sexta-feira, 13 de maio de 2011

SESSÃO RELICÁRIO - O Bruxo e a Camaleoa


Ela, menina do Rio, mulher dos verbos insanos, camaleoa, poeta... A arte e ela são uma coisa só, se misturam e se confundem, tal é a sua intimidade nesse mundo das prosas e versos. Um dia vai se erguer o Café Poético, cantinho singular em que música e poesia se fundirão num clima de rara harmonia, onde se beberá poema sob os acordes do velho violão...    Um dia será tudo uma coisa só.

Ele, homem de Niteroi, poeta, avoador e bruxo. As palavras o amam, ele as venera.  Poucas vezes foram tratadas com tanto esmero e em troca se fizeram lindos poemas. Amante dos sonhos, alquimista das letras, protetor das flores noturnas, acalentador de estrelas...  Um sujeito cuja esfera intelectual alcança o inimaginável... Mestre na arte de amar as pessoas, o céu sem fim... A vida.


Um dia, se juntaram no meu Relicário... E fez-se poesia.


LABAREDAS


O FOGO QUE LAMBE NOSSAS ENTRANHAS
TORNA TUDO DENTRO DE NÓS EM BRASAS
TRANSFORMANDO AS NOITES EM MOMENTOS FEBRIS
PROVÉM DE NOSSAS ALMAS QUE ARDEM EM CHAMAS

EU SOU O CARVÃO DE QUE TU TE ALIMENTAS
E EU SOU QUEM TE AQUECE COM MEU HÁLITO QUENTE
SOU VULCÃO ESCORRENDO LAVA
COMBUSTÃO AO TOQUE DE NOSSAS PELES INFLAMA

TU VIRAS FUMAÇA, E EU VIRO CINZAS...
EU QUEIMO E TU ARDES
TU SOBES AO CÉU, EU MORRO NA TERRA
E REVIRAMOS A NOITE EM DESEJOS
                                                                                                                      FILTRANDO NOSSOS GRAUS
DERRETEMOS EM SENTIMENTOS
CONSOME-NOS OS QUERERES
TÓRRIDOS MOMENTOS

E FINDO O CARVÃO AQUIETAM AS CHAMAS
E NÓS IMERGIMOS NA ESCURIDÃO...
OS SENTIDOS SE CONFUNDEM
EXAURIDOS DE TANTA EMOÇÃO

SÃO MEUS IRMÃOS O AR, A ÁGUA, A TERRA
E EU BUSCO A TI ENTRE OS MORTAIS
POIS DENTRE TODOS FOSTE A ESCOLHIDA
PARA ALIMENTAR-ME PELA ETERNIDADE

E SABERÁS QUANDO ME APAGARES
SABEREI QUANDO TE SOPRAR
SENTIREMOS OS SINAIS MORNOS
QUANDO ESSE IDÍLIO PASSAR
  
DESCANSAREMOS POUSADOS EM FRAGMENTOS
ETERNIZAREMOS EM FUMAÇA
VIVEREMOS PRA SEMPRE BRASAS
COBRINDO DE CINZAS NOSSO LEITO


(Si Fernandes e Rodolfo Barcellos)

11 comentários:

  1. Que bela conjunção poética, muito e muito meso!

    Bj.

    ResponderExcluir
  2. - E nasce outro Relicário,
    - Brotando em Inquietude,
    - Celebrando o aniversário
    - De um Balaio em plenitude...

    - Mi, eu demorei um pouco pra comentar porque precisei tirar um cisco do olho. Obrigado, minha querida.

    ResponderExcluir
  3. Essa dupla é fogo!
    Uma parceria quente!
    Lapa e Niterói unidos numa só mente!
    Sob os auspícios da galeguinha da terra do fumo!
    Já tô todo queimado!
    Falando sério, aqui neste blog não se perde a viagem!
    Abraços, Si, Milene e Rodolfo!

    ResponderExcluir
  4. Nossaaaaaaa gostei disto, Café Poético... café e poesia, música e poesia, arte e poesia...
    Sabe este tbm é um sonho meu e confesso de mais uma amiga aqui de Joinville, ter um lugar para discutir os rabiscos, os riscos e as agruras do ser...
    Gostei!!! Qdo este café abrir, quero tomar um capuccino e ouvir as palavras da alma de alguém...

    ResponderExcluir
  5. SALVE MI QUE NÃO ME DEIXA ESQUECER
    POR ESSAS E OUTRAS É QUE EU TE AMO TANTO!

    E ESSE ALQUIMISTA DE NIKITI NUM É FRACO NÃO.
    BEIJOS MEUS AOS DOIS !

    ResponderExcluir
  6. Olá, Milene!
    As coisas boas também têm que voltar de vez em quando!!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  7. Olá querida Mi,

    Este é um momento de grande elevação.
    Maravilha poder privar da arte de escrever pensamentos, perfumando-os numa conjugação de emoções para nós aqui transferidas de forma sublime e encantadora.
    Puro alimento...

    Minha admiração pelos poetas e por ti que nos prestas momentos deliciosos.

    Beijo e kandando com muita ternura

    ResponderExcluir
  8. Mi,
    Que maravilha é essa? Amei!
    Dupla maravilhosa.

    Um beijo,

    ResponderExcluir
  9. Ow o sul tem todas as estações num mesmo dia, mas eu sou de Curitiba serra acima e lá o frio congela a alma e os sorrisos, já Joinville é quase litoral, a brisa marinha nem chega neste quase vale, cidade úmida e quente porém de pessoas alegres e empáticas...

    Eu sou como o vento, tô por aí... vezes forte, vezes fraco...

    Teu blog é fantástico!!!

    ResponderExcluir
  10. Essa dupla é explosiva messssmo! Aí vem vc, generosa, fazendo esse tecer: amigos, poesia, Si e Rodolfo.Ao trio meu amor...sempre!
    Beijuuss, amada, n.a.

    ResponderExcluir
  11. Milena..que poema mais lindo é este que postates??
    Adorei..sensual..forte..

    O que seria da nossa vida sem os poetas?? Que falam do amor, real, imaginário, romantico, carnal..de maneira que toca nossos coraçãoes..sempre?

    Bj..obrigada por estar por perto!!

    MA Ferreira

    ResponderExcluir