terça-feira, 16 de abril de 2013

COMO SE O MAR...


Por que há dias em que a vulnerabilidade se agiganta e assusta. É a impotência diante da vida real, aquela que todo dia impõe as suas vontades, independente da sua disposição em encará-las. Por que há também muita feiura no cardápio da vida real. Mas há também a escolha do sujeito, ele pode optar pela coisa boa do cardápio, ou não. 

E quando não é a coisa boa a escolhida, e quando tudo fica tão feio que não se tem mais esperança de ver um pedacinho de beleza, a vontade é deixar pra lá o sujeito. A vontade é vê-lo transparente. A vontade é não vê-lo. Mas não dá pé, não tem pé-nem-cabeça, feito diz a música. Tem uma coisa chamada “sentimento” que estraga tudo quando se trata de bancar o duro feito rocha, o intransponível, o racional. Não dá pra esmigalhar o sentir, pelo menos não com a ligeireza que se gostaria. 

E segue-se fazendo riscos de esperança, rabiscando as paredes dos túneis escuros, esperando a suas luzes. Esperando o milagre. Mas se a luz do túnel surgir, distante e miúda, de nada adianta se o sujeito não se colocar a caminhar até ela. Insistir na maldita escolha errada do cardápio da vida é burrice, é crueldade com quem não consegue trucidar o sentir, é judiação com quem se importa. Por que se importar estar além do justo e do racional. Se importar está do lado de amar e quando se ama é salvar que se quer... Mesmo que no fundo da alma ferida se tenha a sensação de que o bem querer são pequenos grãos de areia diante de tanta estranheza.

E o mar? Ah, apenas uma vontade absurda do seu abraço. Por que o mar deve ser, de vez em quando, Deus querendo cuidar da gente. Dizendo que tudo que é muito feio pode, de repente, ganhar ares de belezura. O mar faz dança de abraço, molha o corpo pra deixar leve e alegre a alma. Por que o mar é das coisas mais bonitas do cardápio bom da vida.

Até mais.


14 comentários:

  1. ...o abraço do mar, nos abraça inteiros.

    Beijos MIamada

    ResponderExcluir
  2. A feiura das notícias , a insegurança do cotidiano a mim, dá cada vez mais vontade de estar no mar que adoro, me energiza e faz bem... beijos,lindo dia! chica

    ResponderExcluir
  3. <<<lindo, lindo, lindo...maravilhoso !!!
    Sabe, essa escrita me fez saber que há muito mais do que aquilo que nossas mentes acanhadas julgam saber...e eu me incluo no grupo, claro !
    beijo Memem

    ResponderExcluir
  4. Oi Milene,

    Diante de nós e da vida, há todos os tipos e gostos de cardápios. É que bom que seja assim.
    Cada um tem a liberdade de comer o lhe convém.
    Quanto ao mar, minhas reverências a esse sujeito que só nos faz bem,

    Abraço.

    ResponderExcluir
  5. Um dia o sujeito aprende a mergulhar no abraço do mar.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  6. Muito boa a comparação das escolhas da vida com as que fazemos no cardápio do restaurante: se não tomarmos cuidado, podemos ter uma indigestão, e a escolha foi nossa!
    Agora, não sei como, o mar entrou nessa crônica de contrabando, dando aquele tempero salgadinho, o friozinho de arrepiar e as coisas boas associadas a ele!
    Mais uma artimanha da galeguinha!
    Bjs, Milene!

    ResponderExcluir
  7. Deus e o mar se eqüivalem na grandeza que a gente não pode ver, um abraço desse tamanho só pode ser curador...

    A vida oferece banquetes, moça querida, servidos em porções - são aqueles encontros inesperados, é a brisa que sopra pra longe a tristeza, são mãozinhas segurando nossos dedos nos algemando pelo coração, sorrisos escancarados que entoam as mais lindas canções de amor dentro da gente, são abraços quentinhos que embrulham nossas aflições e dissipam toda tristeza...mas, nem sempre a gente valoriza o telefonema que só quer saber se estamos bem, a rosa solitária que foi entregue num gesto simbólico, o doce embrulhado no guardanapo pq foi trazido por quem quer nos agradar...enquanto a gente "segue fazendo riscos de esperança, rabiscando as paredes dos túneis escuros, esperando as suas luzes" tem um Alguém que cuida para que esse raio de Luz fique visível, a nos guiar pra fora desse poço...

    Me pareceu que vc fez uma travessia pela noite escura da alma....sabendo que o dia sempre amanhece...lindo este teu mar de emoções, ainda que doloridas, pq delas tb alimentamos a vida...

    Beijo terno, abraço saudoso!!!

    ResponderExcluir
  8. Ver escolhas erradas e reincidentes, em quem é para nós importante, dói. As nossas, trabalhamos, caminhando até a luz, ainda que fraca e distante. Mas não podemos fazer escolhas por terceiros. Seria muito bom se um banho nesse mar cheio de magia levasse para bem longe o que causa tristeza. Como isso não é viável, que nos banhemos nele para alcançar aquele prazer que único que nos oferece. Grande beijo!

    ResponderExcluir
  9. Correção: tá sobrando um "que" depois de prazer (kkk) . Bjs.

    ResponderExcluir
  10. Acho que você está certa mas as vezes... As vezes o sujeito não consegue ver a luz no fim do túnel, ele nem sabe ao certo se há mesmo um túnel lá. As vezes se está tão perdido que não se enxerga nem os que amam ao lado, por isso de vez em quando é bom lembrar, a estes sujeitos, que há sim razões para continuar caminhando, para sair do andar em círculos e quem sabe emprestar-lhe óculos para que por fim enxergue a luz.

    Falo porque sei... ;)

    Beijos,

    Eilan

    http://borderline-girl.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Que crônica mais que perfeita!

    Voce é mágica...sempre tira um coelho da cartola.


    amo . amo.


    beijo

    ResponderExcluir
  12. Oi Milene
    Nossa que texto mais sensível. Adorei! Na verdade me emocionei. Também adoro o mar, a forma como vc o inseriu no texto ficou incrível!
    Bjos.
    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Que saudades desses teus textos profundos e descontraidos!
    Como anda tua internet? Está de volta para o mundo?! Kkkk

    Saudades! Beijos
    www.culturaviciante.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Deu saudade do mar também. Gosto de observá-lo e pouco mergulhar. De longe é mais bonito, hehehehe.

    Bejus

    ResponderExcluir