quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Mas, heim?

Eis-me aqui, outra vez fera, neném! Serei uma cientista social mais arretada do que o FHC e debaterei as mazelas sociais, as vadias, os rolês e os porquês. A sociedade não será a mesma depois das minhas leituras sobre o seu comportamento, oxente!

Estou contente. Sim, é um curso à distância porque essa coisa de curso muito presente me dá comichão de ausência. Ainda assim eu careço de coragem para não desperdiçar mais essa chance de crescimento e, aos que torcem o nariz para essa modalidade de estudo, eu digo que só lamento e pouco me interesso pelo seu pensamento desacompanhado de percepção. O fato é que serei aluna da Universidade Federal de Alagoas no curso de Ciências Sociais, que massa!

Talvez, porém, eu não estivesse nesse contentamento todo se não fosse a alegria desembestada de um monte de gente bacana que me cerca, de perto e de longe. Há coisa mais bonita do que alguém genuinamente se alegrar com a gente? Comentários e curtidas e tudo, aos montes. Gente boa que me quer bem. Gente boa que não perde a viagem e diz “dessa vez vê se não desiste”... Oxe, sou eu lá de desistir? Não, não respondam, por favor. Gente boa orgulhosa de mim, os exagerados de Lima, os exagerados de todo sobrenome. “Você é meu orgulho! Eu te amo do tamanho do meu cabelo”... é um grande e bonito amor, então. “Vou na sua casa raspar a sua sobrancelha”, reparem na ameaça! Eu respondi que optei por fazer um moicano, que essa coisa de raspar sobrancelha é discreta demais para a minha pessoa exuberante. “Será que agora teremos uma revolucionária?”... Oxente, mas eu sempre fui revolucionária de cara pintada e peixeira em punho.

Meu irmão Geovane, que da família é quem mais me lê aqui no blog, até se iniciou como comentarista na postagem anterior pra me dar os parabéns. Por isso que quando a preguiça e a desmotivação tomam conta do meu ser e eu me sinto abandonando o meu Inquietude, penso no quanto ele gosta daqui e venho, e picho um muro virtual de alguém, e comento uma sandice qualquer, rabisco uns versos malfeitos, e canto nem que seja um “cara, caramba, cara, caraô”, mas sempre hei de vir.

Era pra não estragar essa postagem fofa falando desagradabilidades (palavrão da gota!), mas não há como calar diante dos lidos e ouvidos a respeito do novo estádio inaugurado pela tia Dilma e seu salto alto. Caraca, mané! São QUATROCENTOS E TREZE MILHÕES DE REAIS num estádio de futebol que receberá QUATRO jogos da copa do mundo, tendo seleções de grande tradição no futebol, como Grécia, Japão, EUA, Gana... Que pouxa! E depois? Que espécie de retorno essa droga de investimento trará pro povo potiguar? Tolinha, Milene, isso lá é pergunta que se faça?

Retornemos às fofurices. É momento de mandar um bilhete de saudades ao Rodolfo Barcellos: Falta-me o seu abraço em forma de rimas. Falta o seu bom humor e sapequice incomparáveis por essas esquinas. Encurte esse recesso e volte, novinho em versos. Combinado?

Às gentes de bem, de perto e de longe, um abraço forte de gratidão pelas boas vibrações. 

E  sociedade, só um aviso: Se prepare que eu vou li estudá!`


9 comentários:

  1. Oi Mi, sou eu, Dorinha Barcellos. Farei chegar ao Rodolfo as suas '' reclamações''. Tenho a certeza que ele ficara exultante ao saber de sua nova conquista. Va em frente minha amiga, e arrebenta. Só vc. para conseguir um comentario meu. Não sei postar em blogs, só como desconhecida... bjs e abraços

    ResponderExcluir
  2. Ri muito agora!
    Parabéns, fera Milene... estou confiante que dessa vez não desistirás.
    Serás uma revolucionária sim da sua força, dos seus objetivos.
    E o que é o limite pra vc? Nem consigo imaginá-lo tampouco alcançá-lo por estar tãoo distante do que tens pra viver nesse mundão de meu Deus.
    Beijoss minha querida. <3

    ResponderExcluir
  3. Poxa, você é realmente um orgulho pra todos nós. Não é à toa que desde sempre escuto alguém dizer: vou à casa da Milene pra ela fazer a capa do meu trabalho(sempre teve uma letra linda); vou à casa da Milene pegar um livro pra fazer uma pesquisa(sempre encontrávamos algo que nos ajudasse); vou à casa da Milene chorar no ombro dela(sempre tinha uma palavra amiga pra nos consolar).
    Hoje, muita coisa mudou, mas você continua uma referência pra todos nós, de antes, e pra mais um montão de gente que toda hora ouvimos dizer: vou à casa da Memen ou da tia Memen,fazer isso, aquilo, aquilo outro, mas sempre lhe buscando, pois sabemos que sempre a encontraremos.
    Bjssss

    ResponderExcluir
  4. Mi!!!
    Parabéns, queridona universitária!!!
    Sucesso nessa nova empreitada!!
    E sobre as "desagradabilidades", nem vou comentar...

    Bejão!

    ResponderExcluir
  5. Vc sabe o que é ter um orgulho imenso de alguém, pois é exatamente o que sinto por ti. Cada conquista sua é uma alegria imensa pra todos nós que te amamos. É como a Cihda falou, não há limites pra vc, e isso é invejável, uma inveja boa é claro de quem como eu não tem a metade da sua garra. Parabéns por mais essa de tantas que estão por vir. Te Amo do tamanho do meu orgulho e admiração por ti.

    Gisele.

    ResponderExcluir
  6. Sim, vi o resultado no Face e também achei massa! Adoooro estudar à distância, para os desavisados dá muito mais trabalho que o presencial e aprendemos demais construindo conhecimento!
    "Eu te amo do tamanho do meu cabelo" foi demais, hahaha!
    Bom demais receber carinho e apoio dos queridos, né? Esquece a copa, hahaha, para não estragar o humor!
    Se precisar de alguma ajuda com a monografia estou à disposição! :D
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Parabens, Mi! Voce e' 1000N, mesmo, como diz nosso amigo.
    Breve retornarei aas atividades blogais. Por enquanto estou limitado a ler as obras-primas da minha bela futura doutora. Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Já parabenizei que chega rs! Bom demais ver o Bruxo por aqui. Estuda e escreva, escreva e estude...pois não dispenso mesmo suas crônicas.
    Beijuuss minha Mi_nina

    ResponderExcluir
  9. Parabéns, Milene!!!!!!!!!!!!!!!! Tu merece e muito. Será uma das melhores alunas, isso é óbvio. E sobre isso dos estádios, bem, cadê novidade? Até nossas indignações já são repetições e nada muda. Triste. bjssss

    ResponderExcluir