domingo, 23 de setembro de 2012

PRECISÃO DE ALEGRIA




Carecia de muita leveza nuns bocados do todo dia da vida. Precisava desmandar pressa e sisudez e somente deixar seguir a esteira do tempo no caminhar dele, sem aperreio. Por que o tempo caminha de um jeito só, mas tem vezes que a gente sente como se tivesse num vagão de um trem apressado ou então na vagareza de um carro de boi. Ele deixa a gente à vontade pra escolher de que jeito vai seguir, mas que ele nunquinha para pra tirar um cochilo embaixo do pé de manga, isso é de certeza. Eu gostava que viver fosse andar um pouquinho no trem apressado e no outro dia, devagar no carro de boi. Viver era bom que fosse misturar as coisas, porque tudo misturado fica mais bonito que uma coisa só. Por que misturando, todo dia aparece uma estampa diferente, um colorido novo, que nem na primavera, e a gente não enjoa do retrato da vida de todo dia. Hoje, na cumeeira da minha casa, três rolinhas caldo-de-feijão descansavam de tarde. Não sei o que pensavam os passarinhos, mas eles trouxeram boniteza nesse pedaço de tempo que passava desimportante. Amanhã eu quero mais boniteza, e no outro amanhã também. Uma miudeza de alegria, se vier todo dia, dá pra juntar uma alegria grandona. Dá até pra emprestar a quem tiver precisão.



12 comentários:

  1. Eu gostava de escrever assim, como você, misturando toda simplicidade rotineira e transformando-a numa belíssima composição. Você é dessas! E minha admiração é toda sua.

    ResponderExcluir
  2. Adorei o texto, Milene.E as fotos das rolinhas também. Aliás, anos atrás um casal de rolinhas fez um ninho numa samambaia que fica na minha varanda. Convivi com esses inquilinos por quase três meses, tendo tempo de chorem os ovos, nascerem os filhotes e aprenderem a voar. Pra regar a planta só com muito cuidado e sem se aproximar muito. Eles até se acostumaram comigo. Senti falta quando se foram. Beijos e boa semana.

    ResponderExcluir
  3. Precisão do tempo no trem da vida em poesia adorada e cheia de vida! abraços

    ResponderExcluir
  4. sobre tua arte com as palavras já está tudo mais que dito
    A insustentável leveza do ser, como o titulo do livro do Kundera...
    viver é isso sim, ora correndo ora paradinhos e normalmente para nossa frustração acontece um quando queremos o oposto...
    deixa vida te levar Milene, como canta o Pagodinho
    beijo

    ResponderExcluir
  5. Para transformar uma cumeeira numa comunheira basta a comunhão de uma rolinha com uma cantora das prosas da vida.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Que prosa gostosa Mi!

    A primavera chega mansa e agradável trazendo canoros sons e toda sorte de caminhos a seguir.

    bjs da Lu

    ResponderExcluir
  7. Que buniteza essa tua, além de juntar uma alegria grandona, faz empréstimo dela...
    Mas tem uma coisa, Mi, que é tua: essa mania de escrever desimportâncias desse jeito tão singular...em ti, nada é miúdo, só esses olhinhos que se apertam quando ri...rsrs

    Lindo, vici?
    Bjos primaveris!

    ResponderExcluir
  8. Que texto bacana, Milene. Simples, sem rodeios, mas de significado grandioso.

    Quanto ao tempo, a esteira anda de acordo com as nossas escolhas.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Eu acho bonito o seu jeito de escrever, tem um certo sotaque na sua escrita que me encanta bastante. Lendo seu post, me lembrei de uma musica da Maria Gadú, que diz que o tempo é um dos deuses mais lindo, eu não concordo, pois se o tempo fosse um deus, em minha opinião seria um dos mais cruéis, pois ele nunca esta a nosso favor, e por vezes quase nos consome a alma. É como diz uma musica dos Titãs, É PRECISO SABER VIVER, pq já que não podemos controlar o tempo, temos que pelo menos saber viver e aproveitar o maximo possível, do tempo que o tempo nos da. Como o caso das rolinhas, que lhe proporcionou instantes sublimes num simples observar.

    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Que coisa linda te ler,Mi! Uma tranquilidade ! E até o final, sempre lindo! Gosto muito e precisamos dessa alegria, até pra repartir...beijos,chica

    ResponderExcluir
  11. Hahaha eu te leio sorrindo porque não é possível alguém escrever assim e não ser famosa! Mi, vc deveria ser escritora, é serio.

    Entao, que bom que perguntei teu aniversario né?! Kkkkkkk
    queria um email teu que eu possa te mandar uma mensagem sem ser aqui pelo blog, vc tem?
    Se tiver manda um email pra mim que respondo - kmilla.monteiro@gmail.com
    beijos!

    ResponderExcluir
  12. Ai... já tava com saudade de passar por aqui. Desculpe a falta.
    Ô texto lindo! Poesia pura!!

    Bejus

    ResponderExcluir