quinta-feira, 26 de maio de 2011

MISSIVA EM DESAGRAVO



Senhores Parlamentares.

Inicio essa missiva  com o sincero intuito de que estejam tendo dias absolutamente tranqüilos, inabaláveis à tempestade provocada pela moça da palavra afiada, a tal Amanda Gurgel. Empenho nesse momento minha total solidariedade a vocês, meus amigos... Posso chamá-los assim, não é? Afinal temos uma relação de imensa confiança e companheirismo, por isso me sinto à vontade para tratá-los com tamanha intimidade.

Proponho tentarmos juntos buscar a compreensão acerca do ato intempestivo dessa professora. Como ela foi capaz de afrontá-los daquela forma? Moça mais extremista, concordam? Apenas porque sua rotina deve ser um tanto dura, tendo que sair cedinho de casa, enfrentar transportes cheios, encarar turmas superlotadas, desmotivadas... Só porque repetem o mesmo processo até três vezes ao dia, fazendo uma tripla jornada de trabalho... Só por terem que perder finais de semana corrigindo trabalhos, aprontando diários de classe... Só por viverem nessa ciranda maluca, sem tempo pras suas famílias...  Por não terem o mínimo estímulo e tempo pra se dedicarem à leitura, fator determinante pra um bom desempenho em sala de aula... Só por isso? Quanto exagero!

A professora da palavra afiada se queixou do salário recebido pela categoria, meus amigos. Disse que no seu holerite consta um número de apenas três dígitos, inclusive dos profissionais com especialização. Pelo que pude entender, depois de ter cursado a faculdade, apesar das adversidades, buscam se aperfeiçoar na profissão para desempenhar sua função com mais propriedade... São anos de estudo intenso paralelo ao trabalho, objetivando uma maior tranquilidade salarial, então eles ficam zangados quando seus propósitos caem por terra.

Mas isso seria motivo suficiente para tanto destempero, para essa perseguição desmedida a pessoas tão bem intencionadas? Quanta audácia a proposta para que tentassem sobreviver por um mês com o tal salário de três dígitos. Com a imensa humildade de vocês, sei que tirariam de letra. Isso não implica dizer, porém, que seja injusta a remuneração dos nobres ocupantes das cadeiras das assembléias Brasil afora. A moça destemida deveria levar em consideração o quanto lhes foi sacrificante chegar aonde chegaram. Foi preciso convencer a todos nós de que votar nas suas legendas era a nossa opção mais inteligente, embora alguns de nós não tenhamos oferecido tanta resistência nesse convencimento. E depois de eleitos, há de se fazer justiça ao esforço tremendo nessa penosa jornada de trabalho de terça a quinta-feira. Eu aqui me canso só de imaginar tamanho esforço. Além disso, há o cansaço moral, não é? São obrigados pelas circunstâncias das leis criadas por vocês mesmos a fazerem uso do tal auxílio moradia-combustível-passagem-aérea... Imagino o quanto é constrangedor. Sei que se pudessem não o fariam.

Essa moça deve compreender e enaltecer o apego que os deputados tem ao seu cargo. E analisando pelo ponto de vista salarial, da carga horária exaustiva, além dessas vantagens um tanto amorais, fica difícil entender como tantos querem estar nas tais cadeiras.

Em outro aspecto ela também foi injusta com a classe parlamentar: pegou os meus amigos de surpresa e isso não se faz. Vocês estão acostumados com os embates mais densos, as agressões verbais, mas ela chegou tranquila, tomou pra si a palavra e o fez como quem sai numa valsa pelo salão. Não alterou jamais a voz e os fez silenciar. Ela os deixou sem argumento e não é certo agir dessa forma contundente com pessoas tão articuladas e lisas.

Será que essa comoção em torno do discurso da professora resultará em algo significativo? Não se preocupem, meus caros. Pessoas com a determinação e lisura de vocês nada tem a temer. Durmam o sono dos justos e puros, com a sensação de estar fazendo pela população tudo aquilo proposto pelo seu cargo. Sabemos que sempre tomam as melhores decisões... em causa própria. Mas se não fizerem por si, quem o fará, não é mesmo?

Para o caso de alguém ainda não ter visto o pronunciamento da professora, deixo aqui o link para que se veja o quanto ela foi insolente ao proferir verdades indizíveis a seres de alma genuína e rara conduta profissional.

Meu abraço solidário.


23 comentários:

  1. Milene..estou pasma!! Estou de boca aberta e olhos arregalados.
    Seu texto é digno de sair na Veja.
    Não continuo com meu comentário por total falta de palavras.
    Todas as verdades foram ditas em sua escrita!!
    Parabéns,
    bj, com admiração..
    Ma Ferreira

    ResponderExcluir
  2. Concordo com a Má Ferreira, espaço na Veja pra Mi agora, adoro seus textos e a Amanda realmente foi direto ao ponto, não precisou gritar nem fazer alarde apenas foi lá e falou a verdade, beijão Mi.

    ResponderExcluir
  3. - Ao ler sobre o assédio verbal a que foram submetidos os nobres representantes do ínclito povo potiguar, vieram-me aos olhos lágrimas... de crocodilo.
    - Beijo-te, brava advogada dos injustiçados!

    ResponderExcluir
  4. Sacanagem repetir que o teu post podia ser um editorial da revista, né?
    Mas é isso mesmo!
    Tanto a mocinha potiguar que encarou as feras como você estão de parabéns pelas denúncias!
    Abraços, Milene!

    ResponderExcluir
  5. Ah, meu anjo os nossos deputados...
    Haja latrinas.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Por aqui ´ha muito disso,sem vergonhas é mato.

    Beijo e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  7. Insolente, indecorosa, injusta!!!

    Não, Mi, não tou brava contigo não, estou indignada mesmo é com a atitude ousada e de total falta de justiça e falta de compreensão da nossa colega Amanda!!
    Cê viu? Não pode...
    Me alio a você, nesta nobre causa em defesa dos nobilíssimos deputados por ela ofendidos!!
    Foi por demais constrangedor, uai!! Foi sim.

    Mas, por outro lado, Mi, vai que a bichinha tá certa...
    Por via das dúvidas, me inclua aí...

    Eu vou nessa também, na escavação dos buracos.

    Beijos grandes!
    Tua fala tá melhor ainda que a geradora de tamanha polêmica, e oxalá encontre ressonância nos meios governamentícios!

    ResponderExcluir
  8. Estão de parabéns, você e a mocinha chamada Amanda. Pelo extraordinário texto e pela simplicidade encorajada de palavras verdadeiras àqueles por ela enfrentados com tamanha firmeza.
    Continue na luta vc também.Bjo

    ResponderExcluir
  9. Milene..
    Se vc me permitir em postar este texto em meu blog com uma peça de ceramica que escolherei..citando logico a sua autoria e o seu blog.
    Fique totalmente a vontade se vc achar que não é pertinente.
    Mas um texto como seu merece ser espalhado aos quatro ventos..
    Um bj
    Ma

    ResponderExcluir
  10. Eu seria mais explícito... rss
    Mas estragaria seu post...... tão bem fazidinho!

    DeusssssssssssskiNosAjude
    Beijos rosadinhos
    Tatto ( O Sócio )

    ResponderExcluir
  11. B R A V O!!!

    estou contigo.
    minha admiração.


    há uns dias atrás tbm dei-me ao luxo de "enviar" um singela cartinha a um determinado parlamentar:

    http://bemditaspalavras.blogspot.com/2011/05/bolsonaro-nao-perca-oportunidade.html


    bjsmeus

    ResponderExcluir
  12. Adorei seu texto. Quem dera se nosso Pais tivesse mais deputados disposto a colaborarem. A professora foi muito fatal no seu discurso.
    Parabéns pelo texto. Um abraço!

    ResponderExcluir
  13. Amanda Gurgel !
    daquela voz contundente ninguem escapa...

    Embora seja preciso inúmeras lutas para que algo mude. sempre espero que se tenha pelo menos força para se indignar , e coragem para lutar por melhorias.

    Para que não pensem que temos somente amor a bandeira , e um coração delicado.

    excelente postagem , milene !
    vi voce de mãos dadas com amanda gurgel!

    beijaço !

    ResponderExcluir
  14. Aqui na minha cidade estou comandando um protesto contra o prefeito no outro post do meu blog vai constar a parodia da campanha dele, vamos fazer do Brasil o pais melhor

    ResponderExcluir
  15. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  16. Milene,

    assim que tiver um tempo, minha amiga, gostaria muito que visse meu Depoimento nos Botões de Madrepérola. Sua opinião será de muita importância pra mim.
    Um abração! E grata, antecipadamente.

    ResponderExcluir
  17. Quer saber MilenA, você costurou o tapete vermelho para a "pobre" nobreza parlamentar passar e sentar-se na cadeira da justiça para ouvir todo atrevimento da professorinha.

    Pra falar a verdade li agora o depoimento de Amanda e fiquei perplexa pela coragem da moça, e feliz de saber que (ainda ) neste bRaSiL existam vozes que levantem o voo da verdade e calem a boca dos desajustados. E isso ela o fez, e com maestria.

    O que fica é sempre a dúvida se a repercussão deste fato mudará os digitos dela e de tantos trabalhadores que dão o sangue pra sobreviver aqui nesse mundinho de Vera Cruz.

    E Miss Betânea Ramalho, com toda sua postura de dama, falou,falou e não disse nada.
    ... Estamos ao Deus dará.

    Aplausos Mi, pelo texto bem delineado, de fácil leitura e com aquelas pitadas irônicas veladas que uma boa crônica deve ter.

    meu afeto caríssima!

    Lu Cavichioli

    ResponderExcluir
  18. Milene..publiquei o texto no meu blog com o tema:
    FLORES PARA MILENE. Espero que vc goste.
    Muito obrigada por me permitir publica-lo.
    bj
    Ma

    ResponderExcluir
  19. Embora não entender o 'por que ' [ perdão, meu teclado está ruim, não tenho dinheiro para comprar outro no momento ] ou qual a causa a ser defendida, venho atrasada e redundante, dizer que,sou grande admiradora dessa cronista.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  20. Nada como lê-la assim...me encho de orgulho de ti (posso?)E ao ler o 1º comentário - da Ma - me lembrei de muiiiito tempo atrás, quando vc escreveu aquela... Da des_ilusão com o Sr.Lula e seu PT. Essa é mais uma crônica, amada minha, para seu livro!
    Beijuuss n.a.

    ResponderExcluir
  21. Li no blog da Ma, e amei! Parabéns!
    Já está fazendo a divulgação, além do blog? Enviou a alguma revista ou jornal? Tem tudo para ser publicado! Como a Ma disse: "Tens o dom da escrita!".

    Beijos,
    Débora.

    ResponderExcluir
  22. Olá, Alba!
    É por essas e outras, e muitas outras, e nenhuma outra, que sempre voto nulo!!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  23. Pena que o governo não sensibiliza. Mas a professora, tem pulso forte. Tem palavras mais fortes ainda e tem sabedoria...
    O que melhor achei, foi ela ter feito seu discurso, "cara-a-cara"...se não resolver em algum item, pelo menos ela desabafou, com quem merecia ouvir.
    Uma noite linda amiga.
    Bem de paz.
    Um grande abraço,bem carinhoso.

    ResponderExcluir