava!
    O que torna essa mulher tão especial? O que a faz ser assim irresistível? Eu tinha medo de te ofender ao perguntar, qual o seu problema Mi, eu percebia em meio a suas palavras que algo de diferente tinha aí, mas as pessoas se ofendem e hj tive minha resposta!

    Vc é uma das pessoas mais especiais que eu já conheci nessa blogosfera! Essa princesinha que ganhou perninhas diferentes na vida aprendeu a ser feliz e vc tem ideia do quanto isso te faz mais especial?

    Ah para com isso de não querer ser a que se destaca! Hahaha vc não tem escolha ! Beijos... agora vou para o post de hj!

    ResponderExcluir

  12. Olá Milene,

    Dá licença porque eu estrou entrando. Vi um comentário seu no Sérgio e me convidei a vir até aqui. Minha mana Marilene, do blog Momentos Fragmentados, elogia muito sua maneira descontraída de escrever e eu já tencionava vir conhecê-la, pois leio sempre seus comentários em blogs amigos.
    Por tudo que li aqui você é mesmo um pessoa especial, pela espontaneidade e grandeza de alma. Além do mais, é ótimo astral, pois seus comentários costumam ser bem divertidos.
    Somos seres humanos, vindo do mesmo Criador, iguais perante Deus e a lei, temos corações que pulsam de alegria e que choram de dor, temos sonhos e procuramos encontrar nossa felicidade nas coisas e momentos que nos embriagam de prazer e entusiasmo. Assim somos todos nós, indiferente de qualquer diferença.

    Beijo.

    ResponderExcluir