sexta-feira, 23 de novembro de 2012

COISICES


TIPO... ME SEDUZINDO

Quem em sã consciência coloca um título desses numa postagem? Ninguém, eu sei. Mas é que nesse exato instante não me ocorre uma nomenclatura bacaninha, então sigo coisando. Aliás, se você, caro leitor e solidário das letras desamparadas, quiser sugerir um título mega-ultra-supimpa sobre coisices em geral, serei grata e usarei na postagem seguinte.

Embora eu tenha desacelerado no vício, devo parar de ver TV. Certas coisas me deixam verdadeiramente irritadas e não tem como tirá-las do vocabulário televisivo. Hoje mesmo uma senhorinha simpática disse pro filho, aquele que é o cara: “fiz a lasanha que você adora”... Gota serena! A todo instante alguém diz essa chatice, que fez isso ou aquilo que o bestão adora. Por que na vida real não é assim? Titia nunca disse pra mim: “Milene, fiz aquele pudim que você e sua vesícula adoram”? Acho injusto. Eu gostaria muito que alguém de bom coração e boa mão na cozinha, um dia me fizesse tal declaração de amor.

Ah, pra que falei em amor? Ando desconstruindo esse cabra, é verdade. Nas suas infinitas variações, algumas delas eu proibi de tentar invadir o meu pobre ser frágil e indefeso. Na porteira do meu coração, tem dois cabras fortões, um de cada lado, impedindo a entrada de sentimentos meliantes invasores. Haverá uma espécie de triagem e dependendo da característica apresentada, da porta não passa. Meus guardiões perguntariam: “tá querendo o quê com ela?”... O meliante invasor: “vender a ela uma porção de ilusão”... Aí é expulsão na certa, só pra seguir na rima.

Falando em porta, ontem, quando adentrei o recinto minúsculo o qual generosamente chamo de quarto, recém-saída do banho da tarde, porque aqui na minha cidade deve está instalada a fábrica universal do calor, minha amiga Cicinha sutilmente tenta derrubar a porta:
- Tá dormindo?
- Tô!
- E como está respondendo?
- Sou sonâmbula!
- Engraçadinha.
- Se sabe que eu não estou dormindo, porque perguntou?
- Só pra ter certeza.
- Com essa sutileza toda da sua batida, acha que alguém permaneceria dormindo?

Abri a porta e concluí esse diálogo de tanto carinho, tendo que aturar o seu sorriso de quem sabe o quanto adoro ser acordada:
- E nem a sua cara ia continuar bonitinha assim...

Eu acho lindo isso de amor e tolerância no mundo. Sigo fazendo a minha parte.

Mas a verdade é que eu não tenho a menor noção de como seria a vida sem a maluquice adorável da amizade. Ah, nem me importo em ser clichê, eu acho isso e pronto! E tenho um monte de amigo doido, o que é ainda mais massa. Só me irrita um pouco essa questão de ser tão transparente ao ponto de ser mais percebida por eles do que por mim mesma. Tem horas de querer dizer: “dá pra fingir que não me lê tão bem, fazendo o favor?”... Na verdade é só manha, porque adoro isso. Meu amigo Antonio, a quem eu adoro não somente por ter o nome do meu avô, é expert nessa prática. Pegou meu coração pelo pé, nesses dias, pelas coisas irritantemente verdadeiras que me disse, a cerca de mim, do que jamais tive a gentileza de fazer pela minha nada mole vida. Mentira. Minha vida é mole mesmo... Um pudim.

Daí Rafaela, outra leitora de minha alma, disse assim: “vou parar de me meter na sua vida, vou ficar quieta”... Como assim? “Que espécie de amiga para de se meter na vida da outra tão de repente, como vou ficar sem o seu enxerimento?”... Esbravejei com tanta força que os céus tremeram. Chamei-a de chata, muito chata, e ficou tudo certo. Já falei dela em outras letras, das coisas que me disse e jamais esqueço e repito aqui para quem não leu: Quando da minha primeira endoscopia digestiva, eu com um supermedão da borracha infame, quando nem éramos amigas, mas não tão siamesas como agora, ela me ligou pra dizer: “Mil, vou estar trabalhando, mas qualquer coisa me chama que vou lá segurar a tua mão”... Eu nunca esqueci esse gesto de tanta simplicidade, mas com uma grandeza imensurável contida. Ela é assim, por isso é maravilhoso tê-la dando pitacos de amor na minha vida.

Chega de coisices. Precisava abrir um frasco de letras, porque estava transbordando. Não sei se são as melhores, mas são tão minhas... Vou dormir e sonhar que amanhã alguém me diz que fez aquele pudim que eu adoro. A propósito, eu adoro não só aquele, mas todos os aqueles.

Inté!




16 comentários:

  1. Adoro quando abres o frasco das letrinhas e se formam nesse tipo de "coisices" Lindo te ler! Muito legal!! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. tinha que falar em lasanha, em pudim, hein???

    que coisa!

    ....divida os cabras fortões, nem vou ligar!


    rs


    (amo tu sempre e sempre)

    beijo

    ResponderExcluir
  3. Um dia, eu vou até Arapiraca, entro na tua cozinha com minha vodka enquanto estiveres distraída, vendo TV, e saio pela porta da sala, falando: "Ôi, Mi, fiz aquela caipiroska que você adora!"
    Ho-ho-ho-ho-ho! (Risada do Papai Noel, que você também adora!)
    Você "coisou" muito bem, como de costume!
    Não segure as letras e palavras, senão elas saem pelo ladrão, que nem na caixa d'água...
    Continue coisando assim!
    Beijos, Milene!

    ResponderExcluir
  4. Mi querida.
    Sem essas coissces não serias tu. Ainda bem que o frasco abriu e parte que já era excedente derramou. Derramou e eu aproveitei para saborear a mescla de coisas boas que essa "sopa letras" tem, e sentir que tenho andado arredado por coisices que o tempo não empresta mais do que quer para eu resolver e me afasta de tão boa leitura, amizade e companhia.
    Pede lá a esses dois guardiões que quando virem a minha figura, façam de conta que não me vêm porque estão ao olhar para o céu distraídos logo no momento em que uma nuvem tapou o sol, para eu entrar despercebido.

    Beijo e kandandos a atravessar tanto mar, deste que t'adora.

    ResponderExcluir
  5. Ei porque vc nao pega um desses caras fortoes que ficam na entrada do teu coração e chama pra sair? Quem sabe não são eles? Kkkk gostei disso.

    Se eu tivesse mais perto faria um pudim pra vc! Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Adorei sua escrita como sempre cheia de humor e deguloseimas...
    Neste post me chamou atenção algo que abomino neste mundo virtual e faço votos que esses dois guardiões te encham bem essa sua cabeça volúvel e te alertem para essa gente frustrada e tarada que não tendo vida real vai inventando uma à custa de meninas ingénuas, de gente boa e que acredita, etc...
    beijo Milene

    ResponderExcluir
  7. Era a sobremesa predileta de mamis...e fazia como ninguém. Não tenho essa arte, mas encomendaria - com gosto - um procê! Me lambuzei com suas coisices e essas só você tem receita e mão boa de fazer.
    Beijuuss MI_nina amaaada

    ResponderExcluir
  8. Muier, vc é boa demais nas "coisas". Sabe, essas coisas q vc escrivinha. Sobre a amizade, vc sabe, lhe disse isso hj, seria ideal q vivessêmos só e sem espelho, porém, graças a Deus, nascemos para viver em grupo. Ah, sim, o pudim. Bem, vou ficar devendo, pois só sei fazer bolo e no dia que eu fizer e for entregar, fala por dois brutamantes que é tudo pela amizade. Qto a coisices, deixa assim mesmo, essa coisa enriqueçe a língua, por falar em língua, a minha tá salivando de olho num doce de banana, aceita. Até eu tou coisando. Encerro essa coisa, espero que o considere como um comentário. Outra coisa, bom finde. Ah, em tempo, tou melhor. Bjos.

    ResponderExcluir
  9. Ahh! Mas o título foi o que mais gostei assim que cheguei aqui, "Coisices" achei a sua cara. Sabe porque Mi? Porque você tem o dom de dar alma às coisas, se vc escrever sobre pedra ela terá alma, então coisices pode ser qualquer coisa, mas se forem da Mi terão alma e isto faz toda a diferença.

    Menina, você é boa demais! Seu o pote de letras é abarrotado de magia, você pode enfiar a mão lá sem olhar o que vai sair, misturar pudim, amizade, amor, tolerância, e o que mair vier de dentro que o pozinho mágico que vem junto, se incumbe de colocar cada um suavemente em seu lugar e a gente saboreia sempre o paladar mais perfeito resultante da união dos ingredientes mais improváveis.

    Sua primeira frase eu pensei igualzinho quando postei meu texto hoje, quem em sã consciência põe um título deste? Mas garanto, minha insanidade foi bem pior que a sua, eu diria, mais arriscada.

    Mi, desculpe a demora, as coisas andam difíceis, em janeiro acho que consigo melhoras, até lá perdão por tanta ausência, eu também andarei me perdoando por deixar de ler tanta coisa boa por aqui, mas porei em dia tudo que que tenho perdido assim que puder, amo te ler (acho que vc sabe, ou sente)!

    Beijão

    ResponderExcluir
  10. Vem aqui menina, comer um pudim de giló, é o que há de mais supimpa nesse universo de todos os deuses. E para a próxima postagem sugiro besteirices. Meu beijo.

    ResponderExcluir
  11. A vida fica mais leve quando temos controle e permitimos que certas "coisices" aconteçam com a gente.

    Também gosto de pudim!
    Bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  12. que especie de amigo para de se meter na noss avida né? hehehe

    muito bom

    foi costurando um pensamento no outro, assim fica facil se prender ao texto
    tenho mjuitos colegas e analisando s etenho amigos
    sou linguarudo demais hehe

    nao sou bom em titulos de textos todos os meus sao inspirados em cinema musica ou sei la o que

    ResponderExcluir
  13. Oi Milene, suas coisices, são as coisices mas adoráveis que já li pela net, pra mim a TV, é uma grande vitrine de uma loja, com produtos caros e muita das vezes impossíveis de serem comprados, e agente fica ali olhando e desejando aquele produto. A tv criam desejos em nós que muita das vezes estão fora da realidade. Que bom que seu coração esta bem protegido em tempos insanos como os que vivemos temos quase que blinda-lo para evitar eventual ataque de sentimentos traiçoeiros. Eu costumo dizer que uma boa amizade é o bálsamo da alma.

    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Hehehehe. Adorei essas coisices todas!
    Um ótimo domingo pra ti!!!

    Bejus

    ResponderExcluir
  15. Infelizmente, nunca poderei dizer que fiz algo gostoso e especial para alguém, porque sou uma negação na cozinha (hehehehehe). Mas também não me lembro de terem preparado um prato especial para mim (buá).
    Os amigos, esses xeretas, são maravilhosos. Dizem o que não queremos ouvir e ainda ficamos satisfeitos. Que coisa! Bjs.

    ResponderExcluir
  16. Adorei suas coisices, Milene! Aliás, sempre gosto quando você compartilha esses acontecimentos!

    Sobre a situação mencionada, eu concordo. Nunca ninguém falou pra mim: fiz isso que você adora. Por que será? Só em novela mesmo...

    Agora, não pare de ver tv, porque o que será do meu blog sem você? rs Beijos!

    ResponderExcluir