domingo, 15 de janeiro de 2012

O AMOR E OUTRAS IMPORTÂNCIAS


Ontem fiquei de tocaia nas esquinas virtuais (palavras de Rodolfo) a fim de intimar os amigos desavisados a falarem uma frase curta sobre o que lhes dizia o amor. Publiquei suas curtas considerações lá no Relicário e fiquei satisfeitinha de lima silva com o resultado. Um improviso é mesmo uma coisa bacaninha. Acho que toda a concepção da postagem, entre ideia e realização não levou mais que meia hora e ficou bem massa. Eu espero vocês irem conferir, enquanto fico por aqui jogando paciência, combinado?

Dez minutos depois...

Podemos continuar? Vamos lá então, vou continuar vos enrolando, porque não tenho nenhum tema para hoje. Na verdade esse texto é um pretexto (ui!) para vocês visitarem o meu caçula que tem complexo de rejeição, tadinho. Não sejam maus meninos!

Continuar falando de amor seria uma boa prática, mas é um tema sobre o qual não ando tendo muita afinidade. Moço bonito, o amor. Moço difícil, o amor. O Cristiano Mello falou no seu comentário por lá que se o amor não fosse tão reprimido o mundo não seria essa feiura toda. Concordo. Hoje o moderno é ser prático, se adequar às mudanças, globalizar, otimizar, sei lá o quá! Odeio esses verbos de vida moderna. É muito chato esse papo de vida prática, de matar um leão por dia, ou ser engolido por ele... Tudo deve ser minimamente articulado, medido feito uma tabela do Excel. A minha vida não é uma tabela do Excel! É um rascunho manuscrito e vez ou outra eu apago algumas linhas, escrevo umas novas e vou seguindo. E o amor que não se atreva a se perder de mim!

Estou aqui pensando em outro tema pra completar esse post... Que tal falarmos do sucesso do Michel Teló na Europa, com aquela coreografia elaboradíssima para uma música e letra no mesmo patamar? Não, né? Assunto mais cansativo esse, deixa o cara pegar quem ele quiser. Sucessão municipal? A gente pode trocar figurinha sobre os candidatos de nossas cidades, todos ilustres honestíssimos cidadãos e as perspectivas de um futuro social promissor... Também não? É, tais assuntos iam azedar nosso início de semana e definitivamente não queremos isso. Vamos dormir, então? Sou uma pessoa de boa fé, não os entreterei em vão...

Uns beijos,
Meus queridos!


8 comentários:

  1. Miminha, você é um amor. Já te disse hoje que te amo? Estou te saboreando às colheradinhas...
    Beijos açucarados.

    ResponderExcluir
  2. perfeito... com poucas palavras, vc nos brinda com o melhor champagne que há... beijos

    ResponderExcluir
  3. Amor lá, amor cá. E arrumei um pretexto(ui!) pra lascar, sempre, meu AMOTE!
    Beijuuss Mi_nina amorosa (tô começando a sentir sôdades da agri)n.a.

    ResponderExcluir
  4. ai se eu te pego, ai ai...
    rsrsrrsrsrsrsr
    adivinha quem sou? rsrsrsrsrsr o teu anônimo de sempre.....

    ResponderExcluir
  5. Aaaahh, Milene Lima... deixa o Michel Teló cantar "ai se eu te pego, ai ai"... deixa, vai... acho tãaaaaao bonitinhoo e a imaginação fluuuuui... rsrsr

    Beijoss, amada!

    ResponderExcluir
  6. melhor seria não saborear o açúcar depois do remédio...
    saboreá-lo só, dulcíssimo...sem ter de tomar remédio...
    bjo

    ResponderExcluir
  7. Tudo por aqui é um encanto...
    Bjos....vou ficando por aqui e te seguindo...
    semana abençoada..

    ResponderExcluir
  8. hehehe Ahhh o amor, não ando de bem dele tb não, mas sei que ele tempera a vida, então vou seguindo e quem sabe um dia!
    Beijão amiga! Excelente tarde pra vc!

    ResponderExcluir