quinta-feira, 18 de abril de 2013

SOBRE RUAS E OUTRAS LIGEIREZAS


QUEM FOR O DONO ERGA A MÃO. 
PARABÉNS, SUA IMAGEM É UMA BELEZURA.

Eu vejo as pessoas todas amontoadas nas calçadas, indo e vindo pra lugares os mais variados, fazerem as coisas mais sem precisão e sigo desentendendo porque todas elas resolvem ir ao centro ao mesmo tempo. O que fizeram com seus empregos? E suas casas e filhos? Eu penso em abordá-las, uma a uma, e perguntar o que fazem de tão importante, além de atravancar o meu caminho.

E os caminhos, as calçadas, são feias e estreitas. E as pessoas querem as calçadas feias e desprovidas de acessibilidade só pra elas. Eu sigo caminhando, tentando rir amarelo para quem insiste em passar através de mim, ignorando que os comigos de mim são todos de exuberante fofura. Pensam, eles, que eu gosto de andar no seus caminhos confusos, nessa maluquice de passos pra tudo quanto é lado? Que façam bom proveito do seu cotidiano capitalista, dos seus milhares de cartões de créditos e acordos bancários. Eu, por mim, viveria na selva os meus muitos últimos anos. Eu pintaria meu corpo daquela tinta natural cujo nome não me lembro, por culpa da maldita amnésia resultante da urgência selvagem do cotidiano e viveria entre os indígenas, os mais tradicionais, desde que não me quisessem cozida num imenso caldeirão, desde que me deixassem instalar um banheiro bacaninha, desde que me deixassem desarmar a rede e dormir numa cama confortavelzinha, porque minha coluna jaz. Ah, e precisaria saber se por lá já existe banda larga, larguíssima.

E eu agora sou uma universitária distante. Sou sabida que só! Saiu ontem o resultado do vestibular e eu me surpreendi verdadeiramente por ter conseguido, pois o dia da prova havia sido brabeza. Enfim, serei aluna da Universidade Federal de Alagoas para um curso de Letras á distância, porque se não for assim acaba ficando longe demais. A ideia de estar presente apenas uma vez por semana,ou quinzenalmente, me esmiuçou um ânimo e espero me manter com ele. Oremos!

Hoje é só leveza o que eu queria estar. Se pudesse, se não fossem os compromissos cotidianescos capitalistas, largaria a bolsa e o chinelo e caminharia a esmo, dizendo música bem alto, soprando pra mais alto ainda as nuvens, aquelas que adoram ser feias e más. Hoje eu quero ignorá-las. Postaria uma música leve e linda, caso ainda não estivesse na condição de exilada virtual, sem net que o valha, aproveitando um ou outro momento de descuido da gambiarra a qual estou utilizando, para fazer postagenzinha atoa.

A propósito, a ideia de me tornar uma terrorista perigosíssima anda povoando minha mente sã, caso a Vivo não resolva com ligeireza o problema chipístico do meu modem, como diria o ilustre Odorico Paraguassu. Oremos, parte II.

Cante pra mim, cante... Eu não sei se a máxima do “quem canta seus males espanta é de vera”, mas talvez, só talvez, eles deixem de maleficarem e se distraiam um bocado. Amém!

Até outro espasmo internético... Até.


16 comentários:

  1. Oie.......

    Sempre lindo te ler........desculpa a ausencia...
    mas vc é tudibom!
    Parabéns pela conquista!! Beijos..

    ResponderExcluir
  2. Leitura leve, bonita. Me esmiuçou um tantinho de paz e espero manter com ela. Oremos, parte III.



    Estava devendo vir aqui e hoje encontrei tempo pra visitar o 'Blog do fusquinha'. rs

    Parabéns pela aprovação, esteja em paz! Beijão.

    ResponderExcluir
  3. Que legal!!

    Acho que vais gostar! parabéns! beijos,tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  4. Hehehe sutil!

    Sabe que tb fico pensando nisso! O que as pessoas fazem de dia que não estão em seus trabalhos!

    Muito bom!

    www.culturaviciante.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Só rindo da Lele ecologicamente folgada....


    "Hasta la vitória, siempre!"
    Che Guevara



    #oremos, parte IV

    ResponderExcluir
  6. OI MILENE!
    PRIMEIRO VOU FALAR DO QUE É BOM, PARABÉNS PELA APROVAÇÃO NO VESTIBULAR!!!!
    AGORA, JÁ ESTOU ANTEVENDO AS MANCHETES DA MAIS NOVA TERRORISTA DO BRASIL, PORQUE, PROBLEMAS COM TELEFONIA OU INTERNET, SÓ APELANDO MESMO PARA O TERRORISMO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. É urucum.

    Mandei-te um quilo de Love
    No sistema Pague e Leve;
    Você agora me deve
    Bj$ 1,99

    (Lê-se "um beijo e noventa e nove")
    Vai sonhar com macarrão de letrinha feito por controle remoto
    Não deixe a faculdade estragar suas letras
    Quando colar grau, use CTRL+V

    Beijo.

    ResponderExcluir
  8. Primeiro: parabéns pela vitória de ter passado no vestibular! Letras é a sua cara, eu cursei seis meses e a linguística acabou por me tirando um pouco do desejo de continuar.
    Que não aconteça contigo. Oremos parte 3. Ou quatro, se for contar o de um comentário aqui.

    Quanto a morar na selva, please, se decidir ir, me dá um toque que eu vou junto, até porque a oportunidade de viver basicamente a base de urucum e ainda por cima com um banheiro bacaninha me interessou deveras.

    Bjos. Arrasouuu como sempre.

    http://borderline-girl.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Parabéns, Milene! Aliás, uma aprovação mais do que justa, afinal, você escreve divinamente. Letras é com você mesmo!

    E adorei o texto, como de costume. Acho coerente virar terrorista por causa de internet com problemas. Uma causa justa e compreensível... Beijos e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  10. teexto impecável e poético como sempre, mas vc, logo vc tão poeta, deveria viver um sonho sem senões, como estar com índios, que seja pelada, na rede, sem medo de caldeirões, com a cara pintada!eu me animava a embarcar nesta viagem,rsrs, bjs e que venha logo a internet, sei o que é a abstinência :(

    http://eubipolarbuscandoapaz.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Em tempo: orgulhoso por você. Parabéns. Bj$ 1.000,00.

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pela vitória. Estou certa de que fará um uso especial desse curso, aproveitando-o demais.
    E não entre em um tribo indígena com essas idéias, porque vai virar do avesso o comportamento deles (rss), transformando seu espaço em uma comunidade com as mesmas calçadas e tumulto que a incomodam (hehehehehe). Bjs.

    ResponderExcluir
  13. Parabéns pelo vestibular dona moça!!!
    Acho que as tribos ainda não tem banda larga. É melhor ficar por aqui ainda que as calçadas estejam cheias, hehehehehe.
    Um ótimo domingo pra ti!!

    Bejão

    ResponderExcluir

  14. Olá Milene,

    Creio que se você perguntasse aos transeuntes porque todos estão nas calçadas quando deveriam estar em suas respectivas casas ou trabalho, cuidando de seus afazeres, a pergunta seria devolvida a você-rsrsrs.

    Parabéns pelo sucesso no vestibular. Fico feliz por esta sua conquista.

    Viver entre os indígenas tradicionais com uma banheira bacaninha e dormindo numa cama confortável é realmente muito original-rsrsrs É bem capaz que por lá já tenha banda larga melhor que a sua. Vai saber!

    Beijos e ótimo domingo.

    ResponderExcluir
  15. Ainda em tempo:

    "Todos esses que aí estão
    Atravancando seu caminho,
    Eles passarão...
    Você passarinho!"

    (Emprestei do Quintana)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Como dizia Lennon:
    "All the lonely people...
    Where do they all come from?
    All the lonely people...
    Where do they all belong?"
    De onde vem e para onde vai toda essa gente?
    Parabéns pela vitória no vestibular, agora você vai lutar contra um outro aspecto do sistema...
    Mas, estamos contigo!
    Bjs, Mi!

    ResponderExcluir