quinta-feira, 30 de setembro de 2010

SOBRE FLUTUAR...

SE EU ACHO MEUS POSTS POR DEMAIS ESTICADOS NA MAIORIA DAS VEZES, HOJE SUPERAREI QUALQUER PERSPECTIVA,! MAS REPAREM, NÃO HÁ PROPORÇÃO PRO TANTO DE AMOR QUE TEM NESSA POSTAGEM, NÃO HÁ! PRECISO COMPARTILHAR COM VOCÊS O QUANTO FUI MIMADA, PAPARICADA, AMADA E ACOLHIDA POR ESSAS PESSOAS TÃO INCRÍVEIS. É CLARO QUE SEMPRE HÁ UM CAPITÃO, NÃO É MESMO? TODO MOVIMENTO QUE SE PREZE HÁ DE TER UM LÍDER E NESSE CASO ATENDE PELO NOME DE GRAÇA LACERDA, ALGUÉM CUJO TALENTO, ENTRE TANTOS, É SER ANJO NA VIDA DAS PESSOAS. AH, O QUE VALE AQUI NÃO SÃO MINHAS PALAVRAS, E SIM MEUS PRESENTINHOS, PRECIOSOS, QUE DESEMBRULHAREI PRA VOCÊS... 

COMO INTRODUÇÃO, TEXTO DELA, MINHA AMIGA GRAÇA, CUJA GENEROSIDADE NÃO CABE EM SI... VEJAM O QUE MAIS ELA ME APRONTOU EM... http://anjopratablogspotcom.blogspot.com/

"Parabéns. Afinal, não é todos os dias que se faz anos,não é? Podes até tentar recusar estes votos de parabéns, Milene,  e dizer que não é mérito nenhum fazer anos, que o tempo passa igualmente para todos e que o dia do aniversário é apenas uma convenção  a mais, etc. Mas acontece que tu mereces esta homenagem sim, bichinha do nosso coração! Pela tua maneira de ser, pela jovialidade instigante, pelo agridoce gostoso que nos faz às vezes sorrir...pela forma gentil com que nos tratas...Mereces por seres exatamente assim como tu és! Por isso, Milene, é fundamental que tenhas muitos anos pela frente, é fundamental que continues sempre assim, amiga preciosa, pois pessoas como você são imprescindíveis para tornar este mundo um pouco melhor. E se cada um tem que fazer a sua parte para que isto aconteça, fica tranquila, porque tu certamente és um dos que fazem, e com muita competência! Então, amiga, deixa de ser modesta e aceita os nossos sinceros parabéns!Que tenhas um lindo dia de aniversário!!!"
Abraços de todos os seus amigos!


A SEGUIR, A MOÇA DO DIVÃ, REGINA, QUERIDA, IGUALMENTE GENEROSA, CARREGA EM SI UM TANTO DE ALEGRIA QUE ME INSPIRA E ME CAUSA ADMIRAÇÃO... AH, NO DIVÃ TEM MAIS COISAS LINDAS EM HOMENAGEM A EUZINHA...http://toforatodentro.blogspot.com/

Não sei contar como descobri esse jardim... Mas foi nele que encontrei, entre tantas flores, uma de perfume e colorido rosado. Seu perfil diz assim: "Sou tantas! Sou a que ama, a que gostaria de ter braços gigantes e poder acolher num abraço todos a quem ama. Sou a que chora, a insegura, a palhaça. Sou a que se doa e ainda não aprendeu que se doar não implica em querer contrapartida. Sou a mulher com carência de menina. Sou a que na maioria das vezes não tem a coragem como aliada... Mas sou acima de tudo alguém que não se esconde do que é..." De flores todos sabem do meu encantamento... É presente predileto, decoração espalhada pelos quatro cantos da casa, amor apreendido e herdado de minha mãe. Conheci química, física, matemática, através de suas cores, matizes que nos campos soltas relativizam a tal ciência exata. Essa minina-ternura, Pétala Rosadinha, inquieta flor, um dia despetalou-se no meu Divã. Em amor perfumado escreveu: “Regina, um jeito amor de ser”. Fiquei tão inebriada com esse perfume exalado, de maneira simples e natural, que lhe pedi para deixar essa marca imortalizada. É que nem sempre estou primavera, bem que gostaria. Mas, quando um inverno tomar conta de minh’alma e coração posso assim me lembrar de como reencontrá-la. Estará, sempre, num pedacinho do meu coração. Milene-Flor é assim... Amor natural, despretensioso, singelo, terno, carinhoso, oferenda divina. Em braçadas florais envolvi meu coração, aconcheguei-me em suas palavras e acredito que, das flores artificiais, protegida estarei. Milene, Pétala Rosadinha, Inquietude em formato de flor: AMO VOCÊ DE VIVERRR!!! Recebe essa música que trouxe prá lhe dar. (Regina Rozenbaum)



E SOB A IMAGINAÇÃO DE MINHA DOCE AMIGA CAROL SAKURÁ, HOUVE ATÉ UM DIA ROSADO...
Dia rosado

Rosa, uma menina de 10 anos, se prepara para o passeio tão especial e desejado por toda mocinha de sua idade: ida ao shopping.

Por se tratar de um momento marcante, ela logo se prepara com um vestidinho bem charmoso, o perfume mais gostoso e sandalinha de lacinho. Afinal, para aquele 'passeio especial' toda preparação seria pouca.

A pequena Rosa, assim como todas as meninas da sua idade, ajeitou o batom vermelho e deu um sorriso para o espelho. Seus olhos amendoados, lábios finos e cabelos lisos não escondiam a síndrome de down, nem ela mesmo queria. O seu objetivo era estar linda... linda para alegrar o coração do 'alguém' muito especial.

E chegou o grande momento,seus pais buzinavam da garagem,e a doce Rosinha desceu sorridente.

Chegaram ao Shopping. Acompanhada de suas amiguinhas e pais, Rosa se sentia realizada em meio às lojas. Havia tantas opções de roupas, brinquedos e restaurantes, que a assustava e deixava um tanto indecisa sobre o que fazer e onde ir primeiro.

Depois de 'debater' com sua mãe e amigas, ela decidiu comprar um vestidinho que tanto queria.

Convidada para uma grande festa, na qual todos os seus amigos de escola foram chamados, a garota queria fazer de tudo para se sentir uma verdadeira rainha.

Foi iniciada, então, a grande caça: Mãe, filha e um 'batalhão' de meninas invadem as lojas e provam uma a uma das opções existentes. Seu Jorge, o pai de Rosa, se preparou para carregar todas as sacolas.

Gaby, Carol, Maria, Clara e Claudete se maravilhavam. Lucinda, a mãe de Rosa, e a pequenina, acompanhavam tudo com grande entusiasmo.

Horas depois... Carol, a Salvadora da Pátria de seu Jorge, sentenciou: "É este aqui! Vai arrasar com ele, Rosinha!"

O vestido era dos sonhos e rosadinho. Fundo rosa, com flores amarelas e brancas, tinha um babado na saia e enfeitado com perolinhas no decote.

Linda, maravilhosa, poderosa! Rosa era Rosadinha e muito mais que uma simples pétala. Era a flor que nos encatava a cada dia e hoje aniversariava, na condição de rainha da festa.

Na hora dos parabéns, docinhos, salgadinhos, balões, músicas e uma grande correria passam a ser a grande atração.

As luzes se apagam. Silêncio e os convidados se escondem.

E lá vem ela, toda perfumada pelo caminho, a rainha da festa, a doce e cheirosa Pétala Rosadinha!

3..2..1..Parabéns,Mi!


E MINHA AMIGA SIMONE ME FEZ ESSA POESIA TÃO LINDA, COMO SE LINDA JÁ NÃO FOSSE SUA AMIZADE PRA MIM... VÃO LÁ VER QUE VÍDEO LINDO DO TEATRO MÁGICO... http://sifsussa.blogspot.com/

Pra falar sobre você
precisaria juntar palavras com estrelas
Falar a língua de todos os pássaros e das flores
Ter o movimento silábico do vento
e entender o silêncio do momento
(no qual se falta léxico e sobra amor)

Falar do dia que você nasceu
eu precisaria assistir o primeiro raio de sol
Ir até o final do arco – íris e ver o ouro

Falar sobre você e desse presente que é ser sua amiga ,é falar de risos, desaforos, choros e saudades
É abrir o livro de todos os poemas e declamar em voz alta

Falar desse dia, é dançar rodando o vestido, como criança
é rir com a mão na boca ao ver Deus sorrindo e dançando no ar
soprando nuvens e fazendo poeira de graça no céu
( só porque é dia 29 de setembro).
FELIZ ANO NOVO MILIKITINHA!

Si Fernandes.


E ESSE MOÇO, RODOLFO, QUERIDO ACARINHADOR DE MINH’ALMA, QUE ME FEZ ESSAS COISAS LINDAS CONTIDAS NESSE VÍDEO (CONFIRAM TUDINHO, ALÉM DO POEMA PRA EUZINHA EM ...http://seteramos.blogspot.com/

video



E A CHICA, SEMPRE TÃO SENSÍVEL E INSPIRADA, ME MANDOU CARTÃOZINHO...



ANTONIO, POETA QUE AINDA NEM CONHEÇO, ENVIOU-ME ATRAVÉS DA GRAÇA ESSE POEMA ENCANTADOR... 





Uma Estrela, Flores e Luzes


(À Milene)


Estrelas, no céu, firmamento
São luzes no alto a brilhar
Que passam a todo momento
Aos olhos, de quem quer olhar!

Teus olhos avistam a paz
E teu coração a sorrir
Enquanto a voz que te apraz
De Deus e que hão de luzir!

Das flores e doces poemas
Brotam os versos  presentes
Palavras, graciosas serenas
Das luzes eternas ardentes!

Hoje eu canto um soneto
Na vida uma estrela aclamar
É festa sublime tão linda
Que as flores vieram falar!

UM ABRAÇO, BEIJO E PARABÉNS À MILENE








E PRA FLORIR A BLOGOSFERA, ESSE POEMINHA FOI FEITO E ME DOADO DE FORMA CONSTRANGIDA POR UMA AMIGA, IRMÃ, PARCEIRA DE TRABALHO, QUERIDA, ESCORPIANA LEGÍTIMA, NO ORKUT... QUE DISSE LINDAMENTE:

Botão de rosa que desabrocha,
Flor-menina ou mulher-flor?
Que mistérios carrega atrás deste sorriso meigo e generoso, 
abraço aconchegante, olhar terno...
Flor-menina ou mulher-flor?
Criança linda que o tempo não apagou!
:) Beijos e Mil aniversários...


GENTE DO CÉU! É DEMAIS PRA EUZINHA! OLHEM QUE BELEZURA RECEBI DO MACACO DA BARBA LOIRAÇA MAIS LINDA DE TODA A FLORESTA: 







AINDA RECEBENDO PRESENTINHOS QUE SE PERDERAM NO CAMINHO MAS ACABARAM CHEGANDO, AINDA BEM!... ESSE FOI DA MINHA AMIGA LU, MOCINHA TÃO BACANA, BRAVINHA SÓ DE VEZ EM QUANDO...RSRS. FOI DAS PRIMEIRAS INCENTIVADORAS DE MIM AQUI... OBRIGADA POR TUDO, CARA MIA!





AGORA ME DIGAM VOCÊS, COMO UMA CRIATURA PODE NÃO SE TORNAR UM SER ABSURDAMENTE MIMADO, RECEBENDO ASSIM TANTO DENGO? ALERTO QUE ESTÃO CRIANDO UM MONSTRINHO...
SE NÃO BASTASSE ISSO, AGORA VEJO AMIGOS QUERIDOS QUE NÃO SE CONHECIAM, INTERAGINDO... E ME DÁ UM ORGULHO DANADO DE TER SIDO O ELO...
DEFINITIVAMENTE, ONTEM FOI UM DIA PRA EU JAMAIS ESQUECER...
COM MEU CORAÇÃO DERRAMANDO GRATIDÃO, DIGO QUE VOS AMO!



terça-feira, 28 de setembro de 2010

NA CIDADE GRANDE








Quem aí nunca pagou um mico nessa vida, que atire a primeira pedra! Confesso que sou uma colecionadora desses bichinhos adoráveis, e um deles lhes conto aqui e agora. 

Há anos, muitos deles, em qualquer oportunidade eu pegava minha mochila e rumava a Maceió, pra casa de minha prima, casada, e com ela morava uma outra prima, amor da minha vida pra todo o sempre, parceira inclusive dos micos, Cida, a moça do zóio da cor do mar.



Era uma farra, passeávamos muito, ríamos de tudo, todo o tempo, enfim.
Eis que um dia fomos dormir na casa de uma tia, que ficava em outro bairro. La fomos nós de ônibus, final da tarde, horário de rush, nos sentamos cada uma de um lado do corredor do busão. Eu, feito uma matutinha, saída de uma cidade cujo maior prédio era um hotel com 4 andares, não parava de espiar pela janela aqueles prédios grandões, iluminados, aquilo me encantava.
Perdida nos meus pensamentos, mal observava o corredor, apenas sentia o vai e vem das pessoas a cada parada do ônibus. Estava segura, minha prima estava lá, tudo estaria bem. Não, senhoras e senhores, nem tudo estaria bem como eu pensava naquele momento! Quando por um instante olhei pro lado, aonde minha prima deveria estar sentadinha, sorridente... O lugar estava ocupado por outra pessoa!!! Aí percorri com os olhos cada cantinho, na esperança de encontrá-la, e nada! Deu vontade de dizer: Dá pra você sair daí e devolver minha prima? Ai, Jesus! E agora? Vou dormir na praça, na rua, na calçada? Naquela época celular era coisa de outro mundo, tinha jeito não de tentar ligar pra alguém, a não ser pra casa da tia, se alguma alma caridosa me permitisse utilizar o telefone residencial. Na próxima parada desci, era o que me restava antes de começar a berrar feito uma criança perdida. Enquanto caminhava no sentido contrário, começava a me imaginar de madrugada, pelas calçadas, cansada, chorando... Misericórdia! Aí seria recolhida pela polícia feito uma sem rumo, e no outro dia minha mãe me veria no na TV, no jornal local, com o cartaz de QUEM CONHECE ESSA GAROTA? Parei numa casa, havia uma senhora no portão e falei com voz chorosa: Moça, eu poderia usar seu telefone? É que estou perdida. A mulher me espiou com um desdém gigantesco e falou q não. Buaaaaaaaaaaaa... Era o momento exato pra iniciar a sessão desespero, mas antes que eu desembestasse a chorar, veio a luz, tive a visão do paraíso. Minha prima estava vindo ao meu encontro, sem conseguir caminhar direito de tanto rir, sujeita!. A abandonadeira de mim! Tadinha, tinha decido no ponto confiante que eu vinha logo depois dela, aí no tumulto das pessoas passando no corredor, ela desceu, não me viu e o ônibus seguiu, sob seus gritos de protesto, enquanto eu continuava embasbacada contemplando os arranha-céus iluminados. Aí fui-me!
O bom é que pudemos rir desse pastelão, no qual fui a estrela principal. Mas não brinquem não, viu? Vocês não sabem o que o trauma de um abandono causa na vida da gente. Pensando bem, preciso de um divã pra falar sobre isso e tentar me refazer desse momento traumático, mesmo depois de tanto tempo. Pensando melhor ainda, não vou mais contar meus pastelões pra vocês, oxente! Assim vou perder minha pose de moça equilibradíssima, seguríssima de si e passarei a equivocadíssima imagem de pessoa um tanto destrambelhada. Jamais! 

Plagiando o Rike... Depois teclamos.

sábado, 25 de setembro de 2010

SOBRE O AMOR...



Essa blogosfera é uma resenha (no nordestinês, resenha é o similar ao “é um barato” utilizado em tempos jurássicos no sul/sudeste). Quando iniciei isso aqui, por influência benéfica do Moisés(http://biografiadofogo.blogspot.com/), o poeta bom, meu mentor intelectual, incentivador maior de mim, ainda que tenha me abandonado no meio da estrada (agora minhas pobres orelhinhas serão arrancadas) não sabia mesmo no que daria. 

Ah, sempre fui escrivinhadora, mas ficava rosadinha quando alguém lia qualquer bobagem escrita por mim em voz alta. Aí pensei, vou lá, coloco uns poemas massas (emprestados), umas musiquitas e pronto, dá pra fazer um enrolation básico. O que quero dizer é que nem nos meus pensamentos mais otimistas imaginava que a blogosfera me retribuiria assim, com tanto amor, o quase nada que fiz. 

Aqui se faz amigos. Aqui as pessoas se importam com as outras e prestam atenção no que elas dizem. Isso tem preço não sinhô! Tive prova disso ontem, quando meu amontoado de palavras foi se encaixando no post anterior (quem ainda não leu, por gentileza o faça), sinceramente não pensei que teria de volta tanta carinho e apoio. É claro que a hipótese de sofrer qualquer tipo de rejeição por parte dos meus amigos que ainda não conheciam meu segredo secretíssimo era nenhuma, eles não me achariam menos fofa e incrível (tá, sou muito humilde, eu sei), mas sei lá... Sei lá mesmo! 

Tentando ir direto ao ponto uma vez na vida, a finalidade do blá-blá-blá da vez é cobrir de beijos e abraços um amigo em especial, que ontem me deixou estática, com um sorriso aberto no rosto minutos a fio, e os olhinhos emocionados. Ah, mas o que teria feito esse sujeito de tão especial? Se importou. Simples assim. O sujeito em questão é na verdade um macaco... Ou o macaco é um sujeito... Agora nem sei mais. Qualquer coisa dêem uma passadinha na floresta dele e tentem tirar suas próprias conclusões(http://xipanzeca.blogspot.com/). O fato é que esse símio-humano nem é dos meus comentadores mais frequentes, segundo ele, gosta de ler mas não comenta pra não assustar o povo com suas macaquices. Oh, que tonto! Mas sei que sempre vem e ler... sinto cheiro de xipanzeca pairando no meu cantinho. Gente, não consigo ser concisa, pelamordeDeus alguém me faça parar, que não termino jamais esse negócio. Bom, ontem à noite ao abrir meus emails, me deparo com essa imagem anexada ao texto que dizia: 

Milikiitinha do meu coração.... 
Como Rita Lee diria " Tu é mais macho que muito homem " ... dóro ocê



Fazi uma "praquinha" pra protestar junto contigo....... 



Envio-te-então.... rss  



Tomara que agrade



Beju


Esse homem é tanto amor, que nem tem a noção exata disso. Aí faz isso, se inspira em mim, de pura generosidade, enfim. E nem sabia ele que adoro sapinhos (irreais, é lógico), tenho até um grandão de pelúcia, meu príncipe embutido. É isso que importa pra mim nesse mundo de emoções inesgotáveis que é o virtual. Sinceramente pra tanto faz a qualidade literária que contém meus textos, essa pretensão passa anos luz distante de euzinha. Gosto é disso, de interagir, mergulhar mesmo na alma das pessoas e lá me agarrar de forma que ninguém consiga me expulsar...rsrs. E as coisas que recebo em troca, assim involuntariamente, não tem mesmo preço. 

Tentarei conter meus dedos no teclado agora, mas não sem antes trazer musiquinha... Musicão! Uma certa desassossegada(http://sifsussa.blogspot.com/), minha irmã, cuja brincadeirinha do destino fez nascer um tanto longe de mim, deu-me o link pelo MSN dizendo: Essa música é uma declaração de amor a nossa amizade... Ah, ela é chata, eu sei. E fala um palavrão que odeio! Mas viver aqui sem ela me soa estranho, improvável. Quem mais vai perguntar: "Você hoje está uma pétala azedinha?", para ler de mim um enfático SIM? E de quem mais vou roubar frases descoladas? 

Enfim tentando concluir, claro que já perceberam a roupinha nova do Inquietude, né? Graça Lacerda(http://botoesmadreperola.blogspot.com/), a moça, a professora, a tudo, me disse praticamente assim: Ou você veste roupinha nova no seu blog, ou teje presa! Sou doida em desobedecer? Aí ficamos madrugada afora embelezando meu cantinho, e tá lindo, né gente? Fofo mesmo! Pois é, sou dessas que tem amigos assim, generosos e que me cuidam. E Graça desde sempre me doou tanto amor que custei a entender o porquê. Mas não tem muita explicação, é a essência, pura e simplesmente. Ela é assim com quem ama e fui contemplada, estou lá, cativa dentre as pessoas que ela ama e agora, foi-se, amiga! Saio nunquinha! 

Agora chega! Meu teclado se rebelou! Beijos assim, agradecidos e felizes.


quinta-feira, 23 de setembro de 2010

QUERO PLAQUINHAS!

Estou aqui imbuída de um desejo incontrolável de fazer um protesto! Sim, caros amigos. Sou uma pessoa que protesta, uma cidadã consciente dos meus deveres e direitos e que não admito sob hipótese alguma ser vítima de discriminação aonde deveria estar sendo amparada.
Ora! Em todo local se vê plaquetas, cartazes, sinais politicamente corretinhos em defesa dos cadeirantes. E eu? E eu? Sou duplamente discriminada: uma vez por ser portadora de necessidades especiais (denominação comprida... Outras coisas me ofendem bem mais do que dizerem que sou deficiente) e a segunda por não ser cadeirante. Injusto isso! Eu diria injustíssimo! Quero plaquinhas politicamente corretinhas com pessoinhas de muletas! Nem nome de categoria recebemos. Existem os cadeirantes e os... Você já ouviu ou pronunciou o termo muletante? Nunquinha! Por que quando se pensa numa pessoa deficiente (odeio termos politicamente corretos) é nas pessoas que utilizam cadeiras de roda que se remete. É nas cadeiras de rodas que se pensa quando se tenta solucionar os problemas de acessibilidade, por exemplo as rampas. Adoro rampas, são minhas aliadas importantíssimas! É uma invenção abençoada, misericórdia! Mas será que quem a criou já tentou subir alguma, assim, num dia de chuva, e de muletas??? Duvi-d-o-do, como dizia minha sábia vovozinha. É uma via cruscis. Parece que a dita cuja não acaba jamais, enfim. E os pisos lisos dos estabelecimentos comerciais? Cada passo ali parece uma eternidade, é atenção redobrada pra cada minúscula gota d’água que possa estar ali, sorrateira, esperando um vacilo pra te levar ao chão.

PAUSA PARA ESCLARECIMENTO

Queridos, alguns de vocês estão surpresos por eu ser uma moça portadora de ... Ah, por eu ser deficiente física? Por favor, engulam o choro! Não desperdicem lencinhos, combinado? Caso se interessem mais pelo assunto, dirijam-se ao link a seguir leia o post SOBRE SER DIFERENTE (http://petalarrosadinha.blogspot.com/2010/01/sobre-ser-diferente.html)... Certeza eu tenho que nenhum de vocês me ama menos agora por me saberem. Amam??? Ai que mêda da resposta

DE VOLTA AO MEU PROTESTO FERVOROSÍSSIMO

Então é isso. Dia desses li num blog por aí um post de um sujeito cujo filho deficiente havia morrido naquela semana. Ele falava sobre educação inclusiva e dissertou sobre coisas sobre as quais concordo com veemência. Por exemplo, do que se adianta ficar se discutindo essa questão de inclusão, aceitação e o escambal se isso não se incute na cabeça das pessoas? Antes da educação inclusiva chegar até as escolas, é preciso que haja uma sociedade inclusiva, e a que vivemos, caros amigos, definitivamente não o é. A lei tem que dizer pras pessoas como se comportarem em relação aos portadores de deficiência e até como se referirem a eles. A lei tem que sutilmente sugerir às empresas que ofereçam vagas para essa categoria. A lei tem que obrigar os estabelecimentos a se adequarem às necessidades especiais, enfim, é tudo absolutamente induzido e não porque se acha necessário espontaneamente. Tantas vezes eu já me constrangi por furar fila (calma, gente! sei que é um direito meu), me dá até vontade de olhar pras pessoas e dizer: Vocês me desculpam? E algumas delas, se eu não forçar a barra, não cedem lugar de jeito nenhum! E em ônibus, então? Cansei de ir de pé porque algum folgado estava na cadeira que teoricamente seria destinada a mim. Ah, é pra eu ensinar um sujeito desse a ser civilizado? Eu não!
Ah, claro que é preferível ter essas leis do que vivermos sem respaldo algum, nem seria tão burra de reclamar disso. O que questiono é se chegaremos a viver numa sociedade aonde as pessoas não precisem de leis para as obrigarem a serem tolerantes e civilizadas. Euzinha não acredito, não mesmo.
Enquanto isso, fico aqui engajada (mas não muito) nessa luta incansável para que nós, bravos muletantes, sejamos reconhecidos como uma classe que também carece ser lembrada nas ruas e construções nesse nosso amado e muito pouco inclusivo país.
Sigo exigindo minhas plaquinhas!
Quero pessoas de muletinhas nas portas de banheiros, nos estacionamentos, ônibus e afins.
Com a certeza de que isso será levado em consideração tanto quanto se considera a propaganda eleitoral do Tiririca, despeço-me... Com Drummond!


 Igual-desigual


Eu desconfiava:
todas as histórias em quadrinho são iguais.


Todos os filmes norte-americanos são iguais.


Todos os filmes de todos os países são iguais.
Todos os best-sellers são iguais.


Todos os campeonatos nacionais e internacionais de futebol são
iguais.
Todos os partidos políticos
são iguais.
Todas as mulheres que andam na moda
são iguais.
Todas as experiências de sexo
são iguais.
Todos os sonetos, gazéis, virelais, sextinas e rondós são iguais
e todos, todos
os poemas em versos livres são enfadonhamente iguais.




Todas as guerras do mundo são iguais.
Todas as fomes são iguais.
Todos os amores, iguais iguais iguais.
Iguais todos os rompimentos.


A morte é igualíssima.
Todas as criações da natureza são iguais.
Todas as ações, cruéis, piedosas ou indiferentes, são iguais.
Contudo, o homem não é igual a nenhum outro homem, bicho ou
coisa.
Não é igual a nada.
Todo ser humano é um estranho
ímpar.
 (Carlos Drummond de Andrade)


terça-feira, 21 de setembro de 2010

Oizinho...

Aquela moça, a tal Pétala Rosadinha, não quis aparecer hoje, de tão constrangidinha que está por ter lhes causado tamanha preocupação. Algumas vezes as palavras tomam o controle, formam-se além de sua vontade e quando percebe está composto o dramalhão mexicano. Mas a moça sabe, mesmo que vez ou outra seus fantasmas a atormentem mais que o normal, mesmo que ocasionalmente pareça carregar toda a sensibilidade do mundo em suas costas, ainda assim não cometeria a injúria de se afirmar infeliz. Não o é, mesmo que tentasse por mil anos, ainda assim não conseguiria tal feito.

Que tal mudarmos de assunto? Anda melindrosa demais essa tal Pétala...  Esqueçamos um pouco a ruborizada.

Imbuída de uma generosidade gigantesca, e sabendo que vocês, pessoas atarefadíssimas, talvez não tenham tido tempo de ver nosso programinha preferido em horário nobre, faço aqui um resumo do dia dos presidenciáveis. Deu-se assim: A mãe de todos esteve na Bahia. Pena não vê-la correndo atrás de um trio elétrico, tal qual fará o povo em busca das melhorias...Ops! Ato falho! Continuidade das melhorias, já que tudo se encaminha tão positivamente. Alguém ousa levantar a mão e acusar algum problema social nesse país? Ai! Ai! Ai! Já o candidato tucano chorou! Foi lindo! Bradou “dos filhos deste solo és mãe gentil, Pátria amada, Brasil!” ... Quase não me contive de emoção ao ver seus olhinhos sinceros marejados de lágrimas, quando lembrei-me: E a mãe dos filhos desse solo já não é a outra, gente? Não entendo mais nada! Continuando: o candidato caçador de burguês quase conseguiu proferir uma segunda frase, eu aqui na torcida alucinada, cruzando os dedos, pensando: Agora ele vai conseguir dizer o que vai poder fazer depois de capturar os burgueses hediondos... Mas meu pensamento não foi tão rápido quanto o seu tempo. A Marina Silva ... Xiiiiiiii... Agora danou-se! Lembro direito não! Talvez tenha sido mostrada alguma estatística sobre a total paralisação das motosserras durante seu tempo de ministra.

Vocês, heim? Não cometam mais essa blasfêmia de perder o programa mais elucidativo e emotivo da TV brasileira em horário nobre. A gente sai mais leve, de bem com a vida. Lá todas as pessoinhas são cheias de boas intenções, a sinceridade reflete em seus olhares, não se vangloriam de suas ações passadas, é uma maravilha! Todos são bondosos e buscam apenas o bem comum, sem qualquer benefício próprio. Acredite! 


Aí quando me lembrei que sou hipertensa, que não posso estar a mercê de fortes emoções, muito a contragosto, tive que deixar de ver meus queridos politiquinhos... Estava quase às lágrimas! Passei a ver um DVD da Marisa Monte e trouxe musiquinha pra encantar nossa noite... Falar o que dessa mulher? Bem melhor ouvi-la!

Ah, amanhã Vê irá ao médico. Saberei se ela será separada de mim, dada pra adoção ou não. Confesso que me apeguei a bichinha, apesar  de seu coração de pedra (misericórdia, a piadinha foi infame...rsrs).

E tantos beijos.
E tanto carinho.
E tanto bem-querer!


Boa noite, meus amores