domingo, 4 de março de 2012

DESCONJUGAÇÃO



Chamei minha folha de papel amarelado e o velho lápis cansado para devanearmos sobre o amor de dois. Encontro marcado para já, mas nem um só rabisco se desenha. É um completo estranho para nós essa vertente do amor, agora percebo.  Como podemos, os três, falarmos do desconhecido? Gostamos dos amares poéticos, dos seus conjugares intensos, das juras de aliança eterna enquanto dure... Mas isso é pouco para querermos compor nossa própria poesia.  É preciso um querer desmedido, um coração inquieto, incansável na arte de verbalizar amores, ainda que sejam vãs as suas tentativas. Eu, a folha pálida e o velho lápis concordamos que essa não é mais a minha condição... Algum dia teria sido? Acometi-me de uma absurda preguiça e sentar à beira do caminho nessa espera amorosa está longe de me ser aprazível. Levantei-me num impulso. Caminhei sem ao menos olhar pra trás e desejei que ele, o amor, pratique o ilusionismo em outra freguesia. Talvez um dia eu pense diferente e convoque outra vez o lápis e a folha, meus fiéis escudeiros, para dizê-lo. Talvez eu siga apenas versejando amores alheios, perfeitos ou feinhos, feito o amor da Adélia Prado nos versos lidos, do meu desejo mentido, no vídeo abaixo. Por tempos indefinidos, não vou querer um amor, seja lá de que jeito for... Invernaram os meus sentires e me agasalhei numa gigantesca e indiferente preguiça.



video


7 comentários:

  1. é, Milene, eu nem sei se a palavra é preguiça, mas ás vezes fugimos de amores...mas acho que adélia tem razão, se um dia a disposição voltar...CHEGA DE AMOR BONITINHO!

    bjs, doce amiga

    ResponderExcluir
  2. Ah, Mi_nina...esse teu relógio pode te enganar, te por pra correr...esse encontro marcado não respeita a preguiça que te consome, antes, ele surpreende e adorna - e te agasalha a alma - bonito ou feio!

    Bjos moça que apenas descansa na margem da vida que te encanta!

    ResponderExcluir
  3. Bem, sinto o mesmo!
    Acho que falar de maor é dificil quando não se conhece de fato!
    Estranhamente mus posts mais famosos são os que falo de amor kkkkkkk

    Vai entender!
    Bjo Mi!

    ResponderExcluir
  4. Como o amor é incidental, não adianta escolher ou negar...
    É melhor deixar a vida te levar...
    Pois quando menos se espera, o amor pode ocorrer...
    Por isto, bom mesmo é não esperar, seguir com o barco para o que der e vier...
    Abração, Milene!

    ResponderExcluir
  5. Esse lindo amor feinho
    Entre um lápis e uma folha
    É como garrafa de vinho
    Só lhe falta o saca-rolha...

    Logo o vinho irá jorrar
    Em vermelhos borbotões
    Voltando a embriagar
    Os sedentos corações.

    É impressão minha ou já estou meio de porre?
    Beijos, amada. Feinhos ou bonitinhos, pouco me importa. Beijos...

    ResponderExcluir
  6. Preguiça de amor?rsrs

    De repente dá um clic e liga tudo novamente... beijos,linda semana,chica

    ResponderExcluir
  7. Eu não amo ninguém é só amor que eu respiro!
    Meu coração anda serelepe, como você bem disse. Mas, mesmo com essa serelepice toda, as vezes, me dá um medinho, que disfarço em preguicinha pra disfarçar um desejo maior ainda que é de me jogar!
    Beijos afirmados em amor para você minha pombinha !

    ResponderExcluir