terça-feira, 12 de outubro de 2010

O MEU GURI

Maravilha! Hoje é dia das crianças, de todas elas, sem exceção. Dia de distribuirmos as Barbies, carrinhos com controle remoto dos modelos mais modernos, bichos de pelúcia, e uma infinidade de brinquedos que alegram o coração da criançada... Na verdade alegram por uns dias, porque depois estarão jogados num quanto qualquer, por ter perdido o encanto inicial. Fazemos tudo por eles, todos os mimos possíveis.
No meu caso, serei uma tia madrinha relapsa, pois estava financeiramente desfavorecida pra comprar presente pra tanto sobrinho, além de afilhados, então sosseguei.
Mas aí fui lá na Regina . E nunca saio de lá como entrei. Algo sempre acontece... Ou me acabo de tanto rir, ou me comovo com seus relatos tão vivos, ou saio com um apertinho no coração pela reflexão que fui obrigada a fazer. O que é o caso hoje.
Postou lindamente sobre o dia dos pestinhas, e furtei de lá sem que ela me visse, sorrateira, esse parágrafo: "Tudo que eu preciso saber é que há crianças morrendo de fome, frio, abandonadas pelas ruas, usadas e abusadas, desaparecidas, traficadas como escravas, espancadas e sem qualquer tipo proteção, amor e carinho".
Misericórdia!
É mesmo assim. Todos os dias é assim. Cruzamos com elas o tempo todo, pelas calçadas, alheias, à margem, sem entender o que lhes acontece. E nós, seguimos em frente, vamos às compras das Barbies e carrinhos modernos. Não é nosso o problema. Só temos que nos proteger, segurar bem as bolsas, porque essas crianças de rua são perigosas, traiçoeiras. Vem pedir um trocado e quando vemos já nos roubaram. Não é assim que funciona?
Tem um monte de coisa que não entendo. Sigo assim, sem entendê-las. E a sociedade permitir que crianças sofram assim, sejam judiadas, espancadas e tudo o mais que a Regina citou, não há como entender.
Humanidade doida essa.
Aqui tínhamos uma gíria há alguns anos, que cabe perfeitamente nessa reflexão: É assim mesmo, depois piora!
Continuemos com o Feliz Dia das Crianças, das protegidas e amadas...
Amém!



11 comentários:

  1. Pois é, minha sensível amiga Milene, temos que acreditar e investir nas nossas crianças. São o futuro da nossa pátria e desse lindo (ainda) planetinha azul.

    forte abraço

    C@urosa

    ResponderExcluir
  2. foi isso que postei...e não é culpa nosso tbém????

    beijocas



    Loisane

    ResponderExcluir
  3. Vim conferir o... o...

    ah, vc sabe: o post*!!!


    está verdadeiro demais e doeu na carne.

    ResponderExcluir
  4. É, Milene, infelizmente, cenas como estas do clip fazem parte do dia-a-dia da cidade onde vivo.
    A solução a longo prazo é: EDUCAÇÃO!
    Mas, qual o candidato que falou nisso com uma proposta séria e concreta?
    O princípio do fim disto foi adiado por mais quatro anos, independente do resultado das eleições.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  5. - Milene, o Leonel tem razão. Educação, educação, educação... nosso maltratado país precisa de uma overdose disso. Como poderemos formar adultos responsáveis sem isso?
    - Mas enquanto o poder público não assumir esta missão de verdade, cada um de nós deve fazer alguma coisa concreta. Da minha parte, entre outras coisas, eu liberei para uso didático irrestrito um conto do qual possuo os direitos autorais, devidamente registrados. Seu nome: "Os Sete Ramos de Oliveira". Os amigos podem me ajudar, divulgando essa informação na rede públca e nas escolas particulares.
    - Um abraço carinhoso, militante!

    ResponderExcluir
  6. Olá Milene,

    Hoje no Dia das Crianças, fiquei pensando na minha aluna (criança de 6 anos), cuja alegria foi ter passado o final de semana com o pai e ter comido 'manteiga com bolacha'...isso mesmo...pasme! Os olhinhos dela brilharam ao relatar como era bom ir à casa do pai pq lá tinha comida.
    Me emociono demais com a historinha de vida dos meus alunos... tão pequenos na idade e tão gigantes em sofrimentos. Como é o caso do meu outro aluno, o 'Jonh'...que chega sempre na sala sem caderno... sabe o motivo? o pai usa as folhas para fazer cigarro... pois é, além de usar o caderno do filho para esse fim ainda permite que a criança o assista fumando o 'cigarrinho do diabo'...
    Muitas vezes, as crianças precisam de tão pouco... nada de barbies, video game,carro de controle remoto
    ... só carinho... cuidados... amor...atenção... bastariam para torná-las felizes.

    Aos meus alunos, dedico esse dia... que elas possam ter vivido realmente como crianças... brincando... tendo alimentos e longe de qualquer tipo de violência.

    Bjoss Miloca

    ResponderExcluir
  7. É Milene.....

    Ser lembrado dessas outras tantas crianças, faz com que desejemos outras coisas que meros brinquedos da moda às nossas crianças.

    Verdade nua, crua e desumana!!!

    Abraços,
    Mônica

    ResponderExcluir
  8. Oi MI!

    Pois é, tanta verdade dói né?

    Belo post!

    Beijos
    Lia

    ResponderExcluir
  9. Olá, Milene!
    "Financeiramente desfavorecida" foi ótimo!
    Obrigado pela indicação e o selo!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  10. Olá amiga.
    Que bom contar com o seu carinho, obrigada duplamente, pela sua visita, e pelo comentário nas asas da coruja, fiquei super feliz.Quanto as nossas crianças, que Deus as carregue no colo,posto que muitas vezes foram arrancadas dele, muitas vezes esquecidas a própria sorte, que as que podem continem podendo, mais cresçam sabendo o verdadeiro valor da vida, já as não podem tenham como presente, um anjo da guarda, que poderá ser um de nós, que lhes estenda a mão.Beijos.

    ResponderExcluir
  11. É triste mas é fato: algumas comemorações contemplam apenas parte da sociedade, daquela que olha só para o próprio umbigo. Não podemos salvar o mundo, mas alguma parte dela já é alguma coisa.

    Infelizmente há sim aquelas citadas nesses texto fortemente verdadeiro. Mas é para não aumentar essa fileira desfavorecida que damos o suor do rosto para tornar nossa prole produtiva diante da vida, mesmo sentindo muito pelos que não tiveram e não terão a mesma sorte...

    Que Deus abençoe as nossas crianças, e também a dos outros!

    Abraços!

    ResponderExcluir