terça-feira, 5 de março de 2013

DAS ÁGUAS DE MARÇO E DA PEQUENA FELICIDADE



E não é que março chegou chovendo? Na verdade fazendo certo charme, deixou o povo todo com gosto de “quero mais”. E há de vir. O dia ficou numa boniteza só, depois da chuva, o calor avermelhou-se de constrangimento pela sua super presença e guardou-se um tanto.

Estou numa vibe otimista hoje, pensando que as coisas não tem que ser todo o tempo ruim, Feito a Denise falou na sua última postagem do Tecendo Ideias, sobre as coisas da vida que realmente valem a pena, que “é preciso despertar do sono profundo da insatisfação e saber receber as bênçãos, vislumbrar as riquezas que as travessias dessa viagem produzem em nós, porque não somo ilhas, não seguimos sós”. Pois é! Viver um troço bacaninha, eu gosto. Só acho que de vez em quando ela, a vida, poderia ser mais bobona, casual, e deixar a gente tropeçar na felicidade sem carecer de muita explicação.

Viver o que pode se chamar de “pequena felicidade”, mas que de miúda não tem nada. É que não importa se foi um momento gigante ou efêmero, se a gente trombou com ela por aí, deu-se da alma ficar alegre e se manter saciada por um bocado de tempo e isso é massa!

Ser feliz sem motivo aparente. Ser feliz por agora, sem saber o que virá, porque pensar absurdamente no que virá e gastar a felicidade acontecida sem ao menos fazer uso direito, é broquice demais. Tem horas de só se querer um coração leve e meio tolo. Tem horas de se fazer vista grossa pra vida carrancuda e cheia de não-me-toques e tão somente se permitir experimentá-la nas suas cores mais viçosas.

Não é certeza saber o que virá. Mas, que venha leveza por um bom punhado de tempo. Seja a vida, embora brevidade, companheira fiel da felicidade, mesmo quando os seus caminhos não se misturarem. Se não é neste agora, lá na frente hão de tropeçarem outra vez, os seus caminhos.

À espreita do menor descuido da felicidade, pequena e tão grande, caminham os seres ávidos e insaciáveis, amém!




Trilha sonora por conta da Rafaela. 
Inspiração conversadora por conta de
Denise, Rafaela e Simone, 
que chegou quando a madrugada já se aprontava. 
Amo isso de conversar, porque é também aprender.


A quem  ficou se perguntando o que gota serena seria "broquice", 
é um termo do nordestinês derivado do  substantivo "broco". 
Não importa o que digam os dicionários,  
broco é assim, um cabra que não é muito sabido...  
Dito isto, que é quase nada, vou-me!






18 comentários:

  1. Temos mesmo que saber nos alegrar com pequenas felicidades e momentos, sem esperar por coisas grandiosas. Assim vivemos muito melhor! beijos,lindo dia! chica

    ResponderExcluir
  2. Que lindo texto! Como diz o sábio dito popular, Éramos felizes e não sabíamos". E é um aprendizado dar atenção às pequenas felicidades! abração

    ResponderExcluir
  3. Aíaíaííí... rs

    Fiquei inté mêi Broco-xó de tão avuRso que eu tô... rss

    Beijo Miló
    DeussssssssssssssssssKiajude

    ResponderExcluir
  4. A moça sofre de poesias crônicas e tem acessos de crônicas agudas. CUIDADO: Não há tratamento conhecido. Há risco de contágio se o leitor tiver predisposição inata ou adquirida. Eu já fui...

    Quando chega o São José
    Chega a chuva no sertão;
    Sertanejo planta milho
    Pra colher no São João.


    Beijos de chuva, menina!

    ResponderExcluir
  5. ...só pra quem tem olhos de ver
    e um coração pra sentir assim.

    ah LeLe...."to relendo minha lida"


    obrigada!


    [contém 1 beijo]

    ResponderExcluir
  6. Ai ai a felicidade se dá em momentos bruxuleantes, assim, sem maiores explicações.

    Ps.: eu tô chapada dona Helô( devo dizer kkkk)

    ResponderExcluir

  7. Milene querida,

    Estava já preparando para desligar o computador quando vi você chegar esbaforidamente-rsrsrs. Vim aqui agora só para dizer que sempre haverá tempo e espaço para o seu abraço.
    Obrigada pelo carinho das palavras.
    Voltarei para ler e comentar a postagem.
    Neste momento, preciso dormir. Somente agora terminei minhas visitas da postagem do níver, pois fiquei fora do blog no final de semana.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  8. Milene, aqui no RJ o mundo quase acabou. Nunca vi um temporal como o de hoje. Choveu granizo, uma ventania esquisitíssima e uma aguaceira tão grande que nem dava para enxergar nada. E tudo por causa do calor desgraçado que fez. Enxurrada de março fechando o verão...

    Temos mesmo que buscar prazer nas pequenas felicidades. E mesmo sem ter certeza que ela venha, resta torcer para que permaneça pelo maior tempo possível caso chegue. Adorei o texto. Pra variar... Beijos!

    ResponderExcluir
  9. 100N, a felicidade é uma opção de cada um, e aquele q se deixa contagiar por ela, nem perceber o q quer dizer essa tal tristeza. Sejamos felizes. Bjos.

    ResponderExcluir
  10. Ah!!! Essa tal felicidade! Nem sempre a percebemos quando chega porque não nos dá aquela cutucada fundamental. Mas sabemos quando se foi, porque deixa suas marquinhas sorridentes. Grande beijo!

    ResponderExcluir

  11. Olá Milene,

    Benditas sejam, então, as águas de março.
    Eu também gostei muito desta colocação da Denise. É mesmo preciso que despertemos "do sono profundo da insatisfação" que nos assola. Costumamos nos deter no que é ou que não foi bom e nos distraímos das pequenas felicidades que nos rondam. São elas que refazem nossas forças para outros momentos não menos felizes.
    De certa forma, vida e felicidade caminham de mãos dadas, embora de vez em quando se percam momentaneamente, mas é para que aprendamos a valorizar o que nos traz felicidade, desfrutando com intensidade de sua presença.

    Seus textos são muitos agradáveis de ler.

    Gostei deste seu novo perfil do face.

    Beijão.

    ResponderExcluir
  12. Ah então o povo lá de cima me ouviu,fez nova conferência e mandou cair uma água por aí?! Baum dimais da conta sÔ! Nesse exato momento que lhe escrevo, depois de dias de um calorão duzinfernu tá chovendo pra valer...daqui a bem pouco começam os noticiários com as tragédias decorrentes do toró! Valha-me D'us que tá tudo assim...ou oito ou oitenta!
    Beijuuss felizes nocê

    ResponderExcluir
  13. Chuvas de março, pequenos gestos de gentileza, perceber que nem tudo é ruim, viver bem o momento presente são o combustível para o bem andar de uma vida feliz.

    Abração Milene.

    ResponderExcluir
  14. Oi MíLi!

    Que legal, vc misturou a felicidade da chuva, com felicidade de viver e mais um monte de temperinhos gostosos nesse texto!
    Você é mestra com as palavras viu!

    Parabens!

    ResponderExcluir
  15. Sei bem disso de vc gostar de conversar! Pena não conversarmos mais! Adoro nosso papos taoincriveis e sobretudos!
    Mi a felicidade está dentro da gente e não nos acontecimentos! Profundo né?! Teu texto me inspirou! Beijocas ...

    ResponderExcluir
  16. Mi, moça querida...custou pra que eu tropeçasse nessas pequenas elevações do terreno árido do solo batido deste caminhar já antigo... meu olhar, hj otimista, olha pro infinito, além do horizonte, mas já viveu o vício de olhar pra trás, só pra trás...tropeçando nos passos que não avançavam...vc bem sabe que tem algumas marcas no chão da nossa vida que nos prendem no lugar feito cola medrosa...mas vale a pena caminhar, vale sim...

    BEIJO, caminhante!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ops, esqueci de mencionar a honra de ver o meu tecer novamente em tuas Inquietações!!

      Excluir
  17. Oi frô!
    A vida poderia mesmo ser mais bobona e deixar a gente tropeçar na felicidade às vezes. Seria tão bom.

    Bejus

    ResponderExcluir