sexta-feira, 7 de junho de 2013

PALAVRAS DE PADARIA



Amores indigestos
palavras de padaria
também poemam poesia


       e matam a fome dos homens
       dos tolos desmiolados


sedentos, desesperados
por um pedaço de sonho
por um retraço de carne

        amores desinventados
        secretos, esmiuçados


quem nunca os mastigou
que atire o primeiro verso
que beba um gole de choro



e arrote o último verbo
da sua vã existência


       não mentir amor é demência


15 comentários:

  1. Sommente aos poetas é permitido mentir um amor. Invés de tomarmos um copo de choro, como diria Manuel Bandeira, tomamos alegria, afinal, hj é sexta. Bjos.

    ResponderExcluir
  2. Só uma bela poetisa para transitar com propriedade nesta exuberante composição poética. Que os primeiros raios de sol tragam brilhos de alegria ao teu olhar.
    Que o seu dia seja cheinho de paz, amor e boas energias.
    Beijos
    Gracita

    ResponderExcluir
  3. "Ora veja… é o que sempre acontece às pessoas românticas: enfeitam uma criatura, até o último momento, com penas de pavão, e não querem ver, nela, senão o que é bom, muito embora sentindo tudo ao contrário. Jamais querem, antecipadamente, dar às coisas o seu devido nome. Essa simples idéia lhes parece insuportável. A verdade, repelem-na com todas as forças até o momento em que aquela pessoa, engalamada por elas próprias, lhes mete um murro na cara.”

    Dostoiévski


    beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi Mi_amada,

    Quem vai atirar o primeiro verso?
    - Hummmmmmm! Isso sim seria fingimento.

    Óptimo F.D.S.

    Beeeijo e kandandos a atravessar tanto mar.

    ResponderExcluir
  5. Estou ainda atinando e tentando entender o poema nos seus pormenores. Tico e Teco estão lentos hoje, desculpe-me.

    Agora você, dona moça, devia aparecer no meu blog quando me atrevo a escrever um conto ou um texto... Claro que não tenho seu dom, mas tenho que confessar que muitas vezes quando publico fico pensando? O que a Milene acharia? hehehehehe

    Beijos e bom fim de semana.

    borderline-girl.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Acho que tô quiném o moço acima...mas concordo com a última frase. Somos toooodos dementes!
    Beijuuss

    ResponderExcluir
  7. Adorei essas palavras e o pão enfeitadinho! beijos,chica

    ResponderExcluir
  8. Todos somos sedentos de um pedaço de sonho e não existe alguém que não tenha provado desse gole de choro. Você foi sublime! Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Milene poetiza!

    Que gostoso esse poema!

    ResponderExcluir
  10. Acho que todo mundo já provou e ainda irá provar goles de choro. Enfim, que lindo seu poema, Milene! Lindo mesmo. Beijão e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  11. Uma poetisa que poetiza muito bem.

    Na sua literatura de padaria, já te disse, sou manteiga derretida.

    Continue me iluminando daí, que daqui me faço teu sol, mesmo sendo sozinho. Solzinho?

    ResponderExcluir
  12. Com o suor de teus labores
    Com as lágrimas de tuas dores
    Com o sangue de teus amores
    Farás a massa do teu pão
    E haverá quem diga então
    Que o diabo o amassou
    E no inferno o cozinhou.


    Profundo, Miminha. E pungente.
    eijos.

    ResponderExcluir
  13. Retribuindo sua visita la no cantinho..
    Adoro poemas. e esse está mto lindo...
    Tenho até hoje desde a época da escola um cadernos recheado de versos, poemas, adoro..

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Esta é a página do Facebook do meu novo livro de poesia "Em Teus Olhos Seria Vida".
    Gostava de poder contar com o teu "gosto" na minha página.
    Obrigado!

    www.facebook.com/EmTeusOlhosSeriaVida

    ou em:

    poesiafaclube.com/store/josé-manuel-pereira-"em-teus-olhos-seria-vida"

    =)

    ResponderExcluir

  15. Adorei, Milene.
    Bem criativo e original.

    Bjokas.

    ResponderExcluir