terça-feira, 30 de agosto de 2011

NO MEIO DO CAMINHO TINHA UM BABACA



Roubei esse título de uma postagem do Quiosque, cuja imagem grita tão alto que se pode ouvir de cada canto do mundo. Roubei também a referida imagem, porque não consegui aval do Marcos e assim tive que cometer o delito. Mas caso ele não goste da minha esperteza, retirarei sem problemas.

Falei nos meu comentário que já fui forçada a lidar com babacas do gênero muitas vezes na minha doce vida e assim será pra todo o sempre. É preciso seguir apesar deles. Li uma vez do próprio Marcos que não adianta impor medidas de acessibilidade quando a sociedade não está preparada pra tal. Ou seja, cumprem-se as determinações impostas pelas leis pra ficar politicamente bacaninha, mas na vera as pessoas com necessidades especiais (que chatice esse termo) continuam sendo uma pedra no meio do caminho do setor trabalhista e da sociedade de um modo geral. Li certa vez alguém comentando uma determinada postagem sobre o tema, reclamando até das guias rebaixadas espalhadas em exagero, segundo sua lamentável opinião.

A empresa onde trabalha uma das minhas cunhadas (são muitas) contratou um cadeirante. Tudo muito bonito, nos conformes, não fosse a total falta de acessibilidade do prédio construído há pouquíssimos anos. Segundo ela, quando o garoto precisava ir ao banheiro era necessário ser carregado pelos colegas, já que no meio do caminho tinha um arquiteto babaca e o sujeito fez nascer infames degraus à porta do W.C. Para não desfigurar a arquitetura arrumadinha, o jeito foi arrumar o banheiro localizado fora do prédio e agora o garoto consegue fazer xixi sem tanto constrangimento. Vivêssemos numa sociedade em que as diferenças fossem compreendidas bem mais que suportadas, um xixi especial não daria tanto trabalho...

Bem queria ter iniciado a semana no melhor estilo Poliana Menina que se fez moça (essa garota me irritava achando lindo toda a feiura), mas não foi possível. Joguei a toalha no primeiro round. As miudezas humanas me deprimem e eu desacredito. No meu trabalho eu desacredito. A educação tornou-se um mero faz-de-conta e conviver de perto com isso é deprimente. O estado demonstra o seu imensurável zelo pela educação pública quando, por exemplo, destina um professor de Matemática pra lecionar Arte ou Geografia só pra fechar a carga horária do sujeito. E depois não se compreende os resultados pífios descaradamente maquiados pra fazer valer a evolução no IDH e sei lá mais quais siglas. Esse povo burocrático adora sigla, a gente não entende lhufas e tudo segue camuflado como eles querem.

Texto longo é uma chatice. Bem tento ser concisa, mas meu velho lápis de ponta gasta hoje está impossível. Por isso não posso me furtar a comentar sobre a bizarrice ocorrida no domingo passado, no jogo entre fRamengo e Vasco, quando do atendimento ao técnico Ricardo Gomes, do clube cruzmaltino. Enquanto conduziam o moço até à ambulância, soava em uníssono um coro lá na torcida rubro-negra dizendo amorosamente: Uh, vai morrer! Misericórdia, alguém por favor me diz aonde vai parar  a humanidade bisonha, em que buraco há de caber tanta gente? Claro que não era toda a gente e isso provavelmente ocorreria em qualquer torcida, sendo da mesma estranheza desumana.

Enquanto isso, na sala de justiça, a calcinha grande da Juliana Paes por baixo de um vestido de renda transparente é motivo de furdunço e questionamento alheio. Oh, pai do céu, pare o mundo só um pouquinho pra eu descer!

Agora vou. Azedume tem limite... Quero lindas mensagens otimistas que me façam acordar amanhã com a sensação de que há no mundo muito mais belezurinha bacaninha do que a feiura estampada em todo canto.

Beijo!

12 comentários:

  1. MilenA...

    Enquanto ratos comem restos, serpentes no poder e baratas regem as leis.... O U.F.C torna-se ESPORTE nacional.... rss

    Relaxa, vai lá no Bróg do Xipan e faz a oração que seu dia vai ficar mió.....

    Deusssssssssssskiajude
    Beijo
    Tatto

    ResponderExcluir
  2. Seu velho lápis de ponta gasta está mais afiado do que nunca... parabéns!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Gosto sempre dos seus textos. Se o mundo tivesse mais pessoas como a Milene, ele era, com toda a certeza, muito mais bonito e habitável.

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  4. Teu lápis dá aula de cidadania, ética, bom-senso, humanização... mas trás a indignação com humor, "reduzindo" o texto à delícia que é te ler! (vc lá, e eu aqui...rs)

    Fico na torcida pra que o Mago te convença!
    Beijo com carinho e admiração!

    ResponderExcluir
  5. Fico com saudades desse afiadíssimo lápis azedo...confesso e me rendo. Reza lá no Peludim, dá uma volta no divã, ispia pescocinho seu e ria amaaada minha. Eu, daqui, careço desse "dispositivo" prá dá conta desse mundão desgovernado onde o próprio umbigo é monarca tirano.
    Beijuuss, minina-ternura (azedinha no ponto certo), n.a.

    ResponderExcluir
  6. Tomara muitos lápis desses ,como o teu, funcionem pra colocar à mostra nossas indignações...Incrível mesmo tudo isso! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  7. Olá Milene. Prazer.
    Há muito não comento mais nos blogs. Na verdade comento muito pouco, mas gosto de acompanhar e ler o que se tem feito na blogosfera. Eu deixo esse comentário por ser necessária a correção de rumo e deixar seu post sem delitos, oficializando a cessão da foto de meu filho Pedro no teu blog. Esse é o tipo de assunto que dever reverberar. Eu já desisti de apelar para termos educados e, infelizmente, parti para o constrangimento mesmo. Realmente não me furto em constranger qualquer um que usurpa os direitos de meu filhote.
    Seu post está ótimo, bem ao estilo "chutando o balde". Gostei.
    Sobre o comportamento da mulabada, também fiz um post e gostaria que tu lesse, aliás, vou por no Quiosque.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  8. Educação, tanto no sentido de aprendizagem como no de boas maneiras, está cada vez mais difícil de se ver!
    Parece que a falta de educação é uma das coisas mais democráticas deste país!
    Não importa a classe social!
    Que "aquela" torcida tenha feito isso não é nenhuma surpresa, mas como você falou, talvez qualquer outra fizesse o mesmo, pois todos tem o seu percentual de babacas...
    Às vezes eu vejo as declarações destes idiotas, quando são apanhados em cenas assim por reportagens volantes de TV. Sempre se justificando, ironizando, dizendo que "só parou ali um minuto" e tal...
    Válida a sua denúncia, e abençoada a sua ira!
    Beijos, Milene!

    ResponderExcluir
  9. Penso apenas, que se as pessoas do mundo se olhassem para elas próprias, com certeza o mundo mudaria. Entenderiam que somos todos imagem e semelhança de Deus...beleza física é doença diante da beleza da alma.Primeiro a alma, depois o corpo, mas sem discriminação.
    Que todos possamos afiar as pontas dos nossos lápis, para deixarmos registrado a nossa indignação àqueles que faltam com o respeito com o seu próximo.
    Penso, que o amor ao próximo é que é nossa religião, a nossa fé, a nossa hóstia, por isso nada nos custa praticar a nossa fé.
    Um grande abraço.
    Feliz noite.

    ResponderExcluir
  10. Tire esse azedume do seu peito e venha pra cá...
    Pegamos o cabra depois, na hora da saída. O que acha?
    VEM CÁ MEU BEM QUE É BOM VIVER O MUNDO ANDA TÃO COMPLICADO, HOJE EU QUERO FAZER TUDO POR VOCÊ.

    Mi, como pra nós não cabe outra coisa, além de sermos o que somos... e SOMOSDESSAS. Confesso-te, não li o post todo, por saber do que se trata.
    Precisamos de um amor sem pieguices, e com mais empatia. Um amor em atos. O fim de toda ignorância e egocentricidade. O mais incrível,é que acharam um espaço dentro desse texto constrangedor, para se promover.#euficokomo

    Assim caminha a humanidade, ou não...

    Saudades de tu, coisa azeda!♥
    amor palavra sem uso, vacina da peste.

    ResponderExcluir
  11. O que se sente perante quem tem olhos somente para o seu umbigo, tem de ser manifestado e é assim que o lápis gasta a ponta fina e faz escape. haja quem o faça, por mais que não adiante muito.
    e depois... pelo exemplo do que vejo na foto, só dá vontade de dar um empurrãozinho e virar de cangalhas a moto desse merdoso e ainda assim tenho dúvidas que aprendesse alguma coisa. há gente que nunca irá aprender o que é respeito e civismo.

    Beijo e kandandos a atravessar tanto mar, querida e doce Mi.
    Inté!

    ResponderExcluir
  12. Minha cara amiga Milene, tudo lamentável, a falta de respeito com o semelhante...

    Um belo dia, um sol maravilhoso,
    que a paz e a harmonia prevaleça em seus dias.


    forte abraço
    c@urosa

    ResponderExcluir