sábado, 19 de maio de 2012

DA MOMENTÂNEA LEVEZA



Como era tolo o pensamento de que o meu gostar era a coisa mais importante do mundo. Gostava e pronto, supunha estar presenteando o outro com um tesouro de incalculável preciosidade.

Meu gostar espiava com olhar pidão, de pura chantagem, silenciosamente suplicando atenção. Portou-se piegas, alardeava sentires, gritava um amor estridente, exibia beleza, cor e desassossego. Alimentava-se de perguntas e exclamações. Meu gostar reclamava.

Pariu em desmesura a saudade, sentida, vermelha... Estúpido, não compreendia a ausência, oferecia desapego ao invés de abrigo, desaprendia a ser amigo, saiu a esmo por caminhos desconhecidos. Meu gostar padecia.

É outro gostar a refletir no espelho, mais velho, reticente, alheio. Já não segura a mão com tanta força, prefere tatuagem rasa no lugar da pele sangrada, sussurra e dá de ombros se não o escutam... Meu gostar parece cansado.

Sem interrogações, um tanto distraído, desbotado, curtindo a beleza das cores calmas, meu gostar fez-se reticências. Até que a próxima metamorfose o pinte em matizes gritantes outra vez...


13 comentários:

  1. Quando, Milene, quando vai nos presentear com um livro cheio destas belezas, impregnadas de ti, moça querida???

    Se soubesse o que causam tuas inquietações em outros corações...se imaginasse o que tuas palavras tatuam e se agarram na alma da gente....ah! se soubesse o quanto de encanto que provoca...vc logo me respondia!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Olá, Milene!
    Te peguei na madrugada, hein?
    Bjs!
    Rike.


    P.s.: concordo plenamente com o que a Denise disse aí em cima.

    ResponderExcluir
  3. Milene,
    Esse encontro desencontro eterno que é o amor é sempre muita paixão e muita dor...
    o facto de não conseguirmos olhar a alma do outro acaba deixando tudo acabar ao sabor dos mal entendidos...
    depois é tarde...
    porquê amiga?
    Meu cansaço quase que dá para tocar...
    beijo

    ResponderExcluir
  4. Seu gostar aquietou se na alma, transbordou nos olhos e emudeceu seu coração para que desperte em um recomeço, em uma nova história em um novo sentir....

    Beijinhos linda flor...

    ResponderExcluir
  5. És refém dos teus gostares,
    Eu sou escravo dos meus;
    Mas enquanto me amares
    Meus quereres serão teus.


    Beijos, Miminha.

    ResponderExcluir
  6. Teus gostares andaram e tropeçaram em caminhadas por este mundo...
    E os tropeços os foram moldando até terem as formas que têm hoje...
    Mas, mais do que a forma, o importante é gostar...
    Bjs, Milene!

    ResponderExcluir
  7. Oi Milene,

    Nosso gostar percorre caminhos, cresce e amadurece. Que a falta de porto para o gostar seja só uma boa ferramenta de aprendizagem e não um fechar de portas.

    Dia virá em que um gostar encontrará outro gostar que fale a mesma língua e ambos se entenderão.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Você escreve impessoalmente tão pessoal que esse sentir poderia ser meu, e ou de qualquer pessoa nesse blog e quiça no mundo inteiro.

    Pessoalmente falando te amo demais e impessoalmente admiro e sou fã!

    Bjs minha lagartinha leve,leve e leve-me!

    ResponderExcluir
  9. "Metamorfose ambulante"...e admiro todas as transformações sempre!
    Beijuuss, Mi_nina amaaada, n.a.

    ResponderExcluir
  10. e entao a cançao diz:

    "E toda noite de insônia eu penso em te escrever, pra dizer que teu silêncio me agride."

    (Engenheiros do Hawaii)


    [tao eu aqui]

    beijo

    ResponderExcluir
  11. Querida Milene, sobre o que disse para mim: o mundo virtual é muito delicioso, recebemos gratuitamente toda forma de carinho e atenção. Eleva nossa estima.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Concordo plenamente com a Denise.
    Adoraria ler um livro teu...

    Concordo com voce..
    A gente sempre acha que o nosso gostar faz a diferença né?
    Mas faz mesmo... é um bem muito valioso..
    Um beijo..

    ResponderExcluir
  13. Que bonito, Milene! Parabéns pelo blog! bjsss

    ResponderExcluir