domingo, 4 de maio de 2014

DOMINGO DO LADO DE DENTRO


Domingo chuvoso. Chuvinha mansa. Vejo pela janela o acinzentado do dia, porque coragem não tive ainda para espiá-lo mais de perto. Na TV o Tom Zé dança funk com a Valeska Popozuda. Há quem se choque. Eu acho engraçado. Há uma infinidade de coisas mais importantes e preocupantes no mundo, do que o Tom Zé dando uma banana pra seriedade e beijinho no ombro pro recalque passar longe.

Ah, as bananas. O que se há pra falar delas, a não ser que dá uma deliciosa vitamina? Do doce eu não gosto muito não, prefiro, feito de frutas, o do mamão. O moço, Daniel Alves, agiu sem imaginar que essa coisa de comer banana lançada pelo cretino fosse dar tanta fervura. E fervura logo passa, é sabido. Daniel Alves comeu a banana, fez o seu trabalho dentro de campo e depois foi pra sua casa provavelmente luxuosa, enquanto o espanhol racista foi de encontro ao desemprego. Pois é! Em entrevista gravada antes do acontecido, disse o jogador que já está acostumado com esse tipo de manifestação dentro dos estádios e que o problema mesmo é fora dele, é o cotidiano, onde há ainda uma parcela considerável de gente pelo mundo a fora que faz prática do racismo com uma desfaçatez absurda. Ganhou meu respeito o Dani Alves e suas roupas espalhafatosas. Não sucumbiu à necessidade de ganho, em promoção ou dinheiro, desse fato que é recorrente principalmente fora dos holofotes.

E o burburinho ainda rende, cada um se envolvendo como é da sua natureza. Criou-se a rastégui.  Vendeu-se camisetas com dizeres emocionados e caros. Compartilhou-se e opinou-se vorazmente. Os religiosos rechaçaram o parentesco fervorosamente assumido à sua revelia. Os ateus se valeram da ciência e do deboche. A sociedade fingiu debater. Por que a sociedade não se acha racista, ela até considera alguns negros bonitos. E se admira quando alguns deles se destaca numa profissão que a princípio não se esperaria ser ocupada por um negro. A princípio de quem? Li algo por esses dias que dizia mais ou menos assim: “abaixem suas placas e levantem suas atitudes”...

Falemos de assuntos amenos e puros. O amor e as crianças. O Miguel, ele, o meu amorzinho. Pois não é que chegou, já se completam dez dias, a sua irmãzinha? Se chama Lorenna, um belesquinho de gente que não vê graça em dormir à noite. Bem minha sobrinha, madrugadeira que só. Minha irmã ainda não conseguiu fotografá-los juntos, pois o risco do Miguel achar que ela é um brinquedo e querer sacudi-la é iminente. Por hora segue uma foto ajuntada dos dois, que deram àquele lar um aroma de amor e vida nunca antes sentida. Hei de botafoguear também a Lorenna, esperem e confiem. E eles, ela e Miguel, hão de saber que toda gente, embora diferente, é uma coisa só.

Enquanto eu e você conversávamos, o céu se fez azulzinho, num arremedo de claridade, mas tudo é cinza outra vez. Quase chove lá fora. Em mim, tudo é incerto. Desistir dói, mas é preciso.


Um abraço.


9 comentários:

  1. Oi amiga!
    Puxa, vc fez um emaranhado de idéias e assuntos que se juntaram em mais uma bela crônica. Dessas crônicas que só vc sabe fazer!
    Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Milene, nesta semana se falou mais de bananas e macacos do que de qualquer outra coisa...
    Muita gente aproveitou para pegar uma carona na banana do Daniel, até seu esperto coleguinha Neymar...
    Difícil mesmo é haver realmente mudança nas atitudes, (principalmente as veladas) em relação a este assunto!
    Tem coisas que estão entranhadas na pele!
    Bjs, My!

    ResponderExcluir
  3. Milene,

    Não vai demorar muito (parece que sim ... ) e Lorenna já vai estar no ritmo da casa, dormirá uma noite praticamente inteira. Parabens a ela e ao irmaozinho!

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Milene,
    Não tenho dúvida em afirmar que você é uma cronista de mão cheia.
    Por onde andam os jornais que ainda não descobriram seu talento?
    Amei !!

    ResponderExcluir
  5. Que delícia de texto! As recalcadas piram! Saudades desse blog...

    ResponderExcluir
  6. Que piruinha mais lindia de viverrrr! Irmã de Miguel? Puxa o povo aí trabalha rápido messsmo hein?! Também tem presente melhor nessa vida que a chegada de uma NOVA VIDA? Eu acho que não. Já ri de seu comentário...e fez-me bem. Apesar de achar um absurdo fictício vc mãe de seu cunhado. Eu hein?! Mas de absurdos o mundo está lotado, haja vista a persistência de todos os preconceitos em pleno século XXI! Eu hein?!
    Beijuuss Tia Mi

    ResponderExcluir
  7. O Daniel tb ganhou meu respeito, Milene. Mas a palhaçada que virou aquilo na internet com "somos todos macacos" não. Que bobagem aquilo. Nem ele achou bom. E fora os aproveitadores que agarraram a chance pra ganhar uma grana.

    Inveja do seu domingo chuvoso. E Que foto mais linda! o retrato da inocência. Dá vontade de apertar, não nego. bjs

    ResponderExcluir
  8. Que notícia boa que acabei de ler, a chegada de mais um ser maravilhoso a esse mundão tão conturbado. Pena que essas notícias e tantas outras maravilhosas, não dão ibope.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  9. Gostei da atitude do Daniel, mas não da campanha criada por terceiros: não somos todos macacos, somos todos humanos. Li em algum texto algo do tipo: "metade dessas pessoas que postam hashtag da campanha e apoiam-na são os mesmos que fecham o vidro do carro quando alguém de aparência duvidosa aparece" e assino embaixo, o povo fala muito, mas não muda nada.

    http://www.novaperspectiva.com/

    ResponderExcluir