quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

DAQUI A POUCO JÁ É AMANHÃ


ROUBEI SIM! ME PRENDA LOGO, ENTÃO...


“Tem dias que de noite é assim”, diz Seu Luís, o meu velho, meu querido velho, quando as coisas não caminhavam de um jeito muito proveitoso. O que no início do dia era uma imensa flor de esperança, aos pouquinhos vai murchando e termina meio sem graça, desmotivada que só!

Lá no hospital hoje não era dia de ver o Doctor Gui. Que pena! Ficaria sem ver aquele sorriso tão lindo e firme cumprimento de mão, acompanhado de um “diga lá, estrela de última potência”. Sim, eu sei, ele diz isso pra todas, mas eu fingia ser um dizer galanteador e a vontade era sorrir e derramar: “ai, doutor, estou tão carente hoje, me abraça?”.

Definitivamente não seria uma boa ideia... Ou seria? O fato é que com ou sem Doctor Gui, despencaram do cume da minha montanha de otimismo as minhas expectativas neste dia. A vitamina B12 insiste em não me amar e isso impede a minha cirurgia. Chatice desvitaminada, pessoas! Eu não sei o que fiz pra ela, ou deixei de fazer (comer) pra ficar tão ausente do meu corpinho descompensado. Aí fica nesse marca-desmarca, rasga-não-rasga e o tempo passando... E armazenando um tonel de preguiça da situação.

Desistir? Nunquinha (sem tanta ênfase assim)! Vou esperar porque um dia floresce tudo de novo. E eu sou uma pessoa preguiçosa, mas num imenso grau de exagero, que tenho preguiça até de ficar triste por muito tempo. Ou sem esperança. Ou eu finjo ter esperança... Sei lá, viu? Quem souber favor me avisar.

E o papo com a doutora destruidora das minhas ilusões vitaminadas foi bacaninha que só. O jaleco e ela me olharam nos olhos e sorriram comigo. Ela até deu dicas supimpas pra minha irmã, que nem cirurgia vai fazer. Ela até reforçou aquele papo universal e atemporal sobre as diferenças do nosso metabolismo e a dos viventes usuários de cuecas. “A estrutura do nosso corpo é mesmo para armazenar gordura, precisamos disso para procriar. Nos homens é a força que prevalece. A natureza fez assim”... Pow, natureza, precisava exigir tanto de nós meninas? Eu troco a minha (enorme) parte em gordura e instinto paridor por um pouco apenas de sossego nas metamorfoses da vida feminina. Tudo cheio de conflito e exigência de autoconhecimento.  Gota serena! Às vezes fico cheia de tanto papo com o meu eu interior, o exterior...  Migrante e imigrante de mim. Oh, vida!

Depois da consulta desanimadora, fomos comprar quase nada no shopping, antes de pegarmos o caminho da roça. Meu cunhado me perguntava os caminhos a seguir e eu toda prosa, indicava. “É essa a entrada, Milene?”... Sim, vai na fé. Literalmente ele foi na fé, pois a entrada a confundir qualquer cidadão dava pra uma igrejona do Bispo lá da Record. Não dava pra recuar, foi preciso fazer o retorno por dentro do estacionamento do prédio suntuoso, aonde se encontravam alguns moços endinheirados da referida facção religiosa, que acenavam enlouquecidos para que parássemos nesse ou aquele local. O fato ao menos serviu pra provar que riso descontrolado não enfarta, senão não restaria um vivente naquele carro pra contar história. Não duvide da minha capacidade de navegadora, tenho lá culpa se o prédio onde Deus deveria se hospedar seja tão grandão?

Depois de enfim entrar no canto certo, depois de comprar besteirices, fomos procurar um canto para matar quem nos assolava, a fome. Lugar bacaninha, comida idem, Sam, idem. E lá se foi Cicinha ao banheiro... masculino! Haviam duas portas muito arrumadinhas, uma rosa e outra azul, frente à frente. A moça consumida pelo desejo de fazer xixi, entrou na primeira porta a ser vista pelos seus olhos verdes e só percebeu que era o banheiro dos meninos quando espiou a porta pelo lado de dentro, aonde moçoilas bundudas, seminuas faziam caras e dedos na boca. Comprovamos mais uma vez que a expressão “morrer de rir” é mero sentido figurado e ainda pudemos conferir pelo lado de dentro, a porta do banheiro feminino. Lindeza, pessoas, lindeza! Uns moços seminus, bonitos que só!

E na volta, já perto de casa, paramos na roça cibernética, onde curte férias a minha Cidoca prima, para nos deixarmos beijar pelo vento, devorar deliciosos abacaxis e uma cocadinha que de tão boa eu fiquei querendo mais. Abracei a tia dos olhos miúdos e amorosos, resenhei com os primos (quem sabe o que significa “resenhar” no nordestinês levante a mão sabida), até a tarde ameaçar despedida.

Quando minha irmã Gisele me deixou em casa e já ia embora, me falou na sua certeza de amor: “É pra ficar triste não, viu? Tudo vai dar certo”... Fico só hoje, mas daqui a pouco já é amanhã.

Né?


17 comentários:

  1. Quando hoje for amanhã
    Ontem terá sido agora
    Depois virá a manhã
    Trazendo uma nova aurora.
    E que a vitamina B
    Marque encontro com você
    E nunca mais vá embora!


    Bora ter preguiça de ter preguiça! Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Quer dizer que recusastes o chamado do Senhor, que te conduziu até a sua porta???
    É por isto que as coisas não dão certo!
    A fé move montanhas! Mesmo que seja fé nos bilhões do bispo!
    Rsrsrsrssr!
    Bj, Milene!

    ResponderExcluir
  3. Você faz tudo parecer leve. E cá estou eu a rir de suas andanças. Quando começou a dizer que indicaria o caminho eu me lembrei do carro prata e logo imaginei que o resultado disso seria engraçado. Depois, entra no banheiro masculino. Queria dar uma espiadinha, né????? Mas estou certa de que a paradinha na roça cibernética e as palavras de suas irmã trouxeram nova luz à sua ansiedade. Grande beijo!

    ResponderExcluir
  4. Eu me entreguei ao abraço, com carinho. Não recusaria um presente tão gostoso!
    Desculpe a falha (kkkkkkkkkk). Estava tão envolvida nos traçados do caminho que pensei ter acompanhado a Cicinha até o banheiro. Bjs.

    ResponderExcluir
  5. "Doutora destruidora de minhas ilusões vitaminadas". Como não se identificar? rsrs E coitada de você, foi parar na frente da Igreja Universal? Meu Deus, que desgraça! Suas crônicas são geniais, não canso de dizer isso. E como bem disse a Marilene você faz tudo parecer leve. E, sim, hoje já é amanhã! Aliás, estou no amanhã nesse momento. bj

    ResponderExcluir
  6. É, Milene, qualquer ida a hospital já costuma conter inquietude em si, seja crônica ou aguda. Mas você tem habilidade para, com o material fornecido pela própria vida, produzir blogadas bem humoradas a ponto de ananicar aperreios do momento. Sua irmã Gisele se despede com uma reafirmação de amor que embala evidente preocupação, adequadamente respondida com “É pra ficar triste não, viu? Tudo vai dar certo”. Ah, e de lambuja teve ainda a proposta de uma questão vocabular. Resposta? Sei não. Há mais sentidos entre uma região brasileira e outra para o verbo resenhar do que sonha a minha vã lexicografia.

    ResponderExcluir
  7. Oi MíLi minha amiga, tudo bem aí?
    Hahahaha, mesmo com um texto de temática deprê você consegue ser engraçada!

    Hahahahaha, quanto aos quilinhos a mais, eu sou gordinho desde o primeiro minuto de minha vida a quarenta anos atrás, hahahahahaha. e SÓ AGORA, depois de tanto tempo, eu estou conseguindo mudar a minha vida e a minha forma. Sabe o que me ajudou?

    http://www.submarino.com.br/produto/7311591/livro-estresse-engorda-mude-seus-habitos-e-tenha-uma-mente-e-corpo-saudavel

    Esse livro! Compre-o, leia-o, faça o que nele é proposto! Ele te dá subsídios e vontade de fazer o que você já está cansada de saber, mas nãi faz porque é assim como eu era... Preguiçoso!


    Um beijão!

    ResponderExcluir
  8. Um belo dia passando numa rua feia, havia uns dez botecos e o dobro de igrejas "evangélicas", reparei q uma delas havia o pastor pregando para duas senhoras e um senhor, uma mulher de meia idade e dois adolescentes. Conclui que as duas senhoras eram mãe e sogra, o senhor era o pai do pastor, a mulher de meia idade era a sua esposas e os adolescentes eram os seus filhos. Deu vontade de gritar para o pastor que ele vc pregar em casa, mas não deu, ele gritava mais alto do q eu gritaria dizendo para tirar o diabo do corpo. Sai correndo com medo, pena q não havia um banheiro feminino por perto.
    Vc vai fazer cirurgia? Me diga por email.
    É assim mesmo muier, não cai nos braços do pastor, para se espantar diantes das pirocas. E pensar q há salvação para tudo.
    Saiba, a medida do tempo se faz com nossos passos, entre um e o outro há o hj, no q foi dado o passado no q se dará, o futuro. Portanto, andamos.
    Seu humor é inigulável.
    Bjos, minha cronista preferida.
    Ufa!
    Sumiu do face. Para de expiar o bbb 24 hs. Vai trabalhar...kkkkkk

    ResponderExcluir
  9. Tem horas que é caco de vidro
    Meses que é feito um grito
    Tem horas que eu nem duvido
    Tem dias que eu acredito.
    Paulo Leminski


    um beijo minha flor.

    ResponderExcluir
  10. Claro que todo o contexto de tua escrita é sério, passado a limpo pela resiliência que a sra. tem adquirido nessa vida e pelo bom humor (amém!!!!) que te é peculiar...mas meus olhos correm para as coisas "pequenas"...encontram eco em alguma parte de mim...como os olhos miúdos da tia amorosa ou a certeza de amor da Gisele, e o amanhã que vai contar com teu sorriso mais conformado...

    A tua espera pode parecer longa medida pelo natural desejo de solução e término da espera...mas, a gente sabe que nem uma folha da árvore cai antes da hora, não é moça querida?

    Tuas Inquietudes são um primor pra se ler, que bom que dará vistas àquele arquivo cheio delas...
    Beijos, Mi_nha querida!

    ResponderExcluir
  11. Gosto da sua companhia, estou mudando o meu blog, gostaria de estar com você em meu novo endereço. Passa lá.
    Beijos
    http://construir.daysesene.com/

    ResponderExcluir

  12. Milene, já tão querida,

    Adorei o "roubo" da imagem. Ri, aqui, sozinha (rsrs).
    Você é sensacional, mesmo para abordar assuntos melancólicos. É isto que a torna linda. Poucos conseguem levar a vida com tamanho bom humor.
    Ri dos "causos" e equívocos. E por que perder a oportunidade de pedir um abraço para o doutor de sorriso lindo? Não perca a próxima change-rsrs.
    Vou repetir um clichê: Tudo tem seu tempo. Nada acontece fora da programação divina. Enfrente este teste de paciência, mostre que você é capaz e, no final, conforme disse a sua mana Gisele, "tudo vai dar certo".

    Beijão, queridona.

    ResponderExcluir
  13. Nessa manhã chuvosa (graças)deixei de lado o lerê e vim passear...encontrar essa parada, deliciosa, pelos caminhos fez-me rir e esquecer das dores. Só posso mesmo dizer: obriagada! Ausência de vitamina B12 pros meus pacientes idosos provocam outro tipo de "estrago"...memória,demência, e coisa e tal. Já em jovens como vc só um adiamento na cirurgia. Inda bem, né môbem?!
    Beijuuss sorridentes nocê

    ResponderExcluir
  14. Oi Milene,
    Flor do sertão e cheia de esperança, é ruim de se entregar. Pode até murchar com o sol ardente, mas daqui a pouco é amanhã, e ela estará muito mais resistente.
    Pequenos cuidados são necessários para que as flores se desenvolvam fortes e lindas.

    Abração.

    ResponderExcluir
  15. Deus nunca dá o fardo mais pesado do que se possa carregar. e carregas com uma leveza que comove. vai dar tudo certo, sempre dá. beijos

    ResponderExcluir
  16. Vai dar tudo certo sim, querida!
    E que delícia ler o relato divertido desse dia. Rir faz bem e bom saber que não se morre dele, hehehe.

    Bejus

    ResponderExcluir
  17. Olá Milene
    Vim te conhecer pela campanha do CVC do amigo Dado. Hoje você é a convidada especial. Seu blog é um charme. Reitero aqui o convite para que venha parte do nosso grupo de blogueiros e blogueiras. Espero contar com você. Vai ser muito estreitar esses laços de conhecimento que está se iniciando neste precioso momento. Um carinhoso abraço

    ResponderExcluir