quarta-feira, 4 de abril de 2012

DA IMPORTANTE DESIMPORTÂNCIA



É frase acertadamente parafraseada que “cada um sabe a dor e a delícia de ser blogueiro”. Como diriam os twitteiros de plantão: #fato! No início tudo é empolgação, temas bacaninhas surgem aos montes, inspiração transborda. Ao caminhar do tempo as coisas inevitavelmente se modificam. Os temas e a inspiração ganham nuances de escassez ou nos tornamos mais exigentes? Um pouco de cada coisa, um muito de tudo.

Talvez a descrição aproximada do que ocorre seja a ausência da urgência, presença marcante no começo blogosférico de cada um. Hoje, a mim particularmente, não interessa postar por postar, oferecer ao meu intrépido blog um alimento qualquer apenas com o intuito de encher-lhe o bucho, sem nenhum teor nutritivo. Então espio a pretensa postagem, não curto e não compartilho. Isso em absoluto implica dizer que somente publico textos incríveis, divisores de água, revolucionários, marcadores de época ou coisa que o valha. Nada disso! Aqui continua sendo o canto da palavra solta, palavra qualquer, variada, misturada, estampada... Palavra, porque eu a adoro.

Além do mais, depois de mais de dois anos nessa agridoce vida blogueira, já não se tem mais tanta palavra pra dissertar sobre o mesmo tema. Eis que surge, outra vez cheia de  penitência, peixe e chocolate, a Páscoa. E eu me lembro novamente da Semana Santa de outrora, lá nos meus anos idos, quando tudo era inocência, quando achávamos ter comprado o bilhete diretinho pro inferno por ter cometido um mínimo deslize na sexta-feira do “nada pode”. Não vou repetir tudo outra vez... Não vou customizar ou repaginar. Não... Minhas palavras que se virem e se façam outras.

Acompanhei alguns amigos que desaceleraram a participação na blogosfera e acabaram desistindo de vez. Hoje eu os compreendo. Cria-se por aqui um código meio confuso de “tu me agrada que eu te agrado”, “te dei a grande honra de te seguir, vai lá e faz o mesmo”, e outras pequenas regrinhas, implícitas ou não, que acabam podando a espontaneidade. A vontade de comentar um texto ou postagem qualquer, pelo simples fato de ter gostado, ou discordado, não pode ser substituída pela obrigatoriedade em comentar. E eu afirmo com total conhecimento de causa, porque fiquei um certo tempo meio murcha pela diminuição das tais opiniões no meu blog. Hoje isso está bem melhor resolvido de mim para mim mesma. Dei o direito às pessoas de me não me acharem a oitava maravilha do mundo. Que bacana, heim? Humildade é tudo nessa vida... Acho até que nas farmácias esse item devia ser oferecido à venda, aos frascos... E fracos também.

Mais de dois anos navegando nesse mar oscilante, entre calmaria e tempestade, compartilhei desse desinteresse do qual alguns amigos foram acometidos. Por que não fui embora? Talvez o principal motivo seja eu considerar isso tudo uma grande brincadeira. Talvez o fato de eu me levar muito pouco a sério me mantenha na janela, vendo a palavra alheia passar, pendurando as minhas próprias no varal. Palavras de chita, de renda, algodão ou seda... Gosto mesmo é de palavra, não importa qual roupa ela vista.


15 comentários:

  1. Pois é Milene...muitas verdades neste te belo texto.
    Eu acho que amadureci como blogueira.
    No inicio eu queiria muita gente me visitando...aquilo mesmo que vc escreveu me siga que eu te sigo.
    E postava todo dia. Era um entusiasmo só.
    Eu ainda sou entusiasmada em postar um bom trabalho. Ja não me importo mais quantos seguidores eu tenho.
    Me importo com os amigos que acredito que fiz.
    Aqueles assiduos, que sei que gostam do meu trabalho, que entendem a minha ausencia muitas vezes involuntaria e muitas vezes voluntaria.
    As vezes não estou com vontade de ler um texto. E ai só ler ou nem ler e dizer: belo texto, parabéns, só pra se fazer presente acho que não vale a pena.

    Mas no meu caso foi otimo. Me deu mais confiança no meu trabalho e
    hoje ja não posso postar qualquer peça.
    Pra mim é bom..pq eu me esforço pra me superar cada vez mais..

    Gosto muito de te visitar.....pq aqui leio sinceridade, sem frescuras..

    Um beijo....boa pascoa!!

    ResponderExcluir
  2. Excelente blog! Só a título de curiosidade há um agregador de conteúdos chamado TPM Links - Tudo para mulheres, super bacana, uma ótima forma de divulgar seu site.
    http://www.tpmlinks.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Mi

    ...eu nunca fui blogueira, comecei a brincar la no WordPress.com. surgiram bloqueios, dificuldades para manusear as paginas, e vim pra ca, transportando toda aquela inquietaçao de lá (rs) e também achava q seguiria sozinha, ou melhor com um unico leitor amigo. Eu nunca fui de obrigações, qdo visito é pq estou super receptiva, as vezes preciso só ler...Mas empre digo q escrever me salva diariamente, e nunca penso se vou agradar...eu mando bala...atiro aquilo q floresce e as vezes ate vinga (no mais amplo sentido) rs. Aqui eu gosto de espiar e muitas vezes penso: pô coube tão dentro de mim...e saio aliviada!

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Minha querida,vc disse tudo!!Vi muitos amigos desistirem ,e apenas darem uma pausa,eu mesma ja fiz varias delas rs,ao longo do tempo ja vai quase 4 anos de blogs fiz mudanças radicais e como vc mesmo diz sem a intenção de agradar,mas apenas postar o que se vai por dentro.
    Adorei ler você hoje!Feliz Pascoa beijão!!

    ResponderExcluir
  5. Gozado, Milene.
    Este post teve o efeito psicológico de remover uma certa 'inquietude' minha.
    Muito bem.

    ResponderExcluir
  6. Ai que a-lí-vi-o sô!!! Um cadim de "culpa" a menos nos meus doídos ombros. Aproveito a leveza para desejar uma Páscoa abençoada...com "peixe e chocolate" e podendo fazer tudo que seu desejo mandar na sexta, no sábado, domingo....
    Beijuuss Mi_nina amaaada minha, apaixonada pela letra, palavra e apaixonante de se ler.

    ResponderExcluir
  7. Olá, Milene!
    Adorei o post, como sempre você tem toda razão!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  8. Mi, eu te acho a oitava maravilha do mundo ta? kkkkkkkkk

    Olha acho que os que resistem mais de 3 anos é porque aprenderam que coentários não é tudo, se você for nas tuas estatisticas verá que independente de ter comentário ou n~~ao as pessoas voltam. Isso é legal, é saber uqe alguém te le e é o que importa.

    Comentar dá trabalho e algumas pessoas nao tem tempo pra isso, mas entendo de verdade o que vc falou, muitas vezes leio um texto mas não posso digitar porque tem gente perto e estou no trabalho, então nao comento... e acredite os comentários no meu blog caem por isso...

    Já fiquei muito chateada, mas foi no inicio poque achei que se nao tivesse comentário eu nao seria ninguem, hj relaxo e posto só quando quero e comento assim tb!

    Sei que alguém vai ler em algum lugar e já fico feliz!

    Um beijo enorme pra vc e muito chocolate tb!

    hehehehe (vai fundo, não engorda) kkkkk Bjos

    ResponderExcluir
  9. Às vezes, a gente pensa que algumas coisas passam só pela nossa cabeça...
    Posts como este teu mostram que não estamos sós nas nossas dúvidas e angústias!
    Retratastes muito bem algumas questões que muitas vezes me confundem e até me impedem de produzir mais textos...
    Eu também tenho ocasiões em que deixo de postar por não querer escrever sobre coisas que não me pareçam ser de altas relevâncias, e como nem sempre tenho conhecimento de coisas assim, acabo ficando engasgado!
    Abordastes também muito bem as contradições do relacionamento "blogístico"...
    Por isto é que eu te amo!
    Feliz Páscoa, Milene!

    ResponderExcluir
  10. Esta figura no topo do blog me fez pensar: será que já digitalizaram a literatura de cordel?
    Tem muita coisa da nossa cultura popular que deveria ser mais divulgada!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  11. Milene,
    Sabe, essas coisas todas que você falou são pertinentes e verdadeiras...mas quanto a mim lhe digo que blogar é um exercício solitário e penso que mesmo sabendo que poderão visitar minhas coisinhas, sei também que não passa tudo de um mundo virtual, de olhos, vozes e almas vindas do outro lado do espelho.
    eu faço todo tipo de post dentro daquilo que é o melomaniako e me divirto ou exorcizo meus ais ou seja lá o que for...
    não estou minimamente preocupado com o retorno ou com o nº de seguidores...fico feliz sim porque sei que alguém gosta, mas não me move esse feedback, move-me sim a possibilidade de dizer aos quatro ventos o que me vai na alma,com tutano ,sem tutano, só ...e isso me basta.
    beijo cronista de mão cheia

    ResponderExcluir
  12. Recheada de verdade e poesia, até desabafo tem seu charme, rsrsrs

    Milena, estamos na mesma paragem, postando sem compromisso de tempo e espaço enquanto a mente for capaz de oferecer algum conteúdo utilizável, pois quem gosta de encher linguiça é açougueiro.

    E assim vamos mantendo a blogosfera navegável e repleta de amigos íntimos, mesmo sem nunca terem se visto pela primeira vez.

    Um grande abraço, e uma feliz Páscoa!

    Adriano Berger

    ResponderExcluir
  13. Pois é Mi...couberam nas tuas palavras, os sentimentos de muita gente - eu me incluo, e não me penitencio mais, como fazia antes...

    Que bom que gostamos da palavra, e por ela - e por nós - ficamos!
    Quando fui acometida por esse silêncio inquietante, comecei a ler meu blog de trás pra frente...e fui constatando as diferentes fases em que postei, os anos (estou no quinto!) que mudaram minha vida, como eu diria o que disse antes, e senti imensa vontade de postar de novo muitas coisas que escrevi...mas fazendo isso diferente...talvez até faça - mas pq me atrai, me seduz a ideia, não por qualquer outra escusa razão...contigo não, comigo não, com tanta gente não também...que assim seja, amém!

    bjos, moça habilidosa com as palavras - e querida por nós!

    ResponderExcluir
  14. Milene,
    Obrigado. Estava precisando exatamente disso, de alguém
    que me mostrasse o óbvio. Não quero escrever apenas para ser avaliado e comentado. Quero escrever. O que a palavra me dá já me agrada.E nada de de obrigação com a escrita. Quero antes o prazer.

    Um abraço.

    ResponderExcluir