sexta-feira, 16 de setembro de 2011

RETICÊNCIAS...


Cai o pano. Ouve-se um estrondoso e questionador silêncio. As paredes pichadas de poesia e música reclamam do salão vazio. Num canto, o imenso balaio acomoda poemas de Manuel Bandeira, canções de Caetano, riquíssimos textos retratando as escolas literárias... Noutro canto do balaio guarda-se com semelhante carinho a paródia do filho prodígio, que reinventou a Canção do Exílio (Canção do Emílio) com genial desenvoltura.

O balaio é enorme, acolhedor. Guardará zeloso o relicário imenso desse amor pela arte, transbordante nessa camaleoa. Não é tão comum encontrar por aí alguém com tamanha facilidade em lidar com as coisas da arte feito essa mulher. Parece fácil feito respirar. A cultura é algo intrínseco à sua personalidade. É a sua pele, o seu cabelo, as roupas que veste... Arte deveria ser o seu codinome, porque ambas se confundem e formam a nuance perfeita.

Então, o pano cai. O Balaio da Si sai de cena por tempo imprevisto. Oxalá seja apenas um recesso, um descanso preciso até que a próxima temporada esteja preparada e a camaleoa outra vez disposta a ocupar o seu lugar de missionária da arte...





Há pouco mais de uma hora eu ajudei à Simone a fechar as portas do Balaio da Si. Espero que seja apenas um breve descanso, um sono necessário e logo e eu possa trilhar o caminho até lá a fim de comentar as palavras cortantes e certeiras da moça. Não vou lamentar, porque ela odeia novela mexicana. Me limito a brindar às parcerias que seguirão ainda que o Balaio esteja em pausa e dizer um imenso OBRIGADA por ter me deixado aprender tanto com ela.

“É só um blog. Ainda estou viva...” (palavras dela)

Amém!

9 comentários:

  1. Você continua me causando espanto com tanto talento e por todo amor sempre expressado majestosamente através de suas palavras.
    E essa música, só mesmo você pra encaixa-la, é uma das minhas preferidas do T.M. e diz bem o que é esse trem que chamamos de amizade:

    Escrever o pretexto, o prefácio e o refrão...
    Ser essência... Muito mais...
    Ser essência... Muito mais...
    A porta aberta, o porto acaso, o caos, o cais...

    e a poesia prevalece.

    Em nossa amizade abriu e leu em voz alta o livro de todas as poesias.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Nem precisei ir antes, ao Balaio...aqui mesmo encontrei a facilidade dessa mulher em_Si expressar. É factual esse enlace entre seu talento e a sen_Si_bilidade que jorra sem esforço algum.

    Que seja temporário o afastamento.
    Bjos Mi e Si...uma nota forte!

    ResponderExcluir
  3. Ah....Milene..lindas suas palavras de amizade.

    As vezes precisamos fechar uma porta apra que outra se abra..

    Desejo felicidade a Si... e vc..deixo a minha admiracao e encanto..pel apessoa, pela mulher, pela escritora.. e pelos tantos outros papeis que vc tao bem desempenha...

    ResponderExcluir
  4. Linda tua homenagem ao Balaio da SI e tomara volte logo! beijos às duas,chica

    ResponderExcluir
  5. Pois eu vou lamentar Si_m!!! Gostando ou não das mexicanas, sou brasileira sentimentalidade pura (inda bem)e detestei acordar nessa sexta-feira e me deparar com esse capítulo "final"! Afinal, "não é só um blog" é a artística VIDA dessa moça, do balacobaco, que me surpreendia sempre a cada postagem,comentário, aqui, ali, acolá. Da homenagem Mi, tudo de lindo e poético, nessa amizade, entre notas muito mais que musicais...Notas de SERES especiais que aprendi a amar (e sigo eternidade)e me fizeram e fazem ver a maravilha de concerto que é essa VIDA.
    Já fiquei triste com o fechamento de outros blogs, desaparecimento assim, sem mais nem menos, de outros e a morte da autora de um. Mas, confesso, deixar de me encantar com a poesia, frases pontuais e profundas, revoltas e reviravoltas dessa moça amada...é doído. Então, vou brincar de Poliana e imaginar que amanhã é sábado...vou acordar e ler, ver, sentir essa Si_nergia incessante.
    Deixo beijuuss, com um gosto de sei lá o quê, nas almas docês.
    P.S: ( QUE MERRRRDELÊ, SÔ!!! Desculpa euzinha, mas tinha que xingar só um cadim)

    ResponderExcluir
  6. O mundo ficou bem mais vazio. O céu ficou bem mais escuro. O Sabiá resolveu parar de cantar.
    Como a orquestra ficará sem os violinos, o pagode sem cavaquinho, a seresta sem a viola?
    Que seja breve o recesso...

    ResponderExcluir
  7. Passei pra deixar os meus sentimentos...

    bj

    ResponderExcluir
  8. Pena! Não conhecia muito a Si. Mas dava para ver o carinho estampado em seu blog. Eu tive apenas um dia de visita dela em meu blog, mesmo assim fiquei feliz, pois é muito bom ter alguém bem querido perto da gente, mesmo que seja por um dia.
    Espero que ela saiba preencher os grandes amigos que ela fez, através de algum meio de contato, pois realmente para quem estava acostumadinho a ela, sofrerá muito se ela voar , voar e demorar voltar.
    Sucessos nessa sua retrospectiva querida Si...sucessos em tudo que pretende fazer e que precisou fechar o blog.
    Para Milene linda, um grande abraço e saudades.

    ResponderExcluir