sábado, 25 de junho de 2011

ACORDAI, ACORDAI JOÃO



Me rendo em admiração pelo capricho com que ocorrem as festas juninas no Nordeste e em todo o Brasil. Viraram referência de eventos organizadíssimos e de muito sucesso. Pra mim não há festa popular mais fantástica que as juninas, adoro desde sempre, mesmo sendo a fumaça e os fogos de artifício (cujo barulho eu odeio por motivos justos) ingredientes indispensáveis.

Mas é pela singeleza da festa o meu apreço. Embora a simplicidade caipira tenha perdido um tanto de espaço para os tais eventos organizadíssimos, as quadrilhas que mais parecem espetáculo teatral, com seus figurinos impecáveis e coreografias ensaiadas à exaustão, é a casualidade da fogueirinha na porta de casa que carrega pra mim o verdadeiro sentido da época.

As quadrilhas juninas hoje parecem ter voltado ao “glamour” dos seus tempos de origem, nos salões franceses. Os vestidos das moças, todos num mesmo modelo, são tão bem elaborados que mais parecem vestidos de baile. E todos os caipiras estilizados dançam suas coreografias ágeis, quase num compasso de frevo, preocupados em não cometer falha alguma, senão a vitória na disputa se torna difícil. Antes que eu pareça ainda mais ranzinza do que o sou de fato, afirmo novamente minha admiração pela dedicação, investimento cuidado com a realização de eventos assim. Mas minha tola alma se rende à simplicidade, não tem jeito...

Retorno à casualidade da fogueira na porta de casa. Acrescento as bandeirinhas recortadas de revista velha, crianças a girarem suas chuvinhas e outros artifícios iluminadores do céu, milho assado, gente alegre a prosear e um bom forró pé-de-serra tocando, fazendo os corpos dançarem “dois-pra-lá, dois-pra-cá”, feito pedia Gonzagão. Caminhe-se pelo rincão mais escondido desse Nordeste véio de luta e nas noites dos santos festeiros uma cena assim não há de faltar. Eis o maior fascínio dos são joões de meu Deus, o dom de acolher desde os componentes chiques das quadrilhas estilizadas, às mocinhas de vestido de chita e os moços das calças enfeitadas de remendo. O ingrediente maior é a espontaneidade e a desobrigatoriedade em se cumprir ritos, como ocorre em outras festanças durante o ano. Os ritos são cumpridos apenas pela sugestão da alegria, ela pede, os matutos se danam a pular fogueira, iô-iô.

E é evidente que São João é o cara, né? A festa é em homenagem aos três santos, Mas João não apenas nomeia o período como também fez do seu dia o mais importante dentre os três. Dizem por aqui que quando chove muito na noite de São João é o São Pedro um tanto enciumado, abre as porteiras da represa do céu. Deve ser intriga tudo isso, os três se entendem e fazem uma festança maravilhosa, esperada o ano inteiro.

Santana é um cantadô lá do interior de Pernambuco, cabra bom da gota serena, que eu não me canso de ouvir enquanto meu corpo saculêja na cadeira. O cabra faz forró e poesia dos mió que há. Meu pai não conheceu. Posso imaginá-lo a tarde inteira envolvido na confecção da fogueira, pra mais tarde colocar o som na calçada e fazer Gonzagão cantar “Luís, respeita Januário” até jamais cansar. E se sentaria confortável numa cadeira na calçada, cigarro no bico, levantando vez em quando pra supervisionar o milho assando, enquanto ralhava pras crianças terem cuidado pra não pisarem nas brasas.... Eu apresentaria Santanna pra ele, que me diria: “Fia, o cabra é bom mesmo. Isso sim é cantor.”

Meu pai vive também nesses momentos únicos.
Meu pai vive.

"Eu nunca mais vou ser triste. Desse tempo eu já passei. O verbo se não existe"
O Verbo 'Se'
(Accioly Neto e Santanna)





20 comentários:

  1. - Ô, Milene, isso não se faz... me pega distraído e pinta em minha alma desprevenida essa lindeza de quadro, essa obra de arte, com as tintas da suas lembranças e o pincel de sua imaginação, essa belezura, com fogueiras e foguetes, quermesses e quadrilhas, leilão pra ajudar as obras da paróquia, a bandinha desafinada mas animada... os namoros e as cantigas, o quentão, a paçoca, o pé-de-moleque...
    - É, e o Santana...
    - E as boas lembranças familiares. É covardia!
    - Beijos, menina-vestida-de-chita-e-com-chapéu-de-palha... vamos pular a fogueira?
    - E nem pense em responder com aquela palavrinha. Ela não existe.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Milene!
    Também sou um grande fã das Festas de São João. Aprendi com Gonzagão!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  3. Pena em Brasília tem que se gastar dinheiro demais pra ir a uma festa junina decente, tanto pra entrar quanto comer as fantásticas iguarias que uma festa junina pode oferecer, beijão Mi :-)

    ResponderExcluir
  4. Quando criança não perdia uma , dançava todo ano..
    Adorava me pintar fazer tranças no cabelo, e depois da quadrilha dançar forró a noite inteira..
    rsrs bons tempos, boas lembranças..

    meu beijo querida minha..

    ResponderExcluir
  5. Eu tambem não sou muito fã da fumaça e dos fogos, mas adoro ver o clima de brincadeira das festas juninas. E as melhores que eu frequentei foi quando morava no Recife, tinha uma festa sensacional, num colégio que ficava num bairro afastado, quase numa estrada. A gente rodava para chegar lá, mas valia a pena!
    Good times!
    Linda a sua crônica junina!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Santana estava aqui, no Sítio da Trindade, pertinho da minha casa. Pena, não pude ir vê-lo. Mas já tive outras oportunidades, encontrar ele no shopping, em algum evento. Nossa, fez-me lembrar, acho que perdi a foto que tirei com ele. Buáá. Gosto muito do poeta e cantor Santanna, e não é diferente com a pessoa dele; também admiro.
    Assim como admiro você, Mi. Com tanta sensibilidade, respeito pelos outros, carinho. Você é um anjinho mesmo. E olhe, vou ter que adiar o que tenho pra lhe dizer, porque o São João me chama, ou melhor, o pé-de-moleque que tá ali na mesa.

    Beijos, minha flor!
    Débora.

    ResponderExcluir
  7. O Brasil ainda preserva algumas tradições regionais muito vivas e fortes, como a festa de Paritins que é a memória do folclore Amazonense, o Boi Bumbá e a festa de São João. Isso é importante, pois folcrore é tradição, é a história da fé e crenças originais de um povo e uma nação.

    Parabéns pela lindo homenagem a essa festa popular!

    Grande abraço!
    Adriano

    ResponderExcluir
  8. Vim aqui para avisar que te deixei algo em meu blog. Uma singela lembrança, breve homenagem, só para dizer um pouco da sua importância. Esta na minha última postagem, de hoje, dia 26/06: "Singela homenagem, sinceros agradecimentos". Ao clicar no seu nome, o seu perfil aparecerá, para que os outros leitores possam assim como eu, te conhecer e apreciar. Bom, espero que goste das palavras por mim deixadas, são sinceras e de coração.
    Enfim, você é muito especial.

    Beijos,
    Débora.

    ResponderExcluir
  9. Como deves saber cá também se fazem essas festas!Pena é que em alguns sítios estejam a deixar de ser a festa do povo e sejam um negócio! Mas enfim.
    Bjo

    ResponderExcluir
  10. Que belo post! Nostalgia gostosa do incio ao fim.
    Assim como as festas juninas, você também conseguiu juntas nesse texto vários elementos: sofisticados (como uma comparação bem feita entre as festas caipiras e as cortes francesas) e elementos tão simples que aquecem o coração, (como a homenagem a seu pai e a menção de uma bela musica).

    ResponderExcluir
  11. Oi Mi, passando pra deixar beijo e dizer que to com saudade de papear contigo.

    Boa semana, guria!
    Espero que esteja bem.

    bacio cara mia!!

    ResponderExcluir
  12. Oi Milena....

    É o meu sonho participar numa dessas festas de São João. Adoro uma alegria, adoro uma bagunça organizada.
    E o video..perfeito.

    Como sempre vc arrasa nas suas postagens..
    Um beijo com carinho.. e uma excelente semana a vc!!

    Bj

    Ma

    ResponderExcluir
  13. ADORO - Lembro quando dançava ao som de 'NEM SE DESPEDIU DE MIM'...
    E PAGODE RUSSO...
    Gostei do Santana, cabra bom!

    Bora ali dançar -

    Ontem eu sonhei que estava em Moscou
    Dançando pagode russo na boate Cossacou
    Parecia até um frevo naquele cai e não cai
    Parecia até um frevo naquele vai e não vai
    Vem cá cossaco, cossaco dança agora
    Na dança do cossaco, não fica cossaco fora

    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Me gusta mucho Santana. Fue un gusto leerte y visitarte.Me gusta tu espacio.Que tengas un buen día.

    http://socialculturalyhumano.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Lindo teu S.João e memórias e homenagem! Por aqui nem tem graça, nada mais de vê dele.Pema! beijos,lindo dia,chica

    ResponderExcluir
  16. Ah que eu gosto dessas festas.Sabe que por aqui é tão comemorada como no nordeste. Gostava mais quando eram nas ruas, organizadas pelos vizinhos que não tinham medo de colocar a mão no trabalho. Bandeirinhas, balões e as comidas típicas tudo feito com a única intenção de comungar a alegria. Agora quase não vou mais...apesar que prá esse próximo sábado pretendo ir a uma "julina", pequena e com amigos(não há final de semana em junho que dê conta de tantas!). Esse moço é bom mesmo...até dancei!
    Beijuuss, minha minina-ternura, n.a.

    ResponderExcluir
  17. Que maravilha Milene!
    Adoro as festas juninas e tudo quem vem junto com elas!
    Lindo o seu texto.
    beijo.

    ResponderExcluir
  18. Miloukinha..... Demorí mai cheguí!!

    Muito lesgaus, São João, fogos, quentão... Naum combina muito com Macaco... rsss
    Mas Gosto sim... Já trepei muito!!!! Em pau de sêbo...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    Deusssssskiajude
    Beijokitos
    Tatto

    ResponderExcluir
  19. Mi,

    adorei o Santana cantador...não conhecia, amei o vozeirão dele, canta gostoso...

    Não arranje festa, nem nada pro dia 1º de Julho, visse? não deixe a sua Vê te incomodar, , que é procê ficar bem dengosa na nossa festa de

    2 ANOS DE BOTÕES DE MADREPÉROLA
    e
    ANJO DE PRATA

    Venha! Traga quem mais quiser, que tudo vai ser uma alegria só! conto contigo, amiga, pode ser?
    Então tá combinado. Dia 1, sexta-feira. Te aguardo.

    * Vixe, que texto bom de ler...seu pai está presente, eu senti.

    ResponderExcluir