sexta-feira, 31 de maio de 2013

A NATUREZA DAS COISAS


Isso de viver era pra ser mais leve e sem precisão de tanta necessidade. Explico. Pelo menos tento. É que a tal prática da vida apresenta tanta opção de estampa que não é de se admirar a confusão que o sujeito faz, sem saber direito que estampado está mais de acordo com o seu jeito de querer caminhar.

Por que, por um bocado de tempo, viver é ter que cumprir esses “de acordos” todos. As tais necessidades inerentes à condição de ser livre, porém ciente das obrigações que se carrega por onde quer que se vá. É preciso comer, beber, festejar... e para isso conjugue-se impreterivelmente o verbo trabalhar. É preciso estudar, ouvir, respeitar. A todo instante da vida, aprender. Aprende-se até quando esse não é o propósito. Mas o sujeito só guarda o aprendido quando quer, quando não, deixa escorregar pelo caminho fingindo nem estar percebendo.

E segue-se pela vida escolhendo estampados, tomando decisões. E segue-se pela vida praticando, quando da tal necessidade, o ato de recuar. Por que recuar não implica de todo jeito em se acovardar frente à determinada peleja. Recuar pode apenas significar que o sujeito pensou diferente, oxente! A certa altura da vida, se obrigar a um “de acordo” qualquer não apresenta sentido. Quando se caminha pela vida há um tempo estendido, pelo menos a possibilidade de gritar um estrondoso não a qualquer coisa que não lhe dê o menor tesão, o sujeito precisa ter.

E grita munido de uma efêmera, mas feliz certeza, de que não vai carregar “de acordo” nenhum, só porque é esse o esperado. E segue cantando a canção que diz “toda caminhada começa no primeiro passo”... E tem vezes do primeiro passo ter precisão de ser pra trás, desfazendo o feito errado, pra caminhar melhor. E leve. E livre.


A natureza não tem pressa,
segue o passo
inexoravelmente chega lá
♫♪




13 comentários:

  1. Um verdadeiro manifesto pelo direito mileniano de chutar o balde!
    É isso aí!
    Não somos obrigados a aceitar tudo, só porque a torcida espera que aceitemos!
    Se avéxe não, galeguinha!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  2. "E tem vezes do primeiro passo ter precisão de ser pra trás, desfazendo o feito errado, pra caminhar melhor. E leve. E livre."

    Eu podia falar qualquer coisa, mas esta frase resumiu tudo.
    Obrigada por me fazer ver que eu não estou louca em andar pra trás, nem que seja por um tempo, a fim de construir um "pra frente" melhor.

    bjos,

    borderline-girl.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá Milene,

    Recuar no momento certo me parece uma atitude cautelosa e sábia. Recua-se para pensar, refletir e voltar mais forte, ou para mudar a rota, se for o caso. Viver é uma arte, na qual não existe precisão.

    Excelente final de semana.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Pode assinar? Então eu assino. Seu texto diz tudo e mais um pouco. Infelizmente a vida é mesmo um conjunto de obrigações e imposições. Ainda tem aquele conjunto curioso: "Na escola temos que acabar para ser alguém na vida, aí temos que fazer uma faculdade para ser alguém na vida, mas aí tem a pós pra ser alguém na vida, depois vem o mestrado pra ser alguém na vida e assim por diante... Chutar o balde e ser feliz quase nunca é possível. bjs e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  5. Oi MíLi!
    Minha fia... Viver é assim mesmo!
    A gente tem que encontrar o equilibrio entre as obrigações e o prazer, senão tamo ferrado!

    Eu ainda não encontrei esse equilibrio, se um dia vc encontrar esse fórmula me manda um telegrama urgente!

    Beijão, e bom final de semana!

    ResponderExcluir
  6. Ah, Mi... Ah, moça danada de boa com as palavras... ando assim, PRONTA pra um GRANDE e SONORO NÀÀÀÀÀOOOOO pra TUDO e para quem pensa que pode OBRIGAR o outro a ser aquilo que quer... ando assim, cansada desse acordo onde só eu participo da parte do FAZER, enquanto a outra fica com a parte do esperar, idealizar, COBRAR e punir.
    Chato isso de precisar corresponder sem ser correspondido, né não??
    Pois estou em DESACORDO com esse acordo imparcial... declaro que tô de amlas prontas pra um jeito diferente e mais justo...bora comigo nessa caminhada????...rsrsrrss

    Beijo cheio de empatia pelo teu texto maravilhoso!!!

    ResponderExcluir
  7. Pois é...a gente caminha, trupica, às vezes cai, outras não...mas o que vale mesmo (pra mim e pra integridade humana)é a quantidade de pegadas que deixamos, pois elas representam quantas vezes fomos capazes de descalçar nossos sapatos! Passos p/ frente ou pra trás sei daqui que vc Mi tá deixando pegadas...e a gente (per)segue!
    Beijuuss Minina_maaada

    ResponderExcluir
  8. Não concordo, Eu nunca recuo. Só dou meia-volta - e avanço!
    Beijos e aplausos, menina... aplausos e beijos!

    ResponderExcluir
  9. Com palavras tão claras e verdadeiras. Acredito muito nisso. Às vezes recuar, também é um jeito de avançar. Beijo minha xará!!

    ResponderExcluir
  10. Bom dia de domingo!

    [tem fiapos teus por lá hoje]


    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Estava na margoh e vim conferir ... e assim derepente vamos percorrendo outros caminhos .
    Gostei do blog e do texto_ muitas vezes não é recuo e´sabedoria de voltar para acetrar arestas.
    um abraço

    ResponderExcluir
  12. Deixar de recuar pensando q tá dando um passo para trás e continuar dando as passadas nos caminhos desacertados mostra a falta de preparo para apender com os erros. Bjos.

    ResponderExcluir
  13. Eu tava precisando ler um negócio desses hoje. Thank's!

    Bejus

    ResponderExcluir