quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

SEM RIMA (SEM RUMO)


Não sou canção
Não percebo a métrica da poesia
Não inspiro poemas
Não sou tanto
Ou quase nada
Sem lirismo
Sem assunto
Sem bom senso
A loucura é minha opção
Escolhi a amargura
Simplesmente respirar
Sem buscar obviedades
Nas coisas
Ou sentimentos
Tudo ficou tão surreal
Percebo o paradoxo de amar o impossível
Como é possível?      



Por : Luck e Milene




Frases colhidas apartir de um papo entre dois amigos, inquietos irrecuperáveis, que abrem suas almas um ao outro sem cortina alguma... Fazem mais fácil o seu caminhar porque estão um ao lado do outro, ainda que distantes. Surreal! O papo foi promovido à frases arrumadinhas sem que ele soubesse... Oxalá o resultado o contente.



20 comentários:

  1. Mi... não conheço o Luck... mânsss que "soberbo" ficou esta união... Até o posicionamento e tamanho da grafia escolhida ficou na medida... car***
    Da foto então nem vou comentar "gozei" ... rss

    Parabéns... aos dois ( Jurei mentiras ... e sigo sozinho )

    Só me resta um gemido... meus caminhos tortos....

    DéusssssssssssVosEncaminhe...
    Tatto

    ResponderExcluir
  2. Memem amada minha!!!
    choque!!!!
    to bege!!!
    me amarrota, que eu tô passada!!!
    kd "Déya" ai??
    tudo bem que sou meio lirica, mas de resto...
    affff é isso mesmo dorei..
    extranho não? mas gostei mesmo!

    "Tudo ficou tão surreal
    Percebo o paradoxo de amar o impossível
    Como é possível? "

    BeijO amada minha...

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  4. Tudo perfeito!...

    Imagem belíssima! Retrata o amor insano quando diz!"Percebo o paradoxo de amar o impossível"... é surreal mesmo!
    Dupla perfeita... sintonia total...
    Parabéns pela inspiração... que outros papos sejam trasformados em poesia.
    bjoss

    ResponderExcluir
  5. Quando cê pará de me istapiá eu vorto prá comentá, visse? Tô toooooda duidona dos seus tapa ni euzona...snif...snif
    E eu quero é falar com a minha minina-ternura, com a limonada sem açucar quero nauuuuummmmm...
    bijim

    ResponderExcluir
  6. Milene... vou dizer uma coisa pra vc: contentou demais da conta, sô! Ficou irreconhecível de tão lindo... mas não tenho mérito ou crédito algum, só entrei com a insanidade... a poesia é toda sua!
    Beijos, moça... quando a vida se torna um deserto, vc é meu oásis!
    Nem mais tâo anônimo assim: Luck

    ResponderExcluir
  7. Pronto, eu volteiiiiiii agora prá comentar...pq aqui, aqui é meu lugarrrrrr rsrs (tô pior que a pior mulher de malandro!!!)Primeiramente: cê bem sabe que te amo de qq maneira... aliás, "percebo o paradoxo de amar um limão...como é (im)possível???"
    Segundamente: escrever assim a quatro mãos é prá quem tem competência!
    Loucura da genuína criação!!! E por opção não escolho a amargura (só esse pedacim)prefiro a rapadura...pq a VIDA/RAPA é doce mas não é mole não!!!!
    Beijuuss açucarados na minha minina-ternura,deliciosamente (agri)doce

    ResponderExcluir
  8. Parabéns aos dois,LINDO!!! beijos,chica

    ResponderExcluir
  9. Olá, Milene!
    Belíssimo bate-papo!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. - Já te chamei de ladra... ladra de corações. Agora cê tá querendo que eu também te chame de Mi-ntirosa?
    "- Não sou canção"? O que você é? uma marcha fúnebre? uma dança macabra?
    "- Não inspiro poesias"??? E o que é que nós escrevemos pra você, musa? anúncios de coca-cola? classificados de imóveis?
    - Mas não vou me arriscar a chamá-la de Mi-ntirosa; depois teria que aguentar sua choradeira...
    - Não, vou chamar você de POETISA, queira ou não queira. E o "jus poetans" (latim a conferir) contempla gente como você com uma tal de "licença poética", que lhes permite "esconder a nudez crua da realidade sob o manto diáfano da fantasia" (quem foi mesmo que disse isso?)! E foi exatamente isso que você fez.
    - E parabéns ao Luck... que, como co-autor involuntário e, principalmente, como "muso inspirador" (sem ironia, por favor!) me deixou - admito - com uma pontinha de ciúme. E - clap, clap, clap - aplausos para a Poetisa e sua obra!

    ResponderExcluir
  12. Lindo poema! Poesia não tem métrica, poema é poema, e fim de papo.

    http://submundosemmim.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Que show, hein, Milene?
    Concordo com o Barcellos, você é mesmo uma poetisa, cheia de inspiração!
    Não sou crítico de poesia, mas o que vejo me agrada, e isso é o suficiente!
    Abraços, menina surpreendente!

    ResponderExcluir
  14. Profundooooo querida

    Tudo ficou tão surreal
    Percebo o paradoxo de amar o impossível
    Como é possível?

    prefiro nem comentar se não estraga
    bjs

    ResponderExcluir
  15. Mememmmmmmmmmmmmmmm


    perdi mesmo...

    perdoa eu???

    que coisa linda...

    isso parece amor e senão for, que seja paixão...

    lindo...

    amo-te


    beijocas

    Loisane..pessoa fisica

    ResponderExcluir
  16. Êta que tem gente escondendo o ouro?!
    Dona menina Milene o que significa essas linhas poéticas? Pode avisar seu amigo Luck pra continuar com essas conversas sem rumo nem rima.

    Imagem indiscutívelmente extra-surreal, "coideloco"! kkkk

    Parabéns aos dois, gostei imenso dessa (possível)loucura.
    beijo para os dois!!

    ResponderExcluir
  17. uma perfeita junção de frases, palavras e sentimentos!
    beijo!

    ResponderExcluir
  18. Olá querida amiga Milene, sempre gentil em seus comentários, obrigado. E sem rima e sem rumo vamos seguindo a nossa vida na busca da felicidade urgente para todos nós.

    forte abraço

    C@urosa

    ResponderExcluir