segunda-feira, 25 de julho de 2011

COM LAQUÊ E SEM MISERÊ




Hoje foi um dia especialíssimo aqui na terrinha. Recebemos a ilustre visita da Presidente Dilma Roussef e mais uma penca de autoridades nordestinas, todos bem intencionados, como é peculiar dessa categoria. Em virtude desse evento, foi decretado ponto facultativo nas repartições públicas municipais, deixando a cargo do funcionário ir trabalhar ou seguir rumo à um pista bem comprida aonde aterrissam os aviões de pequeno porte e o povo daqui chama gentilmente de aeroporto.

Com a dúvida me consumindo, bem pensei em ir à aeropista entoar gritos do tipo “oh Dilma, cadê você, eu vim aqui só pra te ver”, além do lançamento de coraçõezinhos emo, mas facultei uma terceira opção: fiquei em casa num importantíssimo processo de envio de bons fluídos, para que a chuva não fosse tirana e acabasse por estragar o laquê da Presidente.

Elazinha veio à terra do fumo lançar uns programas sociais, mais alguns que se juntarão aos dois milhões e novecentos mil já existentes. Tais projetos visam empurrar o Nordeste no elevador atômico e fazê-lo alavancar direto do miserê absoluto para o desenvolvimento... Bacaninha! “É preciso um Nordeste forte para termos um Brasil também forte”, afirmou a Dilma. Gostei disso... Vou até fingir acreditar nessa lorota de que tantos séculos depois de tanto abandono, um governante vai de fato espiar aqui pra cima com alguma atenção. A eleição nem é agora...

Mas gostei tanto que até pensei em convidar a Presidente para comer uma buchada lá no bar do meu tio. Será que ela é feito o povo todo do Sul/Sudeste e pensa ser a buchada de bode gênero principal do nosso cardápio até no café da manhã? Tolinha! Suponho que no Rio Grande do Sul, tchê, não se coma churrasco todos os dias, três vezes ao dia... Assim como os cariocas não o fazem com a feijoada ou os mineiros com aquelas delícias proibitivas para a minha indesejável Vê.

O dia acabou, elazinha se foi e eu não pude lhe fazer esse agrado. E vocês, meus caros, não fiquem enciumadinhos só porque recebi tão honrada visita, feito a minha prima Cida que ficou injuriada porque a moça não aportou no aglomerado de favelas lá de Maceió... Segundo ela não haveria lugar melhor pra se lançar um projeto anti-miserê. Cida também queria ter ido comer buchada com a Predidente... Presidenta? Mas relaxem, pessoas, a qualquer momento ela pode estar aí, sem um único fio de cabelo fora do lugar, alinhadíssima no modelito e no discurso, enquanto o ajuntado de hienas bem intencionadas ao seu lado no palanque sorriem e acenam.


15 comentários:

  1. Mi, nem vou entrar no merito do laque da presidenta..
    Mas que jeito bom de escrever que vc tem menina!
    Fico encantada. Leitura facil, critica social embutida, verdades incontestaveis, humor.. tudo na medida.
    Se eu tivesse um jornal ou uma revista, juro que te contratava. Parabens!!
    Bj
    Ma

    ResponderExcluir
  2. A famosa "presidenta" não tenho vontade de ver ela pessoalmente sério mesmo, beijão Mi :-)

    ResponderExcluir
  3. Poxa, a Ma foi malvada...rsrs...disse quase tudo...acrescento ao encanto que tua escrita me causa, o luxo de estar aqui, no palanque da sutileza, de um discurso - este sim - deliciosamente forte!

    Beijos, Mi!

    ResponderExcluir
  4. Milene,
    O seu estilo é inconfundível. É sempre um prazer ler o que escreve.

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  5. MilenA...

    Antiofídicativamente à parte; Ficou soberba tua entoada escrita.. rss

    O ápice em minha humirde opinião:-
    "Tais projetos visam empurrar o Nordeste no elevador atômico e fazê-lo alavancar direto do miserê absoluto para o desenvolvimento... "

    AvAcAgÁ di gostoso ler.. rs
    Beijo
    Tatto

    ResponderExcluir
  6. Ah minha bichinha arretada...Quando é que um jornal ou revista local vai te descobrir e lhe suplicar por uma crônica diária ou semanal? Já faz tempo que canto essa pedra e ninguém grita BINGO!!! Mesmo dizendo da buchada e das dilícias todas daqui, sabes que minha generosidade deixa essa iguaria - todinha - prá Presidenta(?), né?! E se possível, que ela fique embuchada e felizzzz em seu palácio.
    Beijuuss n.a.

    ResponderExcluir
  7. Estar aqui no seu blog hoje
    é mais uma benção divina.
    Que sua terça feira seja de
    paz e realizações na sua vida.
    Que o amor fassa parte não só dos seus sonhos ,
    mais sim uma realização .
    Ter você como amiga é muito mais
    do que mereço.
    È por isso que estou trazendo essa mensagem
    pois não quero que você me esquesa.
    Um beijo no coração pra sempre sua amiga,Evanir.
    Te Seguindo.

    ResponderExcluir
  8. Êita, bichinha enfezada!
    Sempre "chegando junto", que nem um zagueirão uruguaio!
    Quem tinha que estar aí para comer essa buchada era eu, de preferência regando com uma Pitú "caubói" contigo!
    Eu já nem sei mais o que falar dessa demagogia e paternalismo que apregoam em todos os lugares onde vão!
    Precisa de mais gente como aquela professora de Natal, para falar na cara deles o que eles precisam ouvir.
    Eu já não falei? Por mim, você entrava na VEJA, no lugar daquele chato Mainardi, que saiu fora!
    Abraços, Milene!

    ResponderExcluir
  9. A pessoa naum se acha cronista, mas É!

    Acho que a Ma e o Leonel já disseram tudo!
    A crônica tá tão boa que nem vou falar mais nada...

    só aplaudir mesmo.
    beijo lindona!

    ResponderExcluir
  10. Ainda bem que deu tempo de chegar aqui, rsrs.
    De todo jeito é jeito de te ler!...
    Você fala sobre o que é serio e brinca de escrever.

    E aqui óh essa Rezina nossa, sabe das coisas viu.
    Quando Ucê for encontrada e contratada , não esqueça de me avisar o nome do jornal\revista
    pois não quero perder uma só publicação sua..

    Beijos meus memem amada!

    ResponderExcluir
  11. Mi, esse "Certificado" ali à direita tá ficando cada dia mais besta de orgulho de você. Beijão!

    ResponderExcluir
  12. Maravilhosa crônica e deu pena quando acabou...Com teu jeitinho falaste tuuuuuuuuuuudo...rs...LEGAL! beijos,chica

    ResponderExcluir
  13. Milene, minha amiga! Tudo bem?

    Infelizmente esse assunto (nordeste X miséria) é usado desde os primórdios do nosso país pelos políticos. Pessoas que, temos que ficar bem esperto, como você bem disse, estão ficando cada vez mais escorregadios.

    Eles sabem que o eleitorado está caminhando, vagarosamente, para a conscientização, e está pegando mal fazer campanha só em vésperas de eleições. Agora o palanque é o ano inteiro.

    A indústria da seca persiste, apesar de ter mudado para indústria da miséria. Acabasse tudo isso, achariam uma nova indústria para arrecadação de votos.

    O importante, para eles, é só não melhorar mesmo a educação. Senão a festa acaba...

    Ah, e muito obrigado pelo comentário lá no meu blog. Você sempre com palavras doces! :)

    Um beijo, minha amiga!

    ResponderExcluir
  14. Sem palavras para descrever o quão prazerosa essa leitura foi. Parabéns! E eu que estava procurando futilidades na internet e nos blogs, justamente para encher de futilidades o meu blog também...Muito embora seja contraditório o que vou dizer, mas digo! Vou colocar você e seu blog na minha lista de leitura diária! Um abraço da Paulista e agora seguidora,
    Cíntia Kosugi

    ResponderExcluir