segunda-feira, 1 de agosto de 2011

SOB O SOL, A VIDA


Será que ainda chove
pingos batidos do lado de lá?
Será que frio não some
ou será que o calor chegou
com um chega p'ra lá
na solidão e a dissipou?

"Tanto Mar" - Guma - CLIQUE E VEJA IMENSA BELEZA

A luz do Sol acordou-se, trouxe raios dourados e alegres pela janela. Quis até aprisioná-los um pouquinho pros dias em que a solidão viesse com os pingos de chuva fazer baile na minha vidraça... Vã pretensão! Senhor de si é o Sol. Vem quando tudo parece estar envolto numa crosta gélida e mal conseguimos abrir os braços... É a inércia do corpo refletindo a alma. Então quando eles chegam, corremos pra abrir todas as janelas e portas... da casa, do espírito. Convidamos à invasão radiante de tanta luz e calor, e toda estranheza se dissipa, as nuvens densas, constrangidas, vão-se embora. Elas não querem ser antagonistas nessa peça de especial beleza. E os meninos raios de sol brincam de irradiar a vida. O inverno, taciturno, finge ir embora até recarregar as suas nuvens sombrias, que até parecerão leves e bonitas apesar do aspecto carrancudo. Eu não tenho medo...

10 comentários:

  1. Olá, Milene!
    Eu também não tenho medo, mas detesto frio!kkkk
    Bjs!
    Rike.



    P.s.: seu comentério lá no blog sobre biscoitos não sumiu, é que tem dois posts (um embaixo do outro: 31/07, onde está o seu "sumido comentário", e outro em 01/08. Um é do Gustavo e o outro é meu).

    ResponderExcluir
  2. é Mi!

    sob as nuvens carrancudas
    existe a beleza de vida viva
    brincando de escondida
    e quem não sabe, não brinca
    faz sua despedida
    não dando ao tempo
    o tempo que precisa
    p'ra a luz do sol raiar.


    bom perceber que tudo tem o outro lado, é só nos deixar encantar.

    cada dia, tem um dormir e um acordar.

    bom sentir essa corrente de ar respirada dentro de mim e ouvir minhas portas e janelas abrir de para em par.

    estendo meus braços
    fecho os olhos
    e imagino o atlântico
    um ribeiro manso
    e meu kandando a ponte
    a te abraçar.

    Como posso agradecer uma dádiva assim?

    beijuuuuuuuuuus... emocionados

    ResponderExcluir
  3. Se eu comentar, vou estragar a beleza desta postagem... Então apenas "aprêceio".. rss

    Beijo
    Tatto

    ResponderExcluir
  4. Medo não, mas não gosto...Prefiro sol e céu azul...

    beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. Uma galeria de arte!
    Que "marravilha"!
    Abraços, Milene!

    ResponderExcluir
  6. Eu gosto de frio, mas tudo em excesso faz mal a saúde, beijão Mi :-)

    ResponderExcluir
  7. Aqui ó...como é vc, minha minina-ternura amaaada, vou deixar tá? Sabe que sou generosa!rsrs Agora, brinks à parte, quem sai ganhando somos nós né? Meu feiticeiro inspirando minha minina...arte linda de viverrr, ver e ler!
    Beijuuss pros dois, n.a.

    ResponderExcluir
  8. Ah, os poetas! Quando nossas emoções se atropelam em busca de liberdade e nos falta a palavra inspirada que lhes abre a porta da prisão, são eles que nos emprestam as chaves-mestras em forma de poemas... e em palavras alheias nossos sentimentos viajam por todo o universo - ou talvez pelo infinito de uma única gota de chuva.
    Ah, os amigos! Quando nossas emoções buscam refúgio no mais íntimo de nós, é lá que eles estão - silenciosos, sorridentes, reconfortantes, ombros e lenços, colos e carinhos... e nosso coração encontra ali a paz.
    Ah, os amigos poetas! Ah, os poetas amigos!
    Que beleza, Mi! Abraços - também para o amigo-poeta Guma.

    ResponderExcluir
  9. Eu gosto do Inverno! E de te ler:)!
    Bjo

    ResponderExcluir