quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

AS PALAVRAS


Havia um amigo, o Patrick... Congolês legítimo. Ele tinha medo das minhas palavras escritas. Falava que era completamente diferente me ouvir e me ler. Minhas palavras faladas eram doces e as escritas rudes. Sempre ficava confusa com tal afirmação, pois eram as mesmíssimas palavras... Quem sabe o fato dele me recitar poemas em francês, embora eu não compreendesse bulhufas, tornasse a minha voz mais suave ao fone. Talvez esse fosse o truque pra adocicar o azedume de alma minha?

A bem da verdade, acho que as pessoas, os leitores, dão as palavras escritas o peso que querem dar. Tantas vezes recebo respostas dessas tais palavras, num tom de mágoa como se houvesse proferido um soco na boca do estômago de alguém e na maioria absoluta nem foi essa a intenção. Foram apenas palavras e essa minha mania de esmiuçar as coisas. Talvez eu deva parar de tanto esmiuçar as coisas e deixarem-nas acontecerem, simplesmente.

Na minha última postagem devo ter causado uma impressão equivocada acerca de minhas considerações sobre o Natal. Nada ali representa o que eu não penso, em absoluto! Mas à primeira leitura pode dar a entender que passo o período de festas natalinas e afins deprimida, com raiva do mundo que está feliz quando tantas pessoas estão tristes e famintas. Não! Nunca! Meus sentimentos não são diferentes dos de ninguém, de vez em quando consigo seguir o raciocínio comum. Eu só quis dizer que lamento que todos se encham tanto de bons desejos, boas energias e elas se esvaiam tão cedo, assim que começa o ano e tudo volta a ser como sempre, no estilo “sai da frente senão eu te atropelo”.

Eu lamento sim pela humanidade e não me considero hipócrita por isso, ainda que reconheça as minhas culpas... E reconhecer as culpas pode me fazer ser uma pessoa um tantinho melhor.

Amanhã não vou estar em casa trancafiada dentro de mim mesma, vou sair, passear, estar com minha família e amigos, coisa que amo fazer a qualquer dia do ano... Mas se será no Natal, que bom! Vou dar um sossega leão na Vê e mandá-la às favas só um pouquinho, vou beber sim! Eu não culparia o Natal pelo que por (des)ventura não tiver dado certo pra mim... Mas eu lamento sim! Por um bom tempo sei que ainda vou lamentar, embora isso não me impeça de seguir.

E também como todo mundo, me vejo cheia de planos pro ano vindouro. Quero que coisas determinantes me aconteçam. Preciso que elas aconteçam. E farei o máximo pra não atrapalhar minha própria sorte, porque sou cátedra nisso. Está pulsante em mim o desejo de voltar a estudar e não quero que se apague... Mas a firmeza dos meus planos tem a força de um sopro, quase sempre. Quem sabe dessa vez faço diferente... Quem sabe!


Não é possível finalizar essa postagem sem me render em encantos, agradecimentos e tanto carinho pelo que Rodolfo, o bruxo cujo poder de magia atinge inevitavelmente a quem o conhece, me proporcionou em sua postagem PASSEIO. Por favor, nos acompanhem na viagem mais bacana que se teve notícia. Repito aqui um tanto do que lhe falei em coment: Me comoveu tua atitude em enviar-nos emails sugerindo que fôssemos ao Altar de São Francisco acender velinhas virtuais, pois o Tatto iria gostar. Fizeste isso apenas pra que um amigo se sentisse melhor... Fizeste pelo outro, pura e simplesmente. Sei da indelicadeza em tornar isso público, mas achei a coisa mais linda do mundo. Você sim é o Natal, bruxo querido. Verdadeiramente e constantemente o Natal. E se não houvessem outros motivos de agradecimento ao ano que se vai, merecer a amizade e o cuidado de alguém como você, já seria motivo o bastante pra isso. 


Abaixo, a singeleza encantadora do poema que mereci. Roubei do Sete Ramos sem ao menos lhe pedir permissão... Prenda-me se for capaz!


PARA MEMEM

Da rosa roubaste a cor,
Da violeta, o perfume;
Em nós despertaste amor
E um pouquinho de ciúme.

Um Principezinho amável
Já disse, em palavras vivas:
"Serás sempre responsável
Por aquilo que cativas."

Tantos corações roubaste,
Tantos risos há agora,
De alegria e emoções;

A todos nós cativaste
E a inquietude hoje mora
Dentro de mil corações.

(Rodolfo Barcellos)



Obrigada por tanto, moço!

E que tenhamos todos um Natal esplendoroso.

11 comentários:

  1. Intão tá, né? Penso que é assim mesmo... há uma grande diferença entre o falar e dizer, escutar e ouvir...toda e qq leitura se faz a partir da tradução, sempre traidora, de quem a faz! De tempos em tempos não (des)cobrimos um mesmo texto? Um NATAL ALEGRE e FELIZZZZZ procê(s)minina-ternura!!!
    Beijuuss alegres e felizes(?)n.c.

    ResponderExcluir
  2. Milene,
    Nunca deixe de esmiuçar as coisas!

    Desejo-lhe um Natal impregnado da sua verdadeira essência e que 2011 corresponda aos seus anseios.

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  3. Vim de corrida, deixar um beijo e desejar tuuuuuuuuuuuuuuuudo de bom nesse Natal e sempre e obrifgadpo pelo carinho!bjs chica

    ResponderExcluir
  4. Milene, eu bem que falei no Asteróide que é assim mesmo: Natal é licença para sonhar, mas não esquecendo que depois vem a vida real de novo.
    O poema foi bem merecido, pois o Rudolph nunca falha!
    Se vai beber, como eu vou, não dirija esse fusquinha, senão você pode errar o beco e cair na idade média, sem vodka para voltar!
    Abração e mais uma vez, Feliz Natal!

    ResponderExcluir
  5. O que ocê tá tentando ixpricá é igual vovó fazia cos fejão na mesa surrada de táuba ao lado do fogão de lenha.... Ispáia tudos eles e vai "ismiuçando" ponhando us fêin dum lado e os bunitin do outro !!!
    Agarânto que Dna. Lourdes pode ixpríca mió... nénão ?

    Bejô Nataliciâno chêi de isperânça
    Tatto

    ResponderExcluir
  6. - Milene, sabe aquele milagre que uma professorinha faz? Sabe, sim... você é uma. Elas multiplicam o conhecimento da mesma forma que um certo Homem multiplicou pães e peixes. E você, Milene, sabe como multiplicar os carinhos que recebe, e devolvê-los em dobro, e distribuí-los às mancheias, e iluminar, senão o mundo, pelo menos a alma de quem se achega a você. É por isso que eu não largo do seu pé, e não pretendo largar nunca.

    PS: Castigue a Vê, mas quando beber, cuidado com os degraus. Feliz Natal, Memem Sassevasá Memem!

    ResponderExcluir
  7. - Moça, acho que sem querer te dei uma rasteira... deixa avisar a turma que O Passeio é agora a segunda postagem, logo abaixo de Aula pra Bios... na pressa de atender a Rê, acabei te atropelando. Mas vc sabe como ajeitar o link, não sabe?

    ResponderExcluir
  8. Menina, você é merecedora de todo o carinho que possa haver nesse mundo...
    Que você tenha um Natal muito feliz!!!!
    E que em 2011 seus planos saiam da imaginação e se concretizem, mesmo que aos pouquinhos, ta?
    Um beijo enorme!!!
    Fica com Deus

    ResponderExcluir
  9. Memem amada...
    linda minha, to aqui querendo ler mas não da
    tempo.. em casa leio do jeito que gosto com calma no meu silêncio...
    olha as borboletinhas estão nesse site aqui; vai lá elas são lindas mesmo...

    bjO memem do meu coração...
    depois volto e comento...

    http://www.crazyprofile.com/butterfly/butterflies.asp

    ResponderExcluir
  10. BIOS em treinamento no blog alheio mas sempre amado
    Beijuuss n.c.

    ResponderExcluir