sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

A REVOLUÇÃO DOS COQUEIROS

OS LÍDERES DO MOVIMENTO

Revista diz que Alagoas não acompanha crescimento do Nordeste” é a manchete num site das bandas de cá, publicando uma matéria da revista Valor Econômico que veio esmiuçar os porquês do nosso maltratado estado não desempacar.

Jura que precisava mesmo alguém vir aqui com esses pormenores? Fosse eu uma analista econômica e social craque feito o Leonel, comentaria com garbo, elegância e revolta os mínimos detalhes da referida matéria. Mas não curto estatísticas, não as compreendo e na verdade gosto de ver a prática das tais.

Nos comentários relacionados, um sujeito leitor afirmou que a únicas coisas crescentes por aqui são a corrupção e os coqueiros. Amei isso! Está na hora de se tomar um atitude. É preciso uma revolução, urgente! Acabaremos com esses desmandos com a população, com o meio ambiente, revolucionaremos geral! Se não formos nós, que sejam os coqueiros os rebeldes revolucionários.

Pois se os coqueiros pudessem, já não teriam partido em busca de outros litorais? Sergipe é bem ali, um negocinho minúsculo, porém estruturado, todo arrumadinho. Meu irmão sempre reserva uma semana dos seus janeiros a fim de passear por lá e não se arrepende. Mas faltam os coqueiros. A praia de Atalaia é um imenso território de areia até se poder chegar ao mar – assim ouvi dizer – e a presença de um bom esquadrão de coqueiros viria a deixar o lugar ainda mais convidativo.

A natureza foi mãe de Alagoas. Fez bacaninha os seus desenhos. Pintou um mar em cores únicas. Seus coqueiros bailam caprichosamente. Mas a natureza sozinha não pode fazer todo o trabalho, é preciso uma interação, cumplicidade e o sujeito homem já provou em equação exata que não está muito a fim dessa novela bem intencionada.

Não importa pra eles, os poderosos da vez, se o carnaval partiu dessa pra melhor. Continuam as máscaras, informes mentirosos sobre o desenvolvimento, falsas promessas...  E desse jeito se perpetuam no poder as velhas e destemidas raposas, os capatazes dos currais eleitorais, que pouco se importam com as reais condições humanas e estruturais do lugarzinho abençoado por Deus, saqueado, depenado pela mão maquiavélica dos filhos Dele. Os moços se revezam em prefeituras, câmara estadual, federal, senado, ministérios e nós aqui, menos ativos que os coqueiros, corroborando com tudo.

Houvesse um desfile carnavalesco dos estados brasileiros, ganharíamos estandarte de lata nos quesitos educação (somos os piores, segundo o MEC), violência (por aqui matar virou o esporte da moda – somos os mais violentos, segundo muita gente), corrupção (melhor nem comentar), entre outros tantos itens importantes.

Quando eles se forem numa imensa caravana, os coqueiros, em busca de um litoral mais acolhedor, com melhores incentivos fiscais, menos corrupção, vou junto com eles. Portarei cartazes com os dizeres “SOMOS PLANTAS, MAS NÃO SOMOS ANTAS”, “NOSSA SOMBRA TEM MAIS VIDA, NOSSOS COCOS MAIS SABORES”, “ABAIXO A CORRUPÇAO, SALVEM O COQUEIRÃO”...

Enquanto isso, seguimos nessa interminável peça teatral, onde o povo cumpre única e exclusivamente o infinito papel de bobo da corte. Infinito enquanto dure, diria o poetinha.






9 comentários:

  1. MilenAzinha meu pé di coqueiro anão... rss

    Some daí muié meu lóvi!!! Que tá mais fácil tombar com todos os coqueiros, que acabar com a manifestação corruptiva.

    Tô tisperandu na janela... hehehe
    E como sou um exímio trepador de coqueiros... kkkkkkkkk - SALVE O COCO ALAGOANO..... carái!!!

    Beijos corruptivos
    Tatto/Xipan

    ResponderExcluir
  2. "A natureza foi mãe de Alagoas." Mas a política local é agora sua madrasta.
    Os coqueiros, sabiamente, crescem contra o vento, ao contrário dos políticos. Nesse panfleto revolucionário eu encaro o vento e assino em baixo.
    Beijos, camarada!

    ResponderExcluir
  3. Milene, eu passei dez anos da minha vida nessa linda região, e vi paisagens de sonho como estas do clip, e fiz amigos de fé, pessoas boas, simples e valorosas.
    Mas, infelizmente, também vi alguns dos piores politicos deste país, que já não tem grande coisa neste ramo...
    Parece mesmo uma equação: quanto mais bonitas são belezas naturais, piores são os governantes...
    Por isso mesmo, o Brasil deve ser o país mais belo do mundo, a julgar pelo nosso legislativo!
    Mas, em compensação, palmas para os coqueiros das Alagoas e seus saborosos frutos...
    Aproveitemos o que temos de bom...
    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. "E nós aqui, menos ativos que os coqueiros, corroborando com tudo." - é por essa inatividade que os ditadores crescem e os corruptos pululam; será assim enquanto o povo for uma coletividade pacífica de revoltados e não exercer o protagonismo da agressão democrática.

    Beijos Gloriosos!

    ResponderExcluir
  5. Essa c corrupção crescente vem desde os tempos daquele que se dizia "Caçador de Marajás"? Que vergonha pro meu Estado, sai daqui um carioca e fica fazendo Ms num estado tão lindo como o seu! Beijos!

    ResponderExcluir
  6. nossa!!! tens o dom da escrita, perfeito! e me tocou muito o tema, pois amanhã farei uma prova abordando o mundo capitalista, segunda Karl Marx. Fico na certeza de que teu texto me ajudará e muito... beijos, excelente texto...

    ResponderExcluir
  7. ...e uma samambaia desmilinguida, amarelada comenta: Pobre de nós aqui no Rio, que nem mais a sombra de um coqueiro temos.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá, Milene!
    Infelizmente amiga, coisas do Brasil!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  9. Bem, ainda ten ho esperanças de conhecer essa Brasil enorme e gosto dos coqueiros.
    É um país tão lindo né?! Por que não cuidam direito dele? Porque não podemos ser pessoas melhores para dar casas melhores aos nossos coqueiros!

    Adorei teu apelo!

    Bjos!

    ResponderExcluir