sexta-feira, 24 de maio de 2013

DEZ_CONSIDERAÇÕES SOBRE QUASE NADA (texto chatão)


A Bolsa Família não acabou, não rasgou, não se escafedeu. Foi um boatão daqueles. O povo todo foi pra fila do banco. Com bolsa é comodismo, parasitismo, esquisitismo. Sem bolsa é exploração de quem paga dez tostões pra ter alguém lambendo o chão da sua casa. Tem jeito esse país?

Um pedação do povo está revoltoso por causa do casamento gay. No que isso implica na vida do povo mesmo? Se o sujeito não é gay, se ele não pretende se casar com um gay, onde está o problema? Eu proponho a seguinte campanha: SE VOCÊ É CONTRA O CASAMENTO GAY, NÃO SE CASE COM UM.

Os moços da Câmara Federal esses dias trabalharam que só! Vararam a noite na tentativa de votar um projeto que eu não compreendi direito, porque eu quase sempre descompreendo e estavam exauridos da maratona. Oh, dó! Há em mim a esperança de que eles acostumem a conjugar o verbo trabalhar e o façam ao menos duas vezes por semana. Oremos.

Vem acontecendo na minha cidade, a incrível capital do agreste alagoano, um enlouquecido pisca-pisca fora de época e com pausas de “apaga-acende” bastante fora do padrão. Numa noite a energia elétrica funciona perfeitamente, na outra, deu-se a escuridão. É preciso avisar à prefeitura que ainda não mudaram a época do Natal e falta muito para dezembro chegar. Parem já essa piscaria da pohha!

Eu agora me acho uma pessoa melhor porque, em menos de uma semana de faculdade distante, adicionei as palavras andragogia e heutagogia ao meu vocabulário. Sério que você não conhece tais e lindas palavras? Nossa, pessoa, como você é iletrado (a). Só lamento.

Nos sites das notícias mais importantes eu leio: Sheron Stone é vista sem nenhuma maquiagem. Que coisa, heim? Agora as guerras cessam, tudo para. Vamos maquiar a Sheron! Sou do tempo em que as pessoas se preocupavam com os mascarados, agora a falta de máscara é o que chama a atenção. Enquanto isso, o mundo morre cada dia um pouquinho...

O Neymar... Ah, o Neymar! Recusou-se hoje pelo seu passe cerca de cinquenta e dois milhões de euros, mô bem! Dinheiro demais para duas pernas tão magrelas que nem vem jogando isso tudo, né não? Contabilizassem o tempo em que ele fica deitado em campo ou ajeitando o topete que nem é mais tão topetudo, reduziria tanto esse valor que até o ASA da minha cidade arranjaria uns trocados para contratá-lo.

Se você tem um amigo gordinho ou gordão, ao presenciá-lo comendo aquelas coisas deliciosas e absurdamente calóricas, evite o comentário: “isso engorda, sabia?”... Acredite, a pessoa com fartura de fofura sabe até a quantidade de água que o faz engordar. Seja um “magro de ruim” agradável e deixe o gordinho se lascar à vontade. Só aconselhando.

A pessoa (que não sou eu) posta uma despretensiosa imagem do Chaves,  o amigo da Chiquinha e não o venezuelano amigo do Lula, na sua página facebokeana e isso desencadeia dois quilômetros de palavreado acerca da verdadeira intenção por trás do personagem, da nuance política nas vestes do Chapolin Colorado, e etéteceteras. Conclusão: não se pode mais ser frívolo e porra-louca à vontade nesse mundo de semirevoltosos de mouse e teclado em punho.

Despertar. Tomar banho, café e coragem. Todo dia ela faz tudo sempre igual. Daqui a pouco é esse todo dia outra vez, cheio de aperreio e eu nem lhe dou tanto ouvidos. Mas ele grita. Então chega de frivolidades por esta noite de pouca lua. Que venham logo as luas cheias e alvoroçadas. Durmamos, sonhemos. Amém! 

E se foi ontem foi dia de se praticar o abracionismo, dia bom que só, lê essa belezura:

6/6

Abraço é quando
Há braços se entrelaçando
Dois corpos num mesmo lugar
Sintonia, se entonando


Contesto o contexto
Da distância, entre tu e eu,
Faço construção de texto
Já que não moro,
Nem namoro
O abraço teu


Dia do abraço
Via do Eu te amasso
Mas já que não moro
Nem namoro o teu carinho
Nostalgia, no Hoje, eu faço...


Dia seis não se repete,
Mês seis divorciou
Só é eterno quando é terno
Teu abraço eternizou

14 comentários:

  1. Milene, eu ri do "texto chatão" entre parênteses. Não teve nada de chato. Aliás, esse boato até serviu pra alguma coisa: para vermos como o governo conseguiu criar uma nação de zumbis dependentes e que votarão eternamente no PT.

    Eu também vi a Sheron sem maquiagem! Que desgraça! O que essas mulheres não fazem pra dar uma tapeada.

    Adorei o poema em homenagem ao dia do abraço. Um abraço virtual pra vc. bjs

    Ah, o Neymar que se dane com seus milhões. Já que eu nunca terei mesmo, quero que se exploda. rs

    ResponderExcluir
  2. 100N, vc sabe do gosto q tenho em te ler, vc traz humor com suas crônicas, por isso, qdo comento, tento deixar aqui um pouco de humor, contudo, vou ser chato hj. Falamos do bolsa família. É sabido q a política do PSDB-DEM é o estado mínimo, ou seja, o capitalismo na sua forma cruel, cada um por si. Eu sempre viajo pelas beiradas do nordeste em minha férias, lá onde o sertão mais castiga o seu povo, onde a FOME tira qualquer esperança de sobrevivência. Portanto, dizer que o B.F, sustenta parasitas é abusar da minha inteligência (penso q a tenho). Um país q tem uma dívida com seu povo nesse mais de quinhentos anos, onde o sul e o sudeste se espanturriu com as benesses do estado, agora vem criticar o bolsa família. Um pais só se enriquece qdo a balança for equalitária. Critica-se a corrupção nos governos, a falta de fiscalização dos órgãos regulizadores, não as políticas sociais, asslm fica fácil, principalmente, àqueles q tem um prato de comida para dar aos seus filhos. Falei. Bjos, minha crônista favorita. Bom finde.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. onde se lê espanturriu, leia-se empanturrou

      Excluir
  3. Arrasou!
    Concordo 100% com tudo o que escrevestes, uma das melhores crônicas que já fizestes!
    Só uns comentários:
    Quero saber qual país se desenvolveu, baseado apenas em assistencialismo!
    Talvez os apaguinhos na tua cidade nem sejam culpa da prefeitura, mas do sistema de distribuição geral de energia!
    Espero que o ASA não faça a besteira de contratar aquele pipoqueiro de topete!
    O FB é uma forma de violarmos nossa própria privacidade!
    Bjs, Milene!

    ResponderExcluir
  4. não li o texto só porque estou na corrida, mas a poesia, uau!!!!!!!!!!! tudibom,rsrsrs bjs

    ResponderExcluir
  5. huahuahuahua rindo muito.

    Adorei a campanha que propuseste, vou aderir.

    E quanto aos magros chatos, que me deixem comer em paz.

    Oremos!

    bjos,

    http://borderline-girl.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Sua escrita criativa é maravilhosa, parabéns pelo seu dom e sabedoria.

    ag

    ResponderExcluir
  7. Oi Mi

    Saudaaaaadesssss

    Adorei! Não é nem chatinho seu texto, quanto mais chatão.

    A campanha proposta é genial, adorei e vou divulgar. Quem sabe depois dela as pessoas aprendam a se preocupar mais com as suas vidas do que com a dos outros.

    Beijão

    ResponderExcluir
  8. Olá querida amiga chatão nada, essa é a realidade nua e rua da nossa terra tupiniquim. Texto para reflexão sobre as loucuras dessa terra. Como sempre agradável de ler.

    PS: Que belo poema!

    forte abraço e saudações alvinegras.

    c@urosa

    ResponderExcluir
  9. Hahahahahaha se esse é o texto chatão... Imagina os legalzões!
    Você é um barato MíLi!
    Escrevinhadeira de conto, crônica e poesia de primêra sô!

    Um beijão e tenha uma linda semana!

    ResponderExcluir
  10. O assistencialismo é válido em caráter emergencial, com prazos e metas para a emancipação e resgate social dos assistidos. De outro modo é demagogia da pior espécie.
    Beijos, menina,

    ResponderExcluir
  11. Milene, sobre cada coisa que falou eu tive vontade de desenvolver um enooooooorme texto (kkkkkkkk). Eita menina que nada perde e ainda me faz rir. Suas palavras novas merecem destaque, assim como os casamentos, o bolsa família, os comentários no face. Seu texto nada tem de chato. É limpo, verdadeiro e sem maquiagem. E ainda nos brindou com esses versos lindos. Embora com atraso, sinta-se abraçada. Grande beijo!

    ResponderExcluir
  12. E vc ainda disse que o texto é chatão né?! uahuahauhauahau
    Louca!

    Eu gostei da filosofia para homofóbicos! Parabéns!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Texto teu chato? Ah, tá, né?
    Viu? Pelo dia do abraço: Um Upa pá tu!!!

    Bejuuuuuuuuuuuuus

    ResponderExcluir