sábado, 9 de fevereiro de 2013

CARNAVALIZANDO


Eu diria coisas engraçadinhas sobre a falta total falta de nexo no país parar por quase uma semana a fim de cumprir os ritos de uma festa. Eu me contradiria vibrando com tantos dias de absoluto “nada pra fazer”, à margem do som das cuícas, atabaques e tamborins.

Em sintomas de revolta, criticaria tanto empenho em se executar tal evento enquanto tanta coisa, que nem é bloco ou escola de samba, desce a ladeira no meu Brasil verde morto, amarelo desbotado, branco acinzentado e azul que já foi mais anil. Em segundos, me viraria pra dormir mais um pouquinho, porque é cedo demais pra superficializar um protesto.

Eu bradaria contra a alienação popular, que se joga nas ruas e avenidas atrás das baterias, trios elétricos ou um mero toque de corneta, esquecendo de que no resto do ano as notas nos quesitos educação, saúde, segurança pública e afins não evoluem do zero, nota zero. Mas eu me confrontaria dizendo que carnaval é justamente pra isso, pra se jogar pro alto a corrente de problemas que se arrasta o ano inteiro e aproveitar os dias de folia para exorcizar o peso do cotidiano.

Maldiria tanto dinheiro desperdiçado em fantasias, adereços e alegorias, em terras onde tanta gente pena por um prato de comida. No instante seguinte confessaria o quanto me encanta a beleza de um desfile de escola de samba, seus enredos magicamente demonstrados e os sambas a contagiarem até quem é ruim da cabeça e doente do pé.

Amaldiçoaria a festa pagã. Bendiria a frívola necessidade do circo. Bradaria contra a bagaceira e desordem pelas ruas. Sorriria em face aos arlequins, pierrôs e colombinas, mensageiros do amor nos salões e avenidas.
 
Eu lançaria as minhas tolas considerações sobre a inabalável carnavalização brasileira, se hoje parassem por aqui as minhas letras. Finalizaria suplicando a presença constante da alegria, no quarto trancado do sossego, ou na rua sob o domínio dos reis e rainhas da folia.

Inté!


Quando a folia chegou
eu já era fevereiro
esperei o mês inteiro
pra te carnavalizar

Sambei na tua avenida
batuquei teu coração
fiz enredo e evolução
pra te ver me acompanhar

Eu sou a tua cabrocha
tua passista fagueira
de hoje até quarta-feira
sem hora pra dispersar

Pra lá da apoteose
desmascaro a fantasia
eu e tu, só alegria
vem logo me desfilar!





22 comentários:

  1. Grande Benito...Enorme Mi_nina! O peso do cotidiano anestesia nesses dias, e como um analgésico ansiado, tem efeito de curta duração. Mas quando se está dor é tanto alívio que traz, que a gente agradece... se lembrando de como é bom viver ausência de dor! Vou ali, carnavalizar no sítio, em meio ao som da passarada e das águas cristalinas de uma cachoeira ainda resistente aos desmandos do Homem. Vou e volto, certo?
    Beijuuss de folia e brincadeira...você pra aí e eu pra cá

    ResponderExcluir
  2. Adoro Benito de Paula e esta canção é muito bela. Quanto ao Carnaval, prefiro não opinar...
    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  3. OláI Infelizmente após o carnaval metade dos brasileiros não lembra mais que estamos em outro mundo! abraços

    ResponderExcluir
  4. Lindo Benito e não gosto nada de Carnaval! Fico looooooooooooonge!! beijos,lindo feriadão!chica

    ResponderExcluir
  5. sou espírito de porco
    não gosto de carnaval
    não gosto de Renan Calheiros mas talvez fosse mais feliz sendo brasileiro nato

    ResponderExcluir
  6. Já fui uma animada foliona, o carnaval tem fez história na minha vida, já me esbaldei na avenida (desfilei por duas escolas na Sapucaí e amei!!) e bendigo sempre, a alegria!
    Hoje, o melhor da folia é sambar perto do fogão e inventar delícias pra meus amores...carnaval e amor, escrevi essa história na vida!

    Beijos, Mi_nina do avesso e do direito!

    ResponderExcluir
  7. Pois é, pois é...uma cronista poeta, que surpreende pela evolução técnica que vem acompanhando a vocação! Se convença, dona moça, desta tua missão, lapide depressa essa tua natural sedução pela poesia, peça em casamento os versos e nos enlace na beleza das rimas, na viagem dos sentimentos diversos...fico com essa folia, com o batuque dos teus versos, ao som da minha alegria por ver nascer mais uma poesia!!!!

    Beijo encantado...sem confete nem serpentina!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu reinventei a postagem, republiquei com o poema graças ao seu encantamento pelos meus versos tortos, à primeira lida. Fiquei assim, digamos, meio vaidosa, sabe? Digo obrigada por tão amorosamente me incentivar.

      Beijo, galêga.

      Excluir
  8. À galega não retruque
    Acompanhe no cordão
    A menina faz batuque
    No meu pobre coração
    Ela faz da poesia
    Uma bela fantasia
    A Denise tem razão...


    Beijos de folia às musas todas.

    ResponderExcluir
  9. Hj, 1000N, carnaval só serve para mostrar o qto somos bom de frente e verso qdo se mira a mulher no meio de seu corpo, pois o q mais viceja é o sexo. Bjos.

    ResponderExcluir
  10. Hehehehehehehe MíLi, nesse texto você mordeu e assoprou ao mesmo tempo, hehehehehehe, malandra!

    Um beijão e tenha um lindo carnaval!
    Eu... Vou me fantasiar de cobertor!

    ResponderExcluir
  11. Eu amo Carnaval, Milene... pra ficar em casa descansando ou saindo com os amigos para locais tranquilos. Adorei o texto! hahaha Beijão!

    ResponderExcluir
  12. (tudo tem seu tempo. já pulei
    carnaval, para cada dia inventávamos
    um look . eramos animados, unidos.
    e eu era alegre...)


    beijo

    ResponderExcluir
  13. Tem todos esses aspectos...
    Do ponto de vista apenas prático, o carnaval pode parecer uma loucura ou alienação...
    Mas, é inegável que o ser humano não é apenas lógica e prática e que a cultura, a música e a alegria fazem parte da existência...
    Eu nem me ligo muito mais na festa, mas jamais me aventuraria a critica-la...
    Bjs, Milene!

    ResponderExcluir
  14. Pode ficar vaidosa com as palavras da Denise, com as quais concordo inteiramente. Você caminha lindamente no campo dos versos.
    Já fui apaixonada pelo carnaval, em pequena cidade do interior, onde residia. A quarta feira era sinônimo de tristeza porque os dias de folia haviam terminado. Eu me divertia demais (rss), com alegria espontânea e muito samba.
    Hoje, a tranquilidade me chama, mas vejo o sorriso no rosto daqueles que ainda se sentem libertos e felizes durante o carnaval e me lembro que já estive entre eles. Grande beijo!

    ResponderExcluir
  15. Milene,
    Parece-me que o Carnaval, para quem o sente, é uma janela que se abre e areja todo o nosso edifício. Ainda que a prazo.
    Bom Carnaval!

    Beijo :)

    ResponderExcluir

  16. Olá Milene,

    Adoro esta música. Lembra meus tempos de foliona. Eu adorava o carnaval. Brincava os quatro dias seguidos, nas matinês e à noite. Pena que atualmente os excessos transformaram o carnaval numa festa perigosa, mas ainda com muita beleza e alegria. Como já gostei demais, entendo quem ainda curte a folia. Atualmente, prefiro utilizar o feriadão para outros tipos de lazer.
    Gostei muito da sua crônica e do encanto dos versos. Não conhecia este seu lado poético. Arrasou!

    Aproveite bem o feriado carnavalesco.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  17. Oi, Milene, como vai? Discorreu brilhantemente sobre essas contradições que cercam o Carnaval, um despautério de dinheiro e ao mesmo tempo uma explosão de cores e belezas.
    Eu não sou contra o Carnaval, sou contra os exageros cometidos nessa época,entre o financeiro e as atitudes. Mas esto contigo: a alegria precisa habitar nossa vida, em festa ou descansando entre quatro seguras paredes.
    Um abração!

    ResponderExcluir
  18. Volto pra agradecer o lindo carinho lá e dizer que acabamos de sofreu um assalto com arma. Estamos vivos, bem, mas quem nos restitui a Paz? Os FDP da políticos que nada pensam em segurança? O governador de P.Alegre? Não!! Eles estão certamente carnavaleando em algum lugar seguro e só pode ser FORA daqui de Porto Alegre!

    Credo!!Em que mundo vivemos!!! Crianças nem crianças podem ser. Não tem liberdade. Estávamos numa praça! Pode? beijos,chica

    ResponderExcluir
  19. Olá Milene!

    Estou vindo la do amigo Rodolfo para lhe dar os parabens pela linda postagem em homengem a ele! Eu juro que me arrancou uma lagrima emotiva! Achei de uma sensibilidade incrível e ele mais que merece!
    Que Deus abençoe esta doce amizade feita em versos, alma e coração!

    Quanto a postagem aqui?
    Ah!Tiro meu chapeu pra ti, menina inquieta e talentosa!

    Beijos!





    ResponderExcluir
  20. Não poderia cair em outras mãos tão belas palavras...do gostar ao criticar intensamente a mediocridade brasileira, mas em versos e canções quando não há mais nada fazer bora curtir o sossego, o dia e a alegria de ser apenas gente e habitar em um pais cheio de gente bonita...inté ....

    Beijos Mi

    ResponderExcluir

  21. Querida Milene,

    Que coisa mais linda a sua homenagem ao Barcellos!
    É linda a amizade de vocês. Conforme já disse por lá, vocês são almas afins.
    E adorei também o poema, que mereceu uma glosa magnífica por parte de nosso ilustre poeta.

    Beijão.

    ResponderExcluir