domingo, 6 de fevereiro de 2011

A Mulher Que Inventava Amores



Vivia a inventar amores, um a cada dia, das formulas mais diversas.
Intensos,
frágeis,
avassaladores,
ternos,
platônicos,
confusos...
Amores.
Pulsava com mais verdade a vida quando ela inventava os amores, ainda que esses fossem irreais... Surreais. Ali, onde os compunha, eram tão verdadeiros quanto o seu amanhecer diário. Ela os esperava, pacientemente ansiava que viessem. Gostava de imaginar que chegariam por ela... Vestia-se linda. Guardava pra esses seres inventados o seu melhor sorriso, suas palavras de compreensão e no mesmo tom a voracidade de seus sentimentos vis, camuflados e quietos naquilo que pretensiosamente ousou chamar de amor.
Entristecia se não vinham os amores, sentia-se só naquele mundo de faz-de-conta quando os seres irreais se perdiam no caminho.
E de tanto amar o que não existia, de tanto esperar quem jamais chegaria, cansou-se. 
Não mais queria ser a dona dos amores inventados.
Por um momento apenas quis que o amor a inventasse...



14 comentários:

  1. E quando acaba a gente pensa que ele nunca existiu...

    Tem coisa mais piegas que amar? Sim... é fingir que nunca amou...Acho de uma cafonice ser ''inverdadeiro...''

    E pobre de mim que vivo amando...rs

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. voltei pra dizer que parece até que combinamos ao postar sobre essa cafonice toda que é o amor...rs
    Bem bom mesmo é ler as impressões e expressões que temos sobre esse assunto kafes penk's.

    Adorei.

    ResponderExcluir
  3. O amor merece ser vivido por inteiro, não apenas imaginado,né? Lindo! beijos,chica

    ResponderExcluir
  4. Sabe, minha amiga querida e amada.
    Já dizia Lispector....
    "Quero uma verdade inventada"!
    Eu vivi um amor de verdade,
    mas hoje eu invento esse mesmo amor,
    pra ir seguindo de pouquinho...

    Um beijo nesse coração ai que se vendeu de fofo pra mim... rsrrs
    E um sol lindo pra vc..

    ResponderExcluir
  5. Além dos amores que já ocorrem na nossa vida, nós também os inventamos, como fazia essa mulher.
    Amores nunca são demais!
    O detalhe é que os amores inventados nos nossos sonhos são perfeitos, e os que ocorrem na vida só são perfeitos enquanto estamos deslumbrados por eles.
    Depois, como em tudo que existe, começamos a perceber as arestas e espinhos.
    Abraços, Bruxinha criativa!

    ResponderExcluir
  6. Milene,
    Quanto se fala, quanto se inventa e quanto se recria esse bichinho difícil de entender mas que arrebata sem percebermos os nossos corações ...

    Lindo poema !

    Quando cansarmos de exaltá-lo tudo estará perdido.

    beijos querida e obrigada pelo carinho.

    ResponderExcluir
  7. "O amor é a comédia na qual os actos são mais curtos e os intervalos mais compridos. Como, portanto, ocupar o tempo dos intervalos senão com a fantasia? "

    Beijos meus

    ResponderExcluir
  8. Olá, Milene!
    Isso até o dia em que descobrimos que "viver é melhor do que sonhar"!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  9. O texto é ótimo, e a música então nem se fala, como sempre muito bom entrar aqui e ler textos edificantes, sempre quis usar edificantes em uma conversa ehhehhehe, beijo Mi.

    ResponderExcluir
  10. Puxa vida que coisa bonita!Ela vivia intensamente a ilusão e a desilusão e depois de cansada,sem resultado,ainda assim,mesmo por um só momento, quis que o amor a inventasse.Procurar dentro da realidade sem dúvidas teria muito mais chances. Amei amiga! Montão de bjs e abraços

    ResponderExcluir
  11. Real, surreal, inventado ou não...eu não sei o que fazer com o amor

    ResponderExcluir
  12. - O amor feliz...
    - No passado é a saudade,
    - No presente é a verdade
    - No futuro é o sonho.
    - (Se o sonhar é liberdade).

    - O amor infeliz...
    - No passado é a tristeza
    - No presente é a frustração
    - No futuro é masoquismo
    - (Pois é nossa criação).

    - Milene... sempre textos inspiradores!
    - Beijos...

    ResponderExcluir
  13. O amor é um bichinho
    Que rói, rói, rói
    Rói o coração da gente
    E dói, dói, dói

    Ô DEUSSSDUCÉU QUE MUNITINHO!!!

    P.S.Escrevinhei igual no balaio... rssss

    ResponderExcluir