terça-feira, 27 de novembro de 2012

MUSICALIZANDO A TEPÊEME



Quando se está com a sensibilidade exacerbada é preciso ter cuidado até com as músicas que escolhe pra ouvir. Nessa madrugada me vali de Yestarday, dos meninos de Liverpool e não foi lá muito boa a ideia. Foi um lacrimejar incontido, um sentir mais incontido ainda, seguido de uma iniciação de questionamentos acerca da minha existência.

Faça-me o favor, eu mesma! É besteirice demais pra se fazer num começo de madrugada, quando o mais sensato seria jogar-se na cama e abraçar o sono. Mas o destino é mesmo camarada quando quer. Eis que despencou a luz elétrica e deitar fez-se indispensável. Calor duzinferno, pessoas! Vocês sequer supõem que o efeito estufou de vez foi aqui na minha terra, só pode. Aliás, em relação à falta de luz, estão até desatualizando a canção do Renato Russo, que diz “ontem faltou água, anteontem faltou luz”... Dia sim, dia também, ficamos à mercê do escuro e em relação à água a situação é pior ainda. Os serviços devem estar entrando em conflito com medo do fim do mundo que se aproxima e “apagãozear” é o verbo da vez.

 Enquanto isso, o assunto recorrente ainda é a posse do Quincas para presidente do Supremo. Que massa, verdadeiramente. Em consequência disso, porém, vem uma enxurrada de besteirol que é preciso ler porque não se é cego, do tipo: “ele não precisou de cotas”. Ah, vá! Então agora está tudo resolvido nesse país tropical, abençoado por Deus e bonito por natureza? Então todos agora tem exatamente as mesmas possibilidades de se tornarem um ministro, ou cargo se semelhante importância, só porque o sujeito preto, pobre, filho da doméstica, conseguiu? É só estudar e pronto, né não? Mas estudar aonde, cara pálida? Na minha escola que passou todo o ano com zero dias letivos? Na outra cuja pilastra desabou na cabeça do aluno? Ou naquelas que os caras continuam surrupiando a verba da merenda? Pode parecer que estou dissertando a favor das cotas. Não. Nem contra. Muito pelo contrário, aliás. Sou contra ser a favor, e a favor ser contra. Mas, falando mais seriamente, enquanto tudo estiver funcionando desse jeitinho brasileiro, daqui a cem anos ainda estaremos nos admirando quando outro cara preto, pobre, filho da doméstica, alcançar um cargo tão importante. E todos ainda continuarão pasmando: O sujeito ainda é honesto!

Mas, antes do apagãozão, antes do Quincas Barbosa e o calor duzinferno, havia uma música e as minhas lágrimas sentimentalóides. E eu a escolhi pra ser a canção da vez, porque certo dia me deram essa como a música que mais parecia com a minha pessoa meiga, fofa e tepeêmica. É claro que eu nem quis perguntar outra vez, pra não correr o risco da pessoa ter se enganado e passei a nem me suportar de me achar tão linda. Deu vontade de confeccionar um cartaz com dizeres assim: Ei, sabe Yestarday? Pois é, parece comigo. Desculpa aí se tu tem cara de “Festa no Apê”.

Me despeço agora, e vou, sentimentalizar a minha TPM moderada ao som de Beatles.
Beijo, pessoas.




16 comentários:

  1. Muito chique sentimentalizar tepeême com beatles! Muito chique sair por aí dissertando texto danado de bão! "Enquanto faltou água e também faltou a luz..." Mas a luz da consciência não se apagará e a água das palavras que jorram no papel com conteúdo também não!
    E enquanto a febre não passa; a gente deita no chão, olha pro céu e diz que ontem, ah! ontem os problemas pareciam tão distantes...
    Abraços de luz e ótima semana, amiga!

    ResponderExcluir
  2. Cheguei ao seu blog e fiquei entusiasmado, pois foi feito com muita graça, e com boa intenção.
    Gostei do que li e achei um blog abençoado, onde se aprende muito.
    Sou António Batalha, tenho um blog peregrino e servo, se me der a honra de o visitar ficarei grato.
    PS. Se seguir meu blog faça-o de forma a que eu possa encontrar o seu blog para segui-lo também.
    Que a Paz de Jesus seja sempre consigo.

    ResponderExcluir
  3. Tô vendo dobrado? Sete Ramos tepeemizou foi? Depois vou lá pra entender... Enquanto isso vou administrando minhas risadas, inevitáveis, graças a vc... com mais essa crônica que trata de assuntos sérios, importantíssimos, com a leveza e humor que nos faz querer mais e mais. Agradei do comentário desse moço Garcia. Já outro tive que recolher meus kkkkkk para não gerar atitude bloguística politicamente incorreta.
    Beijuuss Mi_nina insone

    ResponderExcluir
  4. É fui intimado por interposta pessoa a me apressar, hehehehe
    Seu humor é refinadíssimo e só possível para almas sensíveis e muito inteligentes...
    Detesto esse lado colonialracista do Brasil e é nas telenovelas que mais se nota mas vivendo eu num país negro e havendo aqui um racismo multicolorido,de pigmentação, de classe,de etc para quê comentar..
    TPM é realmente um caso muito sério quando a dita habita a mulher com quem você vive e eu que o diga, hehehehhe
    beijo Yesterday

    ResponderExcluir
  5. Sua sensibilidade exacerbada, como a chamou, rendeu um ótimo e divertido texto. O que se discute com "seriedade" (não a encontro no real), você tratou com humor e a atenção que o assunto merece. Eita competência!!!! Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Muier, falta de energia, falta de água, vc está vivendo o yesterday mesmo...rsssss.
    Qto ao Quinacas que eu só conhecia como´Barbosa, sabe, não me passou pela cabeça a sua cor e a sua condição social qdo menino, mas o fato de ele não ter rabo preso com nenhuma instituição. Oxalá se um terço dos políticos fossem assim, aí sim, não se precisaria de cotas, pois teríamos educacação e saúde gartuita.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  7. hahaha, Milene, adorei o final...chique demais essa mulher, fiquei imaginando algumas pessoas que conheço classificando como "cara de Yesterday ou Festa no apê", hahaha. Demais! Eu sempre faço essa besteira de ouvir músicas dor-de-cotovelo quando não estou bem, choro em bicas com vontade. Mas tem o lado bom, Milene: depois a gente dorme tão gostoso, não é? Isso claro, se tiver luz e o ventilador estiver funcionando...Um abraço, linda quarta!

    ResponderExcluir
  8. Oi Milene, fique tranquila, TPM passa, a luz e a água já devem ter voltado e o calor, esse sim também deve ter voltado. É o nosso verão.

    Quanto ao Quincas, mostrou-se um homem ético e de conduta inquestionável. Só que o nosso sistema de leis é tão porco(desculpem a expressão e nada contra os porcos), que o senhor Calos Cachoeira, aquele mentor do mensalão, já está solto. Não basta termos homens éticos, comprometido com a verdade, se o nosso sistema jurídico foi feito para proteger bandidos de colarinho branco.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  9. Olá, Milena!
    Esse é o blog/facebook do meu cachorro Bÿngo, caso tenha interesse em saber um pouco da vida dele...
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
  10. kkkkkkkkkkkk festa no apê é ótimo, bem, agora estou com uma música bem chique no meu blog, ainda bem, estou livre de outra classificação menos edificante,rsrs beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Mi

    Se toda TPM fizesse brotar um texto desses eu ia querer umas 4 por mês.

    O final foi hilário kkkkk Yesterday é mesmo a sua cara, a cara da riqueza!

    Agora me preocupei, qual será a minha cara? Apê não, please!

    Beijinho

    ResponderExcluir
  12. Um texto bem 'elaborado', eu diria....


    bjsMeus
    Catia

    ResponderExcluir
  13. kkk eu ri. Me diverti de novo.
    Essa tpm não precisa de cura nem tratamento. Não há nada de errado em perder as estribeiras né. Seja com choros abobados de yesterday ou num fall in party com festa no apÊ kkk vale tudo
    essa essência de explodir e gritar, chorar, cantar, enraivecer é muito inspiradora =p


    Hey aguardo uma nova visita quando puder ^^
    diademegalomania.blogspot.com

    Dá uma lida pra comentar ><

    Abraço do Clive

    ResponderExcluir
  14. Adoro seus textos recheado de assuntos, Milene. Sobre as cotas, sou a favor das sociais porque o branco pobre também merece esse benefício, mas sou contra a racial justamente porque negros de classe média e alta tb são beneficiados e é injusto na minha concepção. Mas o assunto é polêmico.

    ps; festa no apê não dá e o Latino deveria ser proibido de cantar e plagiar as músicas dos outros. Beijão.

    ResponderExcluir
  15. Ponha quatro poetas de Liverpool num caldeirão com molho de véspera (Yesterday Sauce). Adicione um magistrado brasileiro, negro. Junte um apagão. Não use água. Leve ao forno regulado pra calor duzinferno. Tempere com TPM e sirva a la Miss Milene.

    Delícia.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Ja notei sua musicalidade no face! Vez ou outra canto contigo.
    Mas comigo isso acontece com séries! Quando estou chorona tenho que passar longe de algumas tramar senão sao rios de lágrimas!

    ResponderExcluir