domingo, 11 de agosto de 2013

O NAMORADOR DE SONHOS

Maria Clara ontem disse: “vai postar pro Vô amanhã? Todo ano você posta e a titia chora, e a mãinha chora”... Eu não estava na “vibe” de postar nada, como diria a carioquice da minha amiga Simone, de quem ando com saudade de palavrear, porque “meu bem, saudade é pra quem tem”, diz assim a canção.

Pois então, estava a espiar os dizeres de amor paterno alheio, uns tão bonitos, outros mais que tão bonitos. De pais alheios que eu conheci, outros eu adoraria ter conhecido... E quando me vem o Itallo, aquele meu amigo de quem tanto digo e me fala assim no inbox do Facebook: “Feliz dia dos pais pro seu pai, que tá forrozando com Dominguinhos e Gonzaga lá no céu, aquela música que lembra o filho Anselmo”...

Poxa! É assim que se desmantela o coração semiforte de uma pessoa, pessoas! Emudeci por uns instantes e as lágrimas vieram sem que eu as convidasse. Por que quase nunca choro pelo meu pai. Na maioria das vezes sorrio lembrando das engraçadices dele, até quando estava de mau humor. Aqui dentro mora uma saudade alegre que só, mas é saudade do mesmo jeito. É vontade de saber como ele estaria vendo esse bocado de menino correndo dentro de casa, em gritos eufóricos de inocência, atrapalhando a novela ou o jornal das oito horas. Sorriria, certamente.

Essa história do Anselmo, na canção do Gonzaga, eu contei pro Itallo faz um tempo e não imaginei que ele ainda lembraria. No último São João que ele passou com a gente, sentado à beira da fogueira na calçada de casa, quando Gonzaga cantava a sua “Karolina com K”,  toda vez que ouvia a palavra Ansermo meu pai sorria e espiava pro Anselmo dele, que estava ali à sua frente. Eram muitas as limitações físicas e emocionais impostas pelo implacável AVC que lhe sugava aos pouquinhos a vida e vê-lo sorrindo tão genuinamente é um retrato que eu jamais apaguei da memória.

O meu choro breve e intenso de hoje foi especialmente por ter o meu pai retratado de forma tão bonita e poética aos olhos e coração de quem não o conheceu a não ser pelas histórias que eu conto. Isso dele ter sido tão querido e ainda hoje instigar admiração em quem não conviveu com ele me entorpece de orgulho.  Certamente ele e o Itallo teriam conversas incríveis na calçada lá de casa, enquanto rolava um som qualquer que não fosse “ia-ia-ia-iô-iô-iô Salvador” e a fumaça do seu cigarro se espalhasse pelos ares da Mooca.


Meu pai, sujeito imperfeito. Sujeito valente que só! Namorador dos sonhos. Uma espécie de poeta sem único verso, a não ser a própria vida que foi uma poesia, oras densa, oras cheia de lirismo e verso involuntário. Um homem que dos tantos netos, quatro carregam o seu nome, só pode ter sido pra além de bacana, né não?A sensação que sinto ao me lembrar dele nesse instante, é de que os meus amigos que não o conheceram, se tivessem oportunidade de meia prosa com ele, diriam: “ seu pai é massa, Milene!”

Cuide bem do pai que é seu... Um beijo!


17 comentários:

  1. Que lindo, Mi...

    Bjos!

    borderline-girl.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Só vc mesmo para me deixar aqui com vontade de lacrimejar. Sim, Muier, seu pai é massa, e daquelas massas que daria para construir um momente de gente boa. Bjos.

    ResponderExcluir
  3. Consegui sentir todas as suas lágrimas minha amiga! Seu pai é massa, e alegria e pensamento, memória! Muita paz, abração

    ResponderExcluir
  4. Lindo demais,Milene!Adorei! beijos,chica

    ResponderExcluir
  5. Moça... tu é massa! Tô pra ver um poema de amor mais bonito do que esse seu. E a titia chora, e a mãinha chora, e tu espalha cisco no olho de quem te lê!

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  6. Italo conhece teu pai pelos teus olhos, os mais perfeitos que o poderiam descrever... surpresa de quê, moça querida?

    Agora, a mim sim vc consegue surpreender em momentos como este, que te leio embaçada pelo cisco que veio de Niterói cá pra meus olhos... lindeza de amor, de gente que ele foi e que vc é, Mi_nha hoje toda doce amiga querida!!

    Bjos,com açúcar e afeto!!

    ResponderExcluir
  7. Ela tava certa quando falou que eu choraria. Você fala de nosso pai exatamente como ele era, aí as lembranças me fazem chorar de tamanha é a saudade dele, mas tambem é grande a alegria de saber como ele era especial e é inesquecivel pra tantos e tantos amigos e principalmente pra nós filhos. Lamento pelos netos que não tiveram a oportunidade de conhece-lo, eles se apaixonariam por ele e ele pelos netos. Mas eu creio que irei reencontra-lo quando Jesus voltar, porque essa é uma das promessas de Deus.

    Gisele .

    ResponderExcluir
  8. Mi sode pensar ficar longe do meu pai já dá um nó na garganta então te enredo perfeitamente!
    Texto muito sentimental viu!
    Grande beijo pra vc!

    ResponderExcluir

  9. Mas que pai massa!

    É lindo esse seu sentir, Mi, tão fundo, tão carregado do que é bom: Amor, admiração!

    Ah, mas se ele não estava forrozando como o Ítalo disse, depois que te leu foi forrozar com certeza, pra comemorar a filha massa que tem!

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Que delícia de postagem!
    Adorando o espaço
    ja sigo
    e te espero la no Espelhando e tambem no meu canto
    de poesia de hoje
    :http://reflexodalma.blogspot.com.br/
    Bjins

    ResponderExcluir
  11. Não tenho dúvidas...nenhuma sequer! Mas pra esse pai massa, diria assim: O Senhor sabe de uma coisa? Gerou e criou uma filha que é massa demaiiisss de conta sÔ! E eu amooooo de viver desde sempre!!!
    Beijuuss Mi_nina

    ResponderExcluir
  12. Escrevi e não sei o que sucedeu... Dizia assim: que se pudesse falar com ele hoje diria que gerou uma Mi_nina que é massa demaiiisss da conta sÔ! E que a gente ama, admira e se emociona a cada postagem.
    Beijuuss amaaaada minha

    ResponderExcluir

  13. Bacana, Milene.
    Uma homenagem emocionante, plena de poesia, amor e orgulho por este 'Namorador de Sonhos'.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  14. Belo homenagem amiga Milene, que saudade do meu pai!
    agradeço sempre a gentil visita.

    forte abraço e saudações alvinegras

    c@urosa

    ResponderExcluir
  15. Meu pai também já não está aqui no convívio com nosso mundo, mas permanece aqui, no convívio desse meu coração que bate sem parar.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  16. Emocionante homenagem, Milene. Meu pai também não está mais comigo e esse dia é muito triste pra mim. Aliás, todos são. Muitos dizem que a dor passa com o tempo, mas não é verdade. Só ameniza e olhe lá. Também fico imaginando as reações dele caso estivesse aqui. Lindo post. bjssss

    ResponderExcluir
  17. Pais que se foram permanecem em nossos corações. Que estejam mais felizes no outro mundo, rindo das brincadeiras de seus netos e bisnetos, com os quais não lhes foi permitido viver. Bjs.

    ResponderExcluir