quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

PAUSA PARA A POESIA















ATRASO PONTUAL













Ontens e hojes, amores e ódio,






adianta consultar o relogio?





Nada poderia ter sido feito,





a não ser o tempo em que foi lógico.





Ninguém nunca chegou atrasado.





Bençãos e desgraças





vem sempre no horário.





Tudo o mais é plágio.





Acaso é este encontro





entre tempo e espaço





mais do que um sonho que eu conto





ou mais um poema que faço?


(Paulo Leminski)

2 comentários:

  1. Muito linda e reflexiva essa poesia de Paulo Leminski!Gostei demais!Bjs,

    ResponderExcluir
  2. Aprecio muito Paulo Leminski...

    Um beijo, Milene.

    Sua nova foto está muito boa, amiga!

    bom descanso, viu?

    ResponderExcluir