sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

OUTROS CARNAVAIS...



Tenho uma imensa dívida de gratidão com quem num dia sem absolutamente nada melhor pra fazer, decidiu que era preciso parar cinco dias de todo fevereiro a fim de se dedicar aos prazeres mais frívolos. Beber, cair, levantar... É o lema. É carnaval. Então o sujeito genial deve ter pensado: “o ano começa em primeiro de janeiro, é fato, mas podemos fingir esse começo e seguir empurrando com a barriga até passar a maior festa profana do planeta, só depois pensaremos no que fazer a fim de movimentar os ponteiros nessa terra de tolos”... Imagina isso lá no Japão, o país parando uma semana para se correr atrás do trio elétrico de última geração? Adoro essa disposição festiva do nosso povo.

O fato é: fez-se o carnaval. Fez-se a folia pra muitos e o completo ócio sem nenhum remorso para outros, como euzinha. Se fizer uma pequena viagem de volta lá nas minhas lembranças, sorrirei a saudade lembrando as caras sujas de maisena, as xiringas de plástico (eu não sei como escreve esse troço), objeto de desejo de todas as crianças para se molharem mutuamente. Os mais velhos alertavam para o cuidado necessário, pois no carnaval as pessoas perdiam a noção, bebiam muito e saiam por aí a cometer loucuras, então o bom era sempre brincar por perto e correr pra casa na menor ameaça de insanidade carnavalesca. Se eles sonhassem que perder a noção e cometer absurdez se tornaria rotina diária.

O período carnaval-litorâneo é marca jamais apagada na minha memória. Viagens animadíssimas, barulho, batucada, "quanto riso, oh, quanta alegria"... Tantas noites mal dormidas, deliciosamente bem vividas. Música, lua, sol... Mar! Ele estava lá todos os dias me esperando para acordá-lo e vê-lo deitar. Éramos jovens, éramos livres, fomos intensos.

Hoje o meu carnaval é sinônimo de dormir muito, alguns encontros descontraídos e o eterno agradecimento ao cabra inventador do feriadíssimo por me dar tantos dias ociosos sem motivo aparente. Os carros partem todos para o litoral e a cidade fica numa semi-tranquilidade, porque tranqüilidade absoluta só se encontra nos sonhos mais remotos. Que os céus abençoem aos viajantes carnavalescos. Boa folia responsável para todos. Se dirigirem, não bebam, se beberem não me chamem porque a Vê é braba.

E na quinta-feira aguardaremos o efetivo início do ano de dois mil e doze, caso o motor da engrenagem não tarde esse processo... Será? Pensando bem, vou querer é dez dias de folga, feito meus queridos lá de Brasília. Eu os compreendo, trabalham tanto, tadinhos. Essa carga horária de dois dias semanais é desumana, precisam mesmo se esbaldar por aí nos camarotes soteropolitanos, cariocas, recifenses. Carecem se distrair, são filhos de Deus, são filhos delas, aquelas moças que prestam favores pessoais em troca de uns bons reais. Mas elas, as moças prestadoras de serviços íntimos, não estão lá muito felizes com essa atribuição de maternidade. Preocupam-se com a sua reputação. Ouvi dizer...

E pra não deixar transparecer uma indiferença irreal para com estes festejos sagradamente profanos, trarei Paulinho da Viola para musicar essa postagem, no seu clássico e lindíssimo “Foi Um Rio Que Passou Em Minha Vida”... Sou uma alagoana que ama o Botafogo e a Portela, sim senhor!

E meu coração se deixou levar...




17 comentários:

  1. Gostei,Milene! E tuas lembranças legais dos carnavais.

    Nunca gostei dele e hoje, menos ainda;. Fico ou em casa, ou em meio à natureza, na paz, longe de agitos e fervos...beijos,bom descanso!chica

    ResponderExcluir
  2. Gostei da sutileza usada para descrever as genitoras dos nossos queridos políticos...
    Milene, eu nunca me liguei em carnaval, mas há anos atrás, quando ouvi pela primeira vez essa declaração de amor de Paulinho da Viola, fiquei do mesmo jeito que ele descreve...pela beleza da música!
    E passei a torcer pela Portela!
    Nesta época, eu morava no Recife.
    Muito depois, vim para o Rio e, morando a poucas quadras da sede da União da Ilha, na Ilha do Governador,e, vendo a alegria dos seus integrantes, passei a torcer por aquela escola, campeã naquele ano.
    Hoje,meu coração se divide entre ambas!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. adoro sua prosa e o carnaval foi isso tudo na minha infância...
    Depois da independência tudo mudou e é celebração muito sem alma infelizmente...
    beijo Milene

    ResponderExcluir
  4. Músicas melodiosas, letras inspiradas e crônicas poéticas bastam para justificar o caraval ("tríduo momesco" é só pra quem não gosta)
    Beijos de folia, Colombina...

    ResponderExcluir
  5. Fico só com o "Beber, cair e levantar" tanto no literal como no filosofal... rss

    Sempre te lendo e cada dia mais te amanduuu... rss

    Beijo
    Tatto/Xipan

    ResponderExcluir
  6. Mi, antes de me afundar em meu coquetel psicoanárquico vim ler-te!

    A crônica como sempre, impecávelvelmente hilária, inteligente temperadas com pitadas de um humor negro velado (do jeito que eu gosto rs)e super peculiar em seus textos.

    O carnaval pra mim era uma festa que tinha como objetivo: BRINCAR, USAR FANTASIAS E UM MODO DE ESQUECER AS AGRURAS DE UM PAÍS DE TERCEIRO MUNDO. Eu disse: ERA!!

    Porque atualmente é uma festa pagã ,pecaminosa e ignóbil. Tô fora!

    O bom de tudo isso é que a cdade fica vazia e talvez um pouco mais saudável.

    *vai listando essas crônicas, moça! Um dia elas farão parte de uma coletânea tipo: MILENE CRONICANDO.
    Seia o máximo kkkkk!

    bacios amada e tenha um descanso merecido.
    Fui
    :)

    ResponderExcluir
  7. Antes de falar em carnaval, preciso dizer que tua irreverência é deliciosa!!!

    Carnaval, pra mim, tem história...e sempre fui boa foliã, declarada Mangueirense e apreciadora das músicas antigas dos carnavais de salão...olhando pro hj, acredito que tive o melhor da festa, quando em família a gente curtia noites de alegria, fantasiando um pouco a rotina e bebericando animo novo pro ano que só começa, como disse tu, depois que termina o carnaval.

    Este ano o carnaval é o batuque de outros festejos, mais importantes, mais duráveis...

    Bom feriadão, Mi...vamos curtir esse descanso bacaninha....rs

    ResponderExcluir
  8. Olá, Milene!
    Eu também tenho uma ENORME DÍVIDA com ele!kkkkkkk
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  9. Nossa, MI! Eu amo essa música, é um dos meus sambas preferidos! Tinha que ter sido composta por um portelense de respeito. Um beijo grande e ótimo carnaval!

    ResponderExcluir
  10. compartilho de cada virgulaaa

    e dalhe paulinho

    ResponderExcluir
  11. Olá minha querida Mi!

    Tanto para ler, me actualizar e deliciar. Faz tempo que não acedo e na oportunidade, quero aproveitar ao máximo esse teu jeito único de comunicar.
    Quanto ao Carnaval, estou como a Denise descreveu, as festas de salão, músicas que me diziam alguma coisa, alegria e convívio em família e com os amigos, são a melhor das recordações.
    No presente, estou como peixe fora d'água. Talvez os mais novos, daqui a uns anos digam o mesmo dos carnavais recentes...
    Vou continuar por aqui mais um pouco, mas deixo desde já beijo e um kandando enorme e carinhoso a atravessar tanto mar...
    Saudades e muitas... Inté!

    ResponderExcluir
  12. Oi meu amor.
    Um tanto de saudades de ti.
    Vim sossegar meu coração
    neste canto inquieto rsrs
    porque aqui o prazer é garantido.
    Não gosto de carnaval jamais gostei..

    E por aqui tudo continua lindo, ímpar!

    meu beijo pra vc memem...

    ResponderExcluir
  13. você e sua tiradas sempre belas, ah, paulinho da viola,que maravilha, hein...

    milene, eu aqui tentantdo ressurgir das cinzas da quarta...rsss, bjs, linda amiga

    ResponderExcluir
  14. OI MI!!!

    EU GOSTO DE QUEM GOSTA DE ALEGRIA...DE FESTA DE BARULHO....
    PENA QUE MEU CONTESTO N]AO PERMITE..RS
    MEU MARIDO É AVESSO A CARNAVAL.
    QUER MAIS FICAR SOSSEGADO, DESCANSANDO...EU ENTENDO E O ACOMPANHO PORQUE GANHAR O PÃO DE CADA DIA HOJE NÃO É FACIL.
    MAS EU ME LEMBRO QUANDO CRIANÇA LA NA CIDADE ONDE NASCI, NO CLUBE..AS MATINES..
    MINHA MÃE SEM CONDIÇÕES SEMPRE IMPROVISAVA ALGUMA COISA....
    LEMBRO DE UMA SAINHA FEITA COM SACO DE ESTOPA....DESFIADO...E LA IA ELA NOS LEVAR ( CINCO FILHAS ) TODAS ARRUMADINHOS NA MATINE DO CLUBE..
    OBRIGADO POR ME FAZER LEMBRAR DESSE MOMENTO.
    E QUANDO EU ERA MOÇA RSRSRS A UNS 20 ANOS ATRAS( talvez mais, não me lembro bem rsrs)EU SAI NO GALO DA MADRUGADA EM RECIFE..SANE O QUE É ISSO? DEMAIS.. O GALO, OLINDA..
    TEMPOS QUE NÃO VOLTAM...
    MAS TA BOM ASSIM TAMBÉM..

    UM BEIJO..PARABÉNS PELO SEU DOM!!!

    ResponderExcluir
  15. Ei minha amiga, como é bom "bundar" sem remorso!
    "bundar" remunerado é melhor ainda! Deus abençoe a Bahia que fez esse feriado ficar tão importante no país e tão conhecido mundialmente, assim posso dormir até tarde, viajar e relaxar!

    Beijao e excelente final de semana pra vc!

    ResponderExcluir
  16. Minha Singeleza de Pombinha, eu demoro vir aqui, e quand venho me apresentas esse texto e essa monumental expressão musical, amo Paulinho da Viola!
    Incrível tenho as mesmas lembranças que você de outros carnavais e a mesma visão, agora.
    Você é minha metada....rs "Com você meu mundo é completo"

    Nesse carnval meu samba é: Hoje eu quero apenas...Uma pausa de mil compassos(...)
    Beijos!!
    Si.

    ResponderExcluir
  17. Sou um lisboeta que amo o Botafogo e o Salgueiro, sim senhor! (rs)

    Beijos Gloriosos!

    ResponderExcluir