domingo, 30 de outubro de 2011

ANTES QUE OUTUBRO ADORMEÇA


O amor e eu adoramos simulações. Ele, na sua natureza livre, finge me pertencer quando na verdade é de ninguém. Eu disfarço a minha pouca fé, não demonstro perceber a sua volubilidade e enquanto ele me rodeia, bebo até a última gota da sua prazerosa mentira. Por vezes parecemos perfeitos um pro outro, cúmplices, amantes, urgentes... Suplico, em lágrimas,  que jamais me largue a mão, sem ele eu seria feito a imensidão do céu numa noite em que todas as estrelas se deitaram mais cedo. No caminhar das horas, porém, as minhas certezas se desintegram dando lugar à efêmera conclusão de que somos incompatíveis. Com ele sou contradição, passional, infiel. Sem ele, terra infértil, espaço vazio. Oscilo entre a vontade de trancafiá-lo para que jamais parta e a vontade enorme de gritar “escute aqui, seu ordinário manipulador de corações, vê se sai por aquela porta, carregue sua bagagem de fantasia e não me apareça nunca mais”. Em horas assim eu desinvento o amor até o breve instante em que meu coração não suporta ser espaço desabitado e, tolo, abre a guarda mais uma vez. Somos bons fingidores, o amor e eu...

FORA DO CONTEXTO: 
Então, eu, inconstante, voltei como meu Relicário... 
Quem achar que eu sou louca, mas mereço um afago, caminhe até lá. 
Adorarei. 

E para uma madrugada de sábado, insone, Chico! 
Ele me faz, por instantes, pensar que o amor está logo ali.




19 comentários:

  1. Madrugada insone? É bom estar acordado, muitas das melhores coisas da vida acontecem nela...
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. E viva a insônia então, já que lutar contra ela as vezes é derrota certa, o bom é viajar nela e vir parar aqui nas tuas linhas beijão Mi :-)

    ResponderExcluir
  3. "Sem ele eu seria feito a imensidão do céu numa noite em que todas as estrelas se deitaram mais cedo."

    "Com ele sou contradição, passional, infiel."

    " Sem ele, terra infértil, espaço vazio. "

    Afinal....

    "Quem inventou o amor"?
    Quem inventou o amor, me diga por favor....

    Que Renato me permita usar suas palavras..
    Porque as suas eu roubo sem permissão mesmo.
    rsrsr beijos moça da poesia bonita!

    ResponderExcluir
  4. Milene querida..
    Elogiar tua crônica é ser repetitiva.

    Mas penso que o amor é dor e afago.
    É paz e ansiedade..
    É ele e a sua contradição...

    é por ai..

    Um beijinho de bom domingo..

    ResponderExcluir
  5. Adoraria que minha insonia me inspirasse assim. Maravilhoso amiga! Saudades de vc. Prometo que voltarei a escrever coisas atuais,por enquanto estou recolhida e com a ment preguiçosa rs... Adorei sua visita .Montão de bjs e abraços

    ResponderExcluir
  6. Linda e inspiradora insônia. As minhas só me deixam com olheiras de urso panda,rsrs beijos,chica

    ResponderExcluir
  7. OLÁ MILENA, VINDO DE BLOG EM BLOG, CHEGUEI AQUI E GOSTEI, ENTÃO "ESTACIONEI".
    INSÔNIA... VOCÊ USOU A SUA MUITO BEM!
    PRA TE 'ECONOMIZAR'... AÍ VAI ME ENDEREÇO VIRTUAL:http://janassim.blogspot.com

    ABRAÇÃO
    JAN

    ResponderExcluir
  8. Maravilha, Milene, está a escrever lindamente!

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  9. E porque é que tu buscas
    O amor fora de ti?
    O amor não vive em fuscas;
    Ele está aí... e aqui.

    Beijo, Mi.

    ResponderExcluir
  10. Talvez o amor finja melhor do que você, que não consegue esconder tão bem seus sentimentos...
    Nem o seu talento, seja qual for o seu humor!
    Beijão, Milene!

    ResponderExcluir
  11. Seus farsantes sedutores!

    =D

    Tão bonito o que escreveu, Milene, tão próximo que quase pude sentir o meu pulsar ali, nas tuas linhas.

    Me identifiquei.

    Beijo grande.

    ResponderExcluir
  12. Adoro suas inquietudes amorosas e todas mais...bem que poderiam vir acompanhadas de um sono restaurador, mas já que é assim que elas gostam(?)fazer o quê? Acolhê-las amorosamente!
    Beijuuss amaaada n.a.

    ResponderExcluir
  13. Em toda sua inquietação haverá sempre um lugar especial para amar e ser amada, viu lindeza!

    Meu afeto pra ti, cara mia!
    bacios e ótima semana=D

    ResponderExcluir
  14. Olá Mi querida.

    Amor é bulha de sentimentos e emoções contraditórias.
    É assim...
    Mas o que nos sobra é não lhe dar descanso, que fundo é o que ele faz com a gente.

    Vamos suavizar isso num kandando ternurento?
    Beijo e sôdades enormes a atravessar tanto mar...

    ResponderExcluir
  15. ah o amor...suspiros...insoniassss acredito que tudo é valido quando se busca a perfeição se é que ela existe para o amor, acho que não
    Beijos Perfumados
    http://nelmanogueira.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Meu Deus... Chico!!!! A perfeição em pessoa...

    Muito bom tá por aqui, sentindo tuas palavras...

    ResponderExcluir
  17. Milene, voltei para te confessar um pequeno delito, pelo qual espero que irás me perdoar: sem tua permissão, "roubei" uma citação tua para colocar como "frase" no meu blog.
    Citando a autora e o contexto, é claro!
    Desculpe, mas eu acho que escolhi bem!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  18. O amor está logo ali, Mi - traiçoeiros olhos que não o vêem...

    Gostei do visual, bordas o vermelhidão da tua inquietude na alvura de tua alma disfarçada em pele rosada. O contraste te denuncia, moça querida...

    Beijos com saudade!

    ResponderExcluir
  19. Quando eu "crescer", quero ser igual a você.
    Escrever com essa peculiaridade, invasora de almas, que encanta, que fala sério e que sonha ao mesmo tempo.
    Impressionante como você escreve lindo!
    Que até quando as estrelas dormem, consigo te ler...
    Que até quando finge um amor, vejo-o renascendo da sua alma...
    Quem poderia escrever um texto tão "invasor" feito esse, que aloja em nossa alma sem permissão, se não quem conhece bem do amor em?
    Felizes somos nós, que conseguimos tê-la por amiga, que conseguimos chegar ao que propõe escrever. Se não estaríamos perdendo algo divino que encanta nossa alma.
    Parabéns! Muitos aplausos...realmente sabe onde encaixar as palavras, para deixarmos todos de "boca aberta".
    Um dia lindo.
    Um abraço apertadinho.

    ResponderExcluir