domingo, 30 de setembro de 2012

OLHAR QUARENTA E TRÊS




São Pedro emocionou-se com o dia de ontem e derramou rios de lágrima noturnas por estas bandas. Algúem me disse que eram chuvas de bençãos em homenagem ao aniversário desta pessoa fofa e linda e tudo que, pasmem, sou eu! Agora já chega, é setembro ainda, é primavera. Engole o choro, São Pedro!

Querendo Paulo Ricardo ou não, eu agora sou uma mulher de olhar quarenta e três, assim sim como carrega essa contagem todo o resto do corpinho rechonchudíssimo e a face marcadas por rugas, mandadas pelo senhor tempo a fim de mostrar a mim quem manda na história, se sou eu que o tempo todo o desafio com a imensurável preguiça em passar os tais cremes esticadores de pele, ou ele, senhor das horas.

Ah, ainda que lagrimoso, é domingo. Não vou perder instantes dando audiências pras rugas ou sinais quaisquer apresentados pelo meu corpo. É de alma que eu quero falar. É de celebração a minha intenção. É de gratidão o meu sentir.

Por que os dias estranhos quiseram ser o meu presente de aniversário. Por que as nuvens, aquelas pesadas demais, feias demais, quiseram se instalar no céu sobre a minha cabeça e eu tive medo. Pra ser sincera, o medo ainda está por aqui. A tristeza pelo menino pequeno, o Léo da minha amiga Neusa que num dia jogava bola, no outro amanhã estava numa cama de hospital, tendo o seu corpo maculado por seringas e máquinas feias, a fim de lhe salvarem de uma leucemia. Sinto medo e tristeza pelo Leonardo. Tenho esperança pelo Leonardo. Sinto vontade imensa de abraçar a mãe dele, minha amiga nascida em quatro de julho, parte de mim pela vida toda.

Então, cerrada a porta da minha alma pela total falta de ânimo às comemorações, fez-se uma frestinha de luz e eu permiti a entrada da alegria. Brindei e bebi à vida, a mim, ao Leonardo que logo vai estar outra vez jogando bola e sendo menino. Ele já avisou que “isso é besteira, mãinha, eu vou ficar bom”, do alto da sua sabedoria aos nove anos de idade.

E sendo alegre,  deixei virem todos os abraços que nunca me bastarão. Sou devoradora de abraços sim senhor. Se isto é crime, me prenda se for capaz, num imenso e aconchegante abrir de braços para sempre. E foram tantos e tão importantes. Eu não sei ser de outro jeito senão pura pieguice amorosa. Não sei ser senão absurdamente grata às palavras e gestos aonde me vejo querida. Eu percebo isso a cada dia dessa minha vida às vezes bem vivida, outras só existida.

Digo com um prazer incrível o quanto é bom ter amigos. Eu os tenho. Eu os amo! Eu os preciso tanto! Meus amigos a quem eu chamo de mãe, tios, irmãos, irmãs e sobrinhos. Aos amigos que não tem o meu sangue, mas tem o meu coração. A quem ainda não abri meus braços, mas sabem  da minha alma. A quem me ama pelo que enxerga em mim. Apesar do que enxerga em mim.

É só isso. Despeço-me com uma frase atribuída ao Mia Couto (alguém sabendo que não é, acene aí) e eu a peguei pra mim, preguiçosa de corpo e alma... Sigo assim. Sigo sempre. Beijos!

Arapiraca, cinco horas da tarde de um domingo frio de primavera.

Cá entre nós: Rodolfo e Denise escreveram pra mim 
  e está por aqui... Tão lindamente. 


10 comentários:

  1. Milene, eeeeeeh, parabéns! Quem tem a sensibilidade guarda dentro de si sente mesmo as turbulências alheias na pela, porque sabemos na nossa fraqueza humana e o quanto nossa fragilidade pode ser atacada. Mas foi muito inteligente ao aceitar, em comemoração, o abraço caloroso dos amigos. Com a alma em festa, fica mais fácil torcer pela recuperação de quem está sofrendo. Um abraço, que sua alma continue sendo assim, grande!

    ResponderExcluir
  2. Milene, parabéns pelo niver, como é bom festejar a vida! que venham muitas primaveras coloridas, e mesmo que algumas não sejam, saberás usar as cores da tua imaginação para que tua vida seja sempre de alegrias e bençãos.
    beijos

    ResponderExcluir
  3. Gente assim feito tu LeLe
    dá um animo daqueles na gente.

    Obrigada por tudo.

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Parabéns menina!
    Com chuva, ou sol, primavera fria ou quente, celebre a vida todos os dias.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. 43 + 52= 95 desejos de que seja feliz!
    Beijuuss Mi_nina amaaada

    ResponderExcluir
  6. Ei que vontade fiquei de te dar um abraço no seu dia! Pena estarmos longe assim viu. Ehhh mapa grande esse nosso!
    Mas acho impossível alguém ficar desanimada em um belo dia de chuva. Nao tem fenômeno mais perfeito do que esse. Acredite foi um presente! Beijos!

    ResponderExcluir
  7. Oi parabéns, vim deixar um desconhecido abraço, mas sincero. Estarei daqui também torcendo pelo menino Leo.

    Abraços

    ResponderExcluir
  8. Milene,

    Rodolfo é muito especial. E Denise, com certeza, uma pessoa que faz sorrir por ter esta amizade.

    Eu lhe desejo toda felicidade. Que a Paz esteja em seu caminho.

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Milene, que LÁSTIMA não ter vindo aqui no seu dia para te dar parabéns. Dizem que parabenizar uma pessoa com atraso não dá sorte, mas não ligo pra isso e te desejo tudo o que há de melhor sempre. Saúde e paz! Ah, adorei o texto, como sempre. Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Ahh... não deixei no dia, mas fica aqui meu imenso abraço para alguém que nem conheço pessoalmente e já sinto um bem querer bem grande!!
    Desejos de amor, alegrias, saúde, paz e sucesso são piegas mas é tudo o que mais desejo. Tudo isso ai e uma pouco mais se Deus permitir! Que seus dias sejam cada vez mais cheios de sentimentos bons, muitos amigos e felicidades.
    Somos do mesmo mês e dias próximos. Meu aniversário foi dia 28/09 mas não tenho tanta intimidade com as palavras como você para escrever um texto tão lindo. Mas posso confessar aqui que foi um dia maravilhoso e cheio de surpresas boas.

    Mais bejus

    ResponderExcluir