domingo, 15 de abril de 2012

A DIFÍCIL ARTE DE NÃO SER INVISÍVEL



Me comove como as pessoas olham para mim, essa figura linda, loira e fofa, e de imediato são acometidas por uma enorme simpatia. Como são queridas, elas, o seu carinho e a compaixão involuntariamente lançada pelos seus olhares. Não as culpo. Apenas sorrio sem acenar.

Tive uma amostra disso por esses dias, quando estive num Centro de Saúde a fim de suplicar ao cardiologista que atestasse a minha saúde de leoa e me liberasse para a tão esperada cirurgia. Antes de entrar eu penso que o povo todo vai se virar pra me espiar feito fosse uma marciana-cangaceira. Mas logo depois meu pensamento diz que é bobagem, o povo tem mais o que fazer do que ficar me espiando... Em milésimos de segundo constato que o meu pensar primogênito estava com a razão. Misericórdia! Saiba, caro amigo, toda vez que você desejar ardentemente se manter imperceptível num lugar, aí sim será o centro das atenções. Aquela senhora simpática numas duas filas à frente da sua não se cansará de virar a coluna, no máximo que o seu bico-de-papagaio permitir, a fim de lançar sorrisos como dissesse: “tadinha, que vida dura ela deve ter, carregando essas pernas de ferro (são de prata, minha senhora) e ainda mais com o corpinho passando do limite. Nesse instante você dá graças por haver uma lei fingidora de cumplicidade que permite descaradamente deixar pra trás todas as pessoas que estavam na espera desde às 7 da manhã.

Por essas e outras sou a discrição em forma de mulher... Quer dizer, venho desejando isso há mais de quatro décadas. Eu me recuso, por exemplo, a usar óculos escuros, embora meus olhinhos sejam tão sensíveis à luz do sol. É recorrente na minha imaginação a cena das pessoas me dando moedinhas no meio da rua, consternadas com minha deficiência duplicada... Além de muletante, cega, seria necessidade especial demais pra uma pessoa só, pensariam as pessoas de bom coração. Se ao menos pudesse enriquecer com as generosas e solidárias moedas alheias...   

Sobre a difícil arte de exibir excesso de fofura, me lembrei da Denise ontem, na madruga, acometida pela síndrome de Magali... Falei pra ela comer alguma coisa, já que a fome havia se apresentado. “Vou assaltar a geladeira e comer uma suculenta maçã”, respondeu a moça. Como assim? Por isso toda a vida fui uma gordinha atípica. Os magrelos (feito a Denise) vivem por aí a assaltar geladeiras e ficam impunes, não lhes acumula uma grama de gordura. Enquanto nós, as atraímos até nos sonhos. O fato é que eu não levaria o menor jeito pra me tornar criminosa alimentar. Eu não correria riscos por causa de uma maçã, não mesmo! Se fosse pra me tornar uma meliante da madrugada, violadora de geladeiras indefesas, que fosse por um pudim, um doce de leite daqueles de comer o pote inteiro... Mas pela fruta do pecado, não senhor! Eva e Denise que o façam por mim.

Pra um domingo sonso, suposto bonzinho, mas que carrega a segunda-feira pela mão, já besteirei o suficiente. Vou agora mesmo pedir licença à minha geladeira para pegar uma suculenta (arghh) fatia de ricota... Servidos?


14 comentários:

  1. Posso imaginar. Vossa Fofurência sentada no terceiro degrau da igreja, óculos escuros, um panamá surrado ao lado, expondo duas cédulas amassadas e umas poucas moedas, acompanhado de uma bengala branca. Do outro lado, duas muletas (ninguém ia perceber o absurdo de você ter apenas dois braços) e um cão-guia de olhos tristes com a cabeça apoiada em seu colo. E um cartaz de papelão: "Ajude na ração do Rex".
    Bon apétit...

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Olá, Milene!
    Por favor, continue "besteirando".
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  3. "marciana-cangaceira" kkkkkkkkk eu amei isso!! Você realmente é de outro mundo garota!! Marciana arengueira. Seu mau humor nesse texto é de uma engraçadez louca kkkkkk...Posso sentir daqui sua casmurrice.
    Até quando escreves besteirices, faz com excelencia.
    Beijos minha pombinha de Marte!

    ResponderExcluir
  4. :))
    Faço-lhe companhia, Milene, quando se peca deve-se fazê-lo por inteiro.

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  5. Sabe..depois que começei comer sem culpa, acho que não estou engordando..rsrs
    Digo isso "acho" pq não ando me pesando...

    Adoro pratos..cheios..rs

    Um beijinho....amo te ler..bjs
    semana de paz!!

    ResponderExcluir
  6. Realmente, assaltar a geladeira na calada da noite para comer...uma maçã???
    Se eu fizer isto, será para pelo menos acabar com meio pote de sorvete! Se vou engordar mesmo, que seja por um bom motivo!
    Agora, existem bons motivos para se usar óculos escuros: prevenir cataratas! As radiações solares atualmente são bem maiores do que há alguns anos...
    Mas, para variar, mais um ótima crônica sobre o cotidiano!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Mi_pedriram pra vir defender a Eva, que cometeu um crime que nem caloria tinha...rsrsrrs....mas, a maçã não foi escolha por ter baixa caloria, foi pelo prazer de sentir o sumo que a dentada provoca, geladinha e meio azeda, um agridoce dos bão, sô!!!....rs

    Eu comi, por 5 anos, uma maçã, diariamente, quando era criança. "Garrei nojo" da fruta, se em entendem...voltamos às boas tem pouco tempo, num prazer redescoberto - pq não é compulsório....e que bom que tem baixa caloria - a Eva queimou umas tantas de outro jeito....rsrs...foi não, gente? nem carecia da macã...rsrsrs

    Só vc Mi, pra encontrar numa maçã - ou num assalto à geladeira -relevância pra teu texto tão profundo...ou vc acha que ninguém, viu?

    Bjão, Mi_nina querida!

    ResponderExcluir
  8. MilenA...

    Com a descrição que Barcellos fez... Quase me sufoquei com um baita nó o qual me acometeu o peito... Ai que dó, que dó , que dó... do REX.... rss
    Agora tu, queimaras nas profundezas escaldantes dus inferno pela sarcascidade inocente do teu pecadinho geladeiristico... Ahh vai!!! kkkkkkkkk

    Beijo
    Tatto

    ResponderExcluir
  9. Sabe que vc me fez refletir uma coisa aqui agora, quanto mais queremos passar despercebidos mais chamamos atenção ... Isso é fato.
    Porque tem dias que qeuro morrer dormindo no quarto escuro e é uqando meu celular mais toca, acho que existe aí alguma providencia Divina kkkkkkkkkkk

    Beijos Mi, vc é um arrazo!

    ResponderExcluir
  10. Nada detém sua compulsão para escrever, Milene. Isso não faz brigar com balanças e nos fornece textos interessantes como este, de lambuja. Não precisa moderação nem sensação de culpa. Quanto à geladeira, nunca entendi o verbo assaltar, que todo mundo usa, deve haver alguma explicação psicológica. Geladeira como vítima. Também tentei besteirar um tiquinho aqui e agora, pra entrar no tom, e até gostei menina, mas sabe de uma coisa, de certeza não levo tanto jeito como você. Acho que se me exercitar um pouco acabo besteirando melhor. Buscarei inspiração em seu Inquietude.

    ResponderExcluir
  11. NOSSA QUE TRABALHO MAGNÍFICO ESSE BANNER..... UAUUUUU !!!!!

    ass, aNôNiMo

    ResponderExcluir
  12. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.....

    Essa gargalhada foi pro Tatto...






    ** mái bamo cumbiná, que ficô lindo, ficô!!!!

    ResponderExcluir
  13. Ainda bem que sou psciana e tenho o privilégio de me retirar para o meu próprio mundinho enquanto estou em frente a um público que me deixa desconfortável.
    Aconselho a querida personagem que use óculos bem escuros, e tenha sempre um fone no ouvido, no último volume, com musicas que a façam "viajar".
    te garanto que não vai nem prestar atenção em quem olha e deixa de olhar.
    =)

    ResponderExcluir
  14. A visibilidade de sua alma é que nos alegra e comove, através de seus texto, parabéns amiga, saudações alvinegras.

    forte abraço


    C@urosa

    ResponderExcluir