quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

RÉ CONFESSA



Eu sou do povo, sou uma Maria Ninguém, sem miolos, sem cultura, sem lenço, mas tenho documento. Sou sem paciência pra frescura. Sou sem fone de ouvidos porque parti o meu ao meio na sutil intenção de dar uma esticadinha no fio. Sou quem odeia caldo de cana e ama café com um pingo de leite. Sou quem vê o BBB, jamais leu Nitzsche e não consegue se sentir culpada por isso. Sou quem conjuga despudoradamente o verbo dormir, mas antes, espera a madrugada se espalhar. Sou das que adorariam obrigar as moças do telemarketing a desconjugarem o gerúndio do mundo. Sou grito inverso, riso espalhado, choro sem hora. Sou quem desdenha dos pretensos donos de Deus, mas O espia de longe, enternecida. Sou, de alma, bailarina de todas as danças, fazendo moucos ouvidos para o óbvio quando me disse: não dance! Sou quem ama o mar e se deixa fascinar pela coreografia do fogo. Sou quem queria morar num abraço, odeia ser beliscada e ama cantar “fui morar numa casinha, nha, nha” pro bebê Daniel, sublimando de amor quando ele abre o maior sorrisão. Sou a que boicota a própria saúde, escapando feito o ladrão mais liso, de todas as dietas. Sou quem adoraria beijar os pés do inventor da fórmula perfeita chamada coca-cola. Sou boa moça, maloqueira, conversadeira, arengueira que só! Sou a que faz uma grosseria, no instante seguinte padece de remorso e nem sempre tem humildade de sorrir desculpas. Sou quem mastiga devaneios tolos e tropeça na relação com a vida real. Sou quem descaradamente acha ser a musa virtual do Djavan. Sou quem esbagaça as canções do Coldplay sem saber mísera letra em inglês. Sou samba e rock and roll, tango e baião. Sou prima-irmã do cotidiano, amante incondicional do que está por vir, personagem apaixonada pela vida como ela é: doce, bruta, indecifrável. Sou quem tem coração alvinegro do escudo mais lindo do mundo e acha que Garrincha fez uma vida inteira de poesia em pernas tortas. Sou de cá, do agreste quase-sertão, sou de lá, da fome por conhecer o mundo. Sou quem não sabe lidar com ausências, quem devora com gula a presença. Sou amor imenso, nem sempre lúcido, mas sempre amor. Sou raio, estrela e luar, seu iaiá, seu ioiô. Sou! 


24 comentários:

  1. Hehehehehehe MíLi, vc é quase tudo hein!
    As vezes contradizendo a sí mesma, mas sempre sendo feliz!

    Parabens minha amiga! Belo texto!

    ResponderExcluir
  2. Oi, muiér. Bom dia.
    Vc é perfeita nas suas imperfeições: botafoguense, viciada em bbb e coca-cola...kkkkk
    O tabaréu aqui trocaria a sua pretensa intelectualidade pela sua sabedoria, pois, vc sabe, como os gdes cronista, discorrer sobre qq assunto com leveza e humor inteligente. Vc é phoda, porreta mesma.
    Bjos, minha cronista preferida.

    ResponderExcluir
  3. Olá Milene, bom dia. Parabéns sinceros pelo texto. Gostei imenso. Um abraço.

    ResponderExcluir
  4. "Ser" tantas belezas e com simplicidade a flor da pele, é uma virtude rara! abraços

    ResponderExcluir
  5. Prazer em conhecê-la um pouco mais.

    Abração.

    ResponderExcluir
  6. Adorei tua descrição de ti,rsrs Muito bom te ler! beijos praianos,chica

    ResponderExcluir
  7. Tantos verbos conjugaste, Mi....mas, de todos, o sublimar ganha disparado na tua teia tecida de amor - por si e pelos outros!

    Lindeza de confissão...beijos afetuosos em ti!

    ResponderExcluir
  8. Lindérrimo, a alma se espojando por nós todos...
    É, dá para fazer a fotografia da Milene, ela é massa !!!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Ô trem/ser mais linduuuu de viverrr essa Mi_nina amaaaada minha! Adoradora de Coca foi novidade preu rsrs, faço uso dela pra um bom cuba-libre...bora beber comigo?
    Beijuuss

    ResponderExcluir
  10. E gosta de chicletão... e belisca uma cervejinha... e...

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, nem me fale no chicletão...delícia de água na boca que me deu agora....huummmmmm

      Excluir
  11. Você é tudo de belo e autêntico. Eu a conheço há pouco tempo e já me sinto chegada, encantada com seu jeito especial. Você é uma caixinha de preciosidades. Grande beijo!

    ResponderExcluir
  12. E é exatamente porque você é tudo isso que eu te adoro, Milene. PS; Só desaprovo o boicote à saúde, que fique claro! Beijão!!!!!!

    ResponderExcluir
  13. Fazer um texto e dar a ele a amplidão necessária
    só se consegue com autenticidade .

    E isso eu vi de sobra !

    Ainda bem que eu , inspetor das madrugadas , passei por aqui !

    Beijo Gigante !

    ResponderExcluir

  14. Olá Kirida,

    E eu sou sua fã. Queria ter esta espontaneidade para me desnudar, mas minha timidez (orgulho???) não deixa.
    Você é simplesmente adorável.
    Te cuida menina. Saúde não é de se boicotar.

    Quanto ao Nietzsche, você vai acabar esbarrando com ele no meu espaço, mas, por favor, não me queira mal por isso-rsrsrs.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  15. adorei vc declarar que assiste BBB, eu tb, o que a gente tem em comum é a aceitação de ser como se é. tenho brigas internas medonhas, mas no final dá tudo certo,rsrsrs beijos

    ResponderExcluir
  16. ah! voltei, tem um amigo meu te seguindo, o Frank, se puderes dá uma chegadinha lá, estou divulgando o blg dele pq ele se diz analfabeto virtual, mas tenho certeza que vais adorar! beijos

    ResponderExcluir
  17. Bela confissão!
    Eu compartilho do conjugamento despudorado do verbo dormir, só não espero a madrugada.
    Adorei a parte de tu ser a musa virtual do Djavan :D

    Bejuuuus

    ResponderExcluir
  18. Que belo texto minha amiga re confessa alvinegra, que maravilha, que delícia de leitura, parabéns.

    forte abraço e saudações alvinegras

    forte abraço

    c@urosa

    ResponderExcluir
  19. PS: tem uma pequena homenagem ao Rei Mané lá no dimenor

    ResponderExcluir
  20. Comecei com Tim Maia na cabeça e você terminou com Wando...

    ResponderExcluir
  21. MIamada,

    Tu és.
    A gente sabe, e gosta. AMOROSA

    Agora pergunta à tua vesícula o mal que lhe faz a coca. Cuida-te, assim não está certo.

    O Nietzsche não se cruzou contigo? Quem sabe está aí a diferença, a tua loucura é natural e não influenciada por ele. Eu não tive essa sorte, quem dera.

    Gostei de saber que não sou único a não gostar de caldo de cana.

    ÉS como a gente gosta.

    Beijo e kandando a atravessar tanto mar.

    ResponderExcluir
  22. Milene, somos assim, metade iguais, metade parecidas, porque totalmente iguais seria muito chato, não é mesmo? Amei seu texto, onde se revela transparentemente com suas qualidades e peculiaridades a serem lapidadas, ou não.
    Gosto de coca-cola, mas tomo pouco com medo da saúde...gosto de BBB, respeito quem não gosta mas acho o "ó" quem gosta e fala mal para posar de bacana. Gosto mesmo é de gente simples, elegante e sincera que nem você.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  23. Ré confessa, pensei que ia postar, hoje, mais uma de suas inquietudes. Tá passeando????? Bjs.

    ResponderExcluir