quinta-feira, 1 de novembro de 2012

DIA DISSO... E DAQUILO TAMBÉM



Espiei pro último céu de outubro a fim de vê-los repletos de vassouras voadoras, mas acho que elas estavam aonde minha visão não alcançou. Foram longe as bruxinhas. Foram antes que entrasse novembro e trouxesse pela mão o que nem supomos.

Mas você, caro leitor, duvido que soubesse que hoje, quase ontem, trinta e um de outubro, não foi dia apenas dedicados as bruxas, aquelas em que não se acredita, mas que existem, existem. As donas de casa também merecem todas as honras nesta data e isso é de uma importância absurda. Como vivemos até hoje sem saber disso?

Exceto pela casa que não puderam varrer, visto que as vassouras estavam com outra função, que raios de benefício este dia trouxe para as donas de casa? Esse termo, aliás, é bem bagaceira e ultrapassado, né não? “Dona de casa” no sentido de dizer “toma essa trouxa de roupa e vai logo pro tanque”, eu dispensava bacaninha.

Essa questão de data esdrúxula inventadas a todo instante é meio constrangedor. Esses dias me desejaram “Feliz Dia do Livro”.  Minha deseducação quis perguntar como se faz pra ter um feliz dia do livro, no que isso implica exatamente, e se nos outros dias a ideia é ler e derramar uma lágrima por página, visto que não será feliz.

É claro que dedicar um dia especial para a invenção mais incrível é louvável, oxente. Tirando a parte chata do “feliz dia”, gosto do que lhe rodeia, gosto de ser lembrada, eu e a minha pouca literatura, para uma alusão a esse dia. Mas, e as outras invencionices de datas? Lembrarei-vos:

Em 29 de junho, por exemplo, comemora-se o dia do dublador. Sério que você não sabia? Anda bem desinformado, visse? Por isso estou aqui, prestando esse serviço fundamental para o seu crescimento intelectual, espiritual, fenomenal, até paranormal. Em 27 de julho é a vez do jogador de Gatebol.  Que massa!  A emoção deve rolar solta neste dia tão especial para a humanidade, que por incrível que possa parecer, caminha. Mas... o que é mesmo Gatebol? Mais pra frente, já no dia 25 de setembro, “comemora-se” (preciso rir meio metro) o dia do cadáver desconhecido. Gente dos céus, quem foi o descerebrado que invento uma data assim? O que estaria fazendo o sujeito, que de repente, no auge da sua asnice, pensou: “os cadáveres desconhecidos precisam de uma data para não receberem flores ou não terem velas acesas em homenagens às suas almas também desconhecidas, visto que não se conhece a sua linhagem”... Diante disso, o primeiro de agosto, dia da desfiadeira de siri, ganhou importância de data cívica.

É claro que essa coisa de destinar data pra isso e aquilo sempre existiu. Eu bem lembro dos calendários que o Vô comprava infalivelmente todo ano, aquele das folhinhas que se arrancava todo dia, e no verso havia uma enormidade de comemorações. A questão é que a internet impõe tais informações goela abaixo e a gente não sabe se sorri e acena quando alguém te cumprimenta pelo feliz dia do dedo mindinho, ou se esconde embaixo da mesa, tamanha a vergonha alheia.

Amanhã, que já é hoje, primeiro de novembro e dia de todos os santos, que é pra nenhum ficar com ciúme. Por que no céu deve ter uma santaria só, mas os viventes se lembram apenas dos mais badalados. Se apegam com a santa dos endividados, o santo das causas perdidas, Tonhão, o casamenteiro (ainda tá em dívida comigo) e outros com maior prestígio e para uns muitos ninguém dá ousadia. Por isso a minha homenagem é para os santos sem dia fixo, os excluídos do calendário cheio de bossa, pois seja na terra ou no céu, os menos favorecidos merecem um afago. Escolhi a Santa Rosa de Lima (viveu lá no Peru, me disse o Wikipédia), que bem deve ser minha parente, para representar essa categoria oprimida pela santa injustiça social celeste.

Agora chega de tanta besteirice. Que os santos não me leiam. Que os dias sejam felizes, todos e sempre.
Inté!

Já passeou no meu Relicário, que está de nova vestimenta e cheio de música bacaninha? Pois fique sabendo que hoje é dia de ir... 


20 comentários:

  1. É mesmo, temos tantos dias disso e daquilo...Uma lista interminável. Mas o que importa é que todo dia deve ser dia de sermos felizes.Merecemos! beijos,tudo de bom,chica, lindo feriadão!

    ResponderExcluir
  2. Cada dia tem as suas sutilezas, não é? As vezes depende do nosso bom humor, e aí faremos de um dia de leitura, não com lágrimas! abraços

    ResponderExcluir
  3. Pois este dia, este de agora, tem se repetido todo mês....cê naum sabia naum que tem um dia da alegria de ler as besteirices da Milene Lima...e que ele se repete quando a atualização avisa que as letras todas se juntaram e é hora de reuni-las ao bom gosto de uma escrita / leitura deliciosa?

    POIS TEM!!! Anote aí na agenda, moça, pra que não deixe de celebrar, pq de desimportÂncias de data estamos cheios, queremos aquilo que é bacaninha comemorar...visse??!!!!

    Feliz teu dia, Miminha do Rodolfo...e de todos nós!!!

    #faleiedisse

    ResponderExcluir
  4. Essa "homenageiada" desenfreada de dias disso e dias daquilo (pois é, também tem o dia 'daquilo' mesmo!), enfim, fruto da tal propalada "carpe diem". Uma expressão talhada lá na Roma antiga, por ocasião da sua queda.

    Pois é, "carpe diem" não tinha esses louros que lhe dão hoje. "Carpe diem" significava que as coisas estavam tão más, que tudo iria ruir a qualquer momento, que o fim estava tão iminente, que se deveria aproveitar o dia de hoje não porque "era o dia da felicidade", mas porque amanhã poderia não existir mais cidade, prazeres, pessoas... nem tempo para um sorriso qualquer.

    Todavia, como tudo caminha (e a humanidade também [des]caminha), os sentidos das expressões vão se alterando. E por causa do "aproveite o dia", lá se vão todos a desejar "feliz dia" de tudo todos os dias.

    Mas como fica a tristeza?
    "Mas pra fazer um samba com beleza
    É preciso um bocado de tristeza
    É preciso um bocado de tristeza
    Senão, não se faz um samba não" (Vinícius de Moraes - Samba da benção)

    Afinal, é triste errar, mas só com erros (e é só com erros mesmo!) se aprende nessa vida. A estante dos troféus fica numa sala que ninguém visita; já a das angústias fica no ambiente mais visitado das casas particulares de cada espírito.

    "Ah! Mas já passei por cada uma!",
    "Você sofre? Vixe... se te contar minha história você chora!",
    "Ah! Mas você ainda não viu nada; não sabe do que passei pra chegar até aqui!".

    Pois é, deve ter sido mesmo muito sofrimento, nenhuma alegriazinha magricela, raquítica pra se lembrar até aquele tal dia das lamentações. Só as dores. Então porque "feliz dia"? rs

    Claro que temos os altos e baixos e os dias serão 'felizes' ou 'tristes', que sejam. Mas a homenagem para isto ou aquilo que seja para ser lembrado. Porque 'feliz dia dos cadáveres esquecidos' já é demais! rs

    Abraços e boa quinta-feira, Milene.

    ResponderExcluir
  5. Oi Milene,
    Saiba que o que escreveste não é bobagem, é a mais pura verdade. Se você pesquisar, todos os dias temos algo para comemorar, festejar, lembrar e haja presentes.
    A verdade é que, a maioria das datas são criadas em função do comércio, o seu significado fica em segundo plano.

    Bom feriado!

    ResponderExcluir
  6. A Denise disse tudo. Felizes são os dias em que tuas inquietudes vêm à luz.

    Beijos, parideira de alegres dias!

    ResponderExcluir
  7. Super esse seu humor refinadíssimo...
    Acho uma estupidez essas celebrações diárias ao sabor de quem nada tem para fazer senão inventar mais estupidez do que aquela que já esgota nossos dias.
    Para mim devíamos em prol da sacralização da estupidez inventar o dia de celebração dos dias de celebração; que tal ?
    beijo Milene

    ResponderExcluir
  8. Olá, Milene!
    O título, assim como o texto, é ótimo!!!
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  9. Eu nem me importo de quem é o dia! Se for feriado já to gostando! O de amanhã curto pacaí: dia dos mortos. Porque vou pra Sampa curtir o zumbie walk! Adoro dia das bruxas... que venham mais! Kkkkkkkkkkk
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. De dias de sabe que tôfora faz tempo. Gostei dessa santa meio sua parente...vou já já acender uma vela prela e fazer uns pedidos...quem sabe, generosa como vc, me traz o riso. Esse arreganhar de dentes que quase (nas poesias naum)sempre tenho com vc!
    Beijuuss minha Mi_nina

    ResponderExcluir
  11. Milene, tive q segura as tampas para não ralhar de rir. Q crônica deliciosa de ler. De hj em diante vou rezar para a santa da sua família, o pedido tá feito, se ela não atender, qq dia, não precisa ser um dia especial, eu vou cobrar de tu múier. Não se avexe e me aguarda. Bjos. Bom finde e bom dia dos mortos.

    ResponderExcluir
  12. Eata crônica foi daquelas com marca registrada!
    Já que este é o dia de todos os santos, então não precisa mais ter dias para cada um, né?
    Mas, o dia da desfiadeira de siri, eu acho válido manter...Já viu o trabalho que dá pra desfiar um quilo de carne de siri?
    Só pra você depois poder degustar aquela casquinha de siri com uma geladinha?
    Ih! Deu sede!
    Beijo, Milene!

    ResponderExcluir
  13. Cronica soberba !
    tens o talento de nos levar e trazer como numa deliciosa dança .

    Sabe ! o dia mais importante é aquele que um dia ele foi inventado.

    Grande abraço !






    ResponderExcluir
  14. Hehehehehehehehhehehehe felizes dias de tudo! Sempre o dia vai ser de alguma coisa! Bela crônica essa sua!

    ResponderExcluir
  15. Como tem dia, hein? Com tantas homenagens fica impossível se lembrar, ou até mesmo saber, de tudo. rsrsrsrs Adorei a crônica. Beijão.

    ResponderExcluir
  16. Querida Milene, retornei ao teu espaço para te dizer que lá no meu cantinho tem um presente para você.

    Tenha um feriado excelente e um fim de semana que se estende com muita luz e alegria.
    Abraços. Daniel

    ResponderExcluir
  17. nesse dia cheio de marasmo eu ri

    que tal o dia do garoto negro com nome grego?


    tem dia da enfermeira, do operador de telemarketing e quem sabe do ceu azul

    ResponderExcluir
  18. Oi Milena, nossa como eu me diverti com esse post, principalmente com o dia do cadáver desconhecido (risos), muito loco. Eu nunca me liguei nessas datas, a não ser na quelas realmente relevantes e dignas de serem lembradas.

    Adorei o texto

    Abraços

    ResponderExcluir
  19. Hahahahahaha. Só tu para me fazer rir num dia/noite em que estou tão melancólica.
    Mas é bem verdade que existe dia de quase tudo (e todos) hoje em dia. Ai de nós se tivéssemos que saber de todas ;)

    Bejus querida

    ResponderExcluir