domingo, 20 de novembro de 2011

A LAGARTIXA PRETA

“Nêgo, espante aquele bicho feio lá no quintal, ele tá me assustando”. O bicho em questão era uma inofensiva lagartixa preta, estampada no muro, provavelmente pensando em que direção seguir naquela manhã de sol escaldante.

Toda mulher precisa de um homem que espante monstros e assustadoras lagartixas pretas no quintal? Presenciei essa cena e achei uma fofurice. Fingiu um medo que não tinha apenas pra sugerir ao marido o quanto sentia sua falta durante toda a semana em que ele passava trabalhando fora. Era o abraço protetor o desejo, mesmo quando a insegurança não é presença, ainda assim o amor carece de sutis cuidados e dengos.

Minha prima me contou há pouco que sua mãe (tia adorada) passeou numa cidade vizinha, num evento religioso,  e quando chegou em casa, lá pelas sete e meia da noite, o marido, menino grande, abriu um sorriso enorme e num impulso falou: “eu não vivo sem você”... É assim há tempos. Uma cumplicidade rara. Um homem feito que não saberia ser sem a sua companheira e depois de tanto tempo ainda é capaz de declarar seu amor espontaneamente. A tia não sabia se era melhor rir ou chorar... Comovida e feliz, fez os dois.

Histórias de amor dão sentido a essa nossa existência maluca, penso eu. Efêmeras ou eternas enquanto durem, a vida ganha cores fortes, o pulsar do tempo nunca é em vão quando se deixa acontecer o amor.

Quero estar por aí a testemunhar amores alheios, fotografá-los na memória e cheia de inquietude concluir como são tão iguais os amores e quão adoráveis são as suas diferenças, enquanto espero alguém corajoso o suficiente pra espantar aquela lagartixa monstruosa lá no muro do meu quintal. Esperarei romântica... Ou sentada?

Preciso ir agora. Devo trocar essa pele sentimentalóide por outra de uso menos complexo.
Ainda assim, brindemos ao AMOR...

 Beijos, pessoas.
Fora do contexto:
Leiam-me  FELINA...


13 comentários:

  1. Adorei essa visão sobre o amor - ter esse super homem que nos salva de lagartixas mostruosas (eu as vejo assim, acredite...), é possuir uma jóia preciosa - o amor...

    Nem vou dizer mais nada pra não parecer sentimentalóide como vc...rsrs.

    Bjos Mi_nha moça querida!

    ResponderExcluir
  2. Sempre qdo tenho uma discutição com minha namorada, me arrependo minutos depois... Temos que aproveitar nosso tempo com os sentimentos e sensações descritos nessa sua crônica, não com brigas. Belo texto!
    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Somente uma coisa a declarar o amor é lindo, beijão Mi :-)

    ResponderExcluir
  4. Achei muuuito lindinho ao ouvir a minha mãe aos 75 anos falar sobre a alegria que o meu pai ( também com 75 anos) sentiu ao vê-la.
    O cuidado, o carinho, a cumplicidade de ambos é simplesmente lindo!

    Obrigada Milene pelo carinho dedicado aos amores da minha vida.

    Beijoss....

    ResponderExcluir
  5. Baratas e lagartixas podem salvar casamentos...
    Cafezinhos também!
    Abraços, Milene!

    ResponderExcluir
  6. Você nunca me disse dessa lagartixa preta no muro do seu jardim, jaguatirica. Guenta aí que eu estou indo. Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Simples e lindo como deveria ser sempre o amor. Adoro ver que ainda existem e persistem casais assim...me dá uma esperança!!! Depois passa... rsrs
    Beijuuss, sentimentalidade pura, n.a.

    ResponderExcluir
  8. OI MILENE!
    FALAR DE UM ASSUNTO TÃO ABORDADO COMO O AMOR, E MESMO ASSIM FAZÊ-LO COM TANTA SENSIBILIDADE E BELEZA, PROPORCIONA MUITO PRAZER A QUEM TE LÊ.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Também ri e chorei porque amor é amor, seja como for, dure o tempo que durar. Minha teoria pessoal diz que o amor uma vez amado (talvez eu já tenha comentado isso aqui, gata...) continua no mundo, rodando e tocando outros corações, mesmo quando a fonte seca.

    =)

    Sou cheia de porquês...rs

    Beijos, querida minha. Lindo post!

    ResponderExcluir
  10. Bem, o meu muro está cheio de lagartixas tb hehehehehe
    Quem sabe um ia alguem me ajude a espanta-las!
    Lindooo demais declarações de amor verdadeiras!
    Lindo texto tb!
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Mi, texto recheado de emoções e um toque de súplica faz dele um hino ao amor. Você, cara mia, é tpda coração, embora use uma couraça que a faz ser aquele ser agridoce que conhecemos com tuas particulares inquietudes.

    Aqui em casa as lagartixas (sejam elas coloridas ou naum) eu mesmo tenho que me virar com elas poq o maridão é contra a matança das mesmas kkkk
    Mas o que vale é a essência desse texto comovente que fala do AMOR, aquele sem cobranças, que sabe perdoar, respeitar e sobretudo reconhecer o outro.

    *ressalvas sobre tua escrita:
    atraente, gritantes (pelos títulos), bem humorada pelas exemplos que costuras nas entrelinhas e que faz o leitor te ler, atpe o fim!
    segredinho bom este né? rsrs

    bacios linda mia! :)

    Delícia de texto e pede releitura, viu?

    ResponderExcluir
  12. Tanto pede, Lu, que eu voltei hoje pra reler.
    Beijos às duas.

    ResponderExcluir
  13. Que coisa mais maravilhosa,Milene! Sensibilidade pura! beijos,chica

    ResponderExcluir