segunda-feira, 23 de abril de 2012

LIVRE SOLIDÃO


Sem dor, sem lamento, sem nada... Na penumbra da sala, a mulher, a canção e a dança comungavam a solidão do ambiente em que a luz, minguante feito o luar daquela noite, não esboçava desejo em compartilhar daquele momento de absoluto deleite. A mulher havia aberto o velho baú onde mantinha aprisionados os tais sentires. Do que lhe serviam eles, amontoados, sufocando até perderem o fôlego? Saltaram contentes, e se deram as mãos numa dança cheia de sentimentalidade. Eram inquietos, insanos, pulsantes... Eram seus, os sentires e eles não a machucavam... Nem a solidão a machucava, não depois de tanto tempo a compartilharem a meia-luz daquele parco cômodo. A mulher sabia que eles logo partiriam em busca de outras canções e os esperaria ansiosa. Sem baús de madeira podre, sem porões cheirando a mofo, seriam livres e dançarinos os sentimentos de fazerem canção



17 comentários:

  1. texto lindo, adorei...
    hoje faço anos e adorei ouvir a Marina logo de manhãzinha...tb é o 1º dia em que abro o Massala Bar de dia...
    beijo poetisa

    ResponderExcluir
  2. O encontro com o próprio espírito depende de libertar-se de velhas amarras! Lindo Srta, abraços

    ResponderExcluir
  3. Que lindo texto!
    Me lembrou o balé do lago do cisnei!
    Cheio de sentimentos, angustias, amores!
    Bjos

    ResponderExcluir
  4. ...a vida é uma escola, às vezes ficamos repetindo lições , querendo muito q algumas "sentimentalidades" sejam absorvidas pelo outro . até q um dia viramos a página .


    "... tinha suspirado,
    tinha beijado o papel devotamente!
    Era a primeira vez que lhe escreviam aquelas sentimentalidades,
    e o seu orgulho dilatava-se ao calor amoroso que saía delas,
    como um corpo ressequido que se estira num banho tépido;
    sentia um acréscimo de estima por si mesma,
    e parecia-lhe que entrava enfim numa existência superiormente interessante,
    onde cada hora tinha o seu encanto diferente,
    cada passo condizia a um êxtase,
    e a alma se cobria de um luxo radioso de sensações!"

    [obrigada por me acolher tão bem em suas palavras...sua sensibilidade é algo que emociona]

    adoro tu LeLezinha.

    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Um texto, Milene, lindamente emoldurado por este belíssimo chorinho na voz da Marisa. Eu me atrevo a dizer que um foi feito para o outro.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Olá, Milene!
    Suas palavras, mesmos as tristes, ou são bonitas ou são interessantes. Resumindo: sempre vale a pena passar por aqui!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  7. Suas crônicas de inquietudes estão cada vez mais interessantes, agora aprecio a liberdade de sua solidão ao som de uma canção da dupla Arnaldo antunes/Merisa Monte, na gostosa voz dela.
    O texto é bem envolvente e pessoal, intimmista. Claro, gostei, Milene.

    ResponderExcluir
  8. MilenA....

    "Tal é o engrandecimento de teus escrevimentos e a tal altura vão.. Donde não mais alcanço por minhas pequeninas mãos."

    Maí pódexa que cabem no coração... rss

    Beijo
    Tatto

    ResponderExcluir
  9. Ei Milena,

    Cheguei aqui através de uma pequena homenagem no blog Sosynho e estou amando tudo por aqui....

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá Milene,

    vim seguindo a trilha que o nosso amigo Rike deixou, encantei-me com seus textos, com suas músicas e ainda encontrei aqui vários queridos meus: o Tatto, a Chica, a Ma e outros.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá Milene, vim por "ciumes" conhecer o seu blog. E como gostei demais... tadinho do causador deste ciume, aquele menino chamado Rike, o que é Sozynho..., rsss, venho aqui, faço a curva por lá, dou xauzinho para ele, e deixo letrinhas aqui!

    Sou assim mesmo, muito travessa! A primeira Fada travessa que vai conhecer!

    Adorei! E vou voltar.

    BEIJOS

    ResponderExcluir
  12. Olá grande Guerreira poeta e pequena estrela solidaria...rsrsrs E o Fogão hein?...rsrsrr Final contra o Vasguinho...kkkkk Minha amiga Kelly que é vascaína que gosta de me tirar um sarro...kkkkkk Mas é isso ai Futebol, bom é isso.

    Adoro sua visita. podre crê nisso.


    Toda sorte de benção querida!

    ResponderExcluir
  13. Muito lindo, Milene!

    Liberar sentimentos, deixando-os bailar... beijos,chica

    ResponderExcluir
  14. Olá Milene,

    vim agradece-la a gentileza da visita e as felicitações por meu aniversário.

    Muito obrigada por sua presença e carinho.

    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oi Milene..

    Alegria e dor...saudade.. amor...
    solidão..
    Tantos sentimentos em mais uma cronica que só voce com seu jeito doce e franco consegue colocar no papel com tanta propriedade.
    Te admiro desde a primeira vez que te li.
    E esse chorinho na voz da Marisa Monti logo cedinho, foi um presente!

    Um beijinho...

    ResponderExcluir
  16. Texto excelente com música a condizer:)
    Bjo

    ResponderExcluir
  17. Bom mesmo é abrir este baú e liberar geral...
    Deixa os sentires curtirem a vida...
    Abraços, Milene!

    ResponderExcluir