domingo, 17 de novembro de 2013

OS POBRES MOÇOS E O BANHO FRIO


“Presos do mensalão farão três refeições por dia e tomarão banho frio”... Li tal notícia há uns instantes e senti um pesar imenso. Que vida difícil terão esses pobres (?) moços se alimentando com aquelas lavagens penitenciárias e batendo no couro com banhos geladões. Só que não, né?

Primeiro que banho frio não mata vivente nenhum. Segundo e não menos importante, se até os “reeducandos” mais comuns tem privilégios que nós aqui fora sequer desconfiamos, calcule o que esses moços, pobres moços mensaleiros, terão.

Eles também serão chamados de reeducandos, né? Aprenderão nos limites da prisão a compreenderem que não se pode querer para si o mundo inteiro. Que as leis atingem até os que se consideram acima dela. Que quando se passa a vida pregando contra a corrupção, isso implica em trabalhar contra ela e não na tentativa de conceituar a dita cuja como uma coisa ainda mais fétida e imensurável.

Por que eu, quando um dia tive ideologia, bati palma pra esses caras. E quando os ouvia numa entrevista qualquer, eu agradecia intimamente pela suas existências, porque assim nós, o povo, não estaríamos tão desamparados. E ingenuamente eu pensava que a democracia podia ser algo usado sim em benefício do bem comum e não como uma espécie de serra elétrica a derrubar tudo quando é madeira de lei a fim de guardar a madeira derrubada e rica, toda no próprio quintal.

E então esse bando de filho da puta concretizou o sonho de uma gente crédula feito eu e tratou logo de iniciar o desmatamento ideológico alheio. Era tanto dinheiro para malocar que eles escolheram os lugares mais bizarros. 

E se perderam na própria monstruosidade. Estão enjaulados não se sabe por quanto tempo, porque as leis brasileiras tem bom coração. Mas dá uma vontade de abraçar o Quincas, beijá-lo na face e agradecer por nos ter lavado um pouco a alma.

E se for assim, se a moda pega e tudo quando for corrupção tiver o mesmo tratamento, se não importarem as bandeiras, porque a lama é apartidária e definitivamente não é privilégio da flâmula vermelha e única estrela, quem sabe seja possível voltar a acreditar no jeito que se der a esse país.

Por aqui eu sigo tentando fazer o meu papel. Sou cidadã decente. Seguirei tentando dar ao meu voto o destino menos infeliz possível, mas meu grito é mudo. Meu braço já não tem mais força pra erguer bandeira nenhuma a não ser a da decência, que anda em desuso nos campos da democracia. Eu não tenho partido. Eu desacredito nos regimes políticos. Por que por trás de tudo isso está o homem, sua ambição e vaidade, que se sobrepõe sempre a quaisquer interesses populares.

E para os picos de pressão do genuinamente mensaleiro, o cara de pau que se diz preso político, receita melhor não há do que uma madrugada fria numa fila do SUS, pra quando chegar de manhã nem conseguir ficha pra ser atendido. 

Foi há muito tempo, mataram minha ideologia e ela vem sendo minuciosamente esquartejada.




14 comentários:

  1. Oi, Milene!
    Tão contundente seu texto, mas ao final da leitura chego como você... um pouquinho menos de lama nesse momento, mas totalmente desacreditada de justiça na política do nosso país.
    Infelizmente sabemos que para ato de justiça haverá centenas de injustiças sendo cometidas todos os dias. Não que eu ache que não vale a pena, sempre vale, mas muito pouco perto do que precisa ser reformulado: o conceito interno de respeito e cidadania de cada um.
    A justiça pode fazer seu papel, mas a transformação acontece de dentro para fora, e sinceramente, não acredito que esses moços estão dispostos a se transformam, seja na prisão ou não.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. Desde o dia 15 estou aqui "morrendo de pena" dessa cambada... Pobres injustiçados. Nem falarei mais nada. Melhor!!! beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Nunca um texto expressou os meus sentimentos como esse, Mi. Uma pergunta, Por que o regime tem que semi-aberto e não totalmente fechado? Bjos.

    ResponderExcluir
  4. É um bom sinal Srta, e o povo precisa continuar acordando, e reivindicando a cada dias mais os seus direitos! abraços

    ResponderExcluir
  5. [não me iludo. sei que artimanhas serão
    exercidas para tirar a corja de lá. mas
    saber que estão presos, não tem preço!]


    bela cronica.

    beij0

    ResponderExcluir
  6. Biometricamente recadastrado, escolherei a dedo meus próximos candidatos (por inclusão digital). Estes aí abusaram dos ofurôs institucionais. Caco de telha e água fria tá bom pra eles. Sinto-me com a alma lavada - em água morna. Salve o Quincas. Viva a Milene!

    ResponderExcluir
  7. Depois de ler tudo isso só consigo pensar numa coisa! Eles vão TOMAR BAMHO FRIOOOOO hahahahahahaha

    ResponderExcluir
  8. Acredito que, como estamos no Brasil, os distintos "defensores da democracia" darão um jeito de fazer uma vaquinha com o dinheiro público que sobrou nas cuecas e comprarão um aquecedor de água!
    Banho frio, aí já é demais!
    O aquecedor também poderá ser presenteado por um ex-presidente que não tem nada com isso, e nem viu nada...
    Minha ideologia continua sendo BOTAFOGO!
    Apesar de tudo!
    Bjs, Milene!

    ResponderExcluir
  9. A água que lava um pouco da nossa alma, é morna... não me arrisco a pensar que houve uma virada nessa história, tb a minha ideologia esvaiu-se pelo ralo da fé em justiça - pq dessa corja, que nunca teve meu voto, nunca esperei nada!!
    Tua indignação torna transparente a alma de muitos brasileiros!!!
    Bjos, Mi_nha moça querida!!

    ResponderExcluir
  10. Mas tu é desalmada mesmo, não tem nenhum tiquinho de pena dos pobres moços?

    Não sei até quando isso vai durar, mas que foi um duro golpe nesses marginais, foi. A chicotada doeu mais ainda, porque foi proferida por um negro de ilibada conduta, de coragem e cara limpa.
    Há outros tantos que merecem o mesmo tratamento. Oxalá isso sirva de exemplo e que as coisas possam melhorar. Precisamos acreditar sempre.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Milene,
    A construção duma sociedade, em termos de participação cívica, tem levado tanta paulada que quase parece um mau conto de fadas.
    Excelente texto!

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  12. Brilhante texto, Milene! Disse tudo e mais um pouco. E nada melhor do que chamar de filho da puta mesmo! Nojo dessa corja e de todos os outros que ainda estão soltos mas que tb terão benefícios como esses já tiveram. Tadinho, o Genoíno tá com pressão alta. Ora, vá pro inferno! País podre e justiça triste. Não acredito que ficarão mt tempo presos, aliás, quem inventou o semiaberto merecia ir pra cadeia em regime fechado. Bjs

    ResponderExcluir
  13. Não creio que essa punição os impedirá de se sentirem vitoriosos. Bem que gostaria de vê-los tratados como presos comuns, mas já começaram a surgir os grandes empregos para facilitar suas vidas. Bjs.

    ResponderExcluir
  14. Gostei muito de seu ponto de vista, e estou de acordo. Como anarquista, não acredito em democracia, eleições, sufrágios, políticos e toda esta turma... Fraterno Abraço, Marco Rocca.

    ResponderExcluir