domingo, 1 de março de 2015

A HORA É CERTA


As primeiras letras do mês de março, que chegou sem chuva ao menos por enquanto, ao menos por aqui. Que de chuva se está precisando e muito. E de esperança também, num verde viçoso, bonito de se ver... que o que se espera um dia há de se ver? Eu espero.

Tenho feito isso, esperado, depois desesperado um pouco, mas nunca cumprindo a verdadeira missão da palavra. Desespero é coisa que eu não gosto de praticar. Melodramatizar, talvez um pouco, cada um tem o direito de ser aquilo que lhe convém em determinado instante ou situação.

Resignada, escuto e assimilo as palavras de clichê e afeto de quem me é puro amor sobre a tão falada e desejada hora certa, que acontece quando realmente for para acontecer, no tempo de Deus e todos os carinhosos eteceteras. Embora compreenda, me permito um choro íntimo e silencioso, que se cumpre breve, antes que eu outra vez esteja aqui, ou acolá, esperando o que for pra ser vigorar.

Enquanto isso o tempo que não espera, não para. Se vai sem mim e eu receio não saber por quanto tempo ainda terei forças para correr e acompanhar os seus passos, que não são ligeiros ou demorados, são apenas os passos do tempo. Assim como o choro, é um receio silencioso e breve, que eu canto, assobio, espanto. Eu permito que fique, mas nem tanto.


9 comentários:

  1. Mi, "deixe estar que o que for pra ser vigora", com muitos eteceteras e tais, mas sim, no momento que tudo estiver pronto, enquanto isso teu pranto íntimo consola a espera embalando teu sonho no mais bonito e brilhante papel de presente... eu creio, vc crê?
    Meu abraço solidário e carinhoso moça querida!!!

    ResponderExcluir
  2. MilenA....
    Tem certas zóras que as zóras se acerta... tejê certa.

    Bejo de teu fã-tasma e DeussssssssssssssssssssssssssssKiajude

    ResponderExcluir
  3. O tempo e as horas passam mesmo e tomara tenhamos capacidade de sempre aproveitá-los do melhor modo! Não desanimar! bjs, feliz março! chica

    ResponderExcluir
  4. Mês de Março que chegou mais frio que o anterior e com muita humidade.
    Não estou a gostar.
    Boa semana

    ResponderExcluir
  5. A hora certa é uma chuva de acasos que não consigo acordar. Abração

    ResponderExcluir
  6. A hora certa é essa... se não for vamos fazer a hora, "que esperar não é saber..." Por pura intuição, joguei minha âncora nesta baía. E gostei das águas tranquilas...

    ResponderExcluir
  7. Começou bem o mês com essa bonita postagem, Milene, em especial o último parágrafo. E estamos precisando de chuva mesmo. Aliás, amo chuva. bjs

    ResponderExcluir
  8. Milene, esperas por vezes são dolorosas, e ao mesmo tempo, necessárias. Atropelar o tempo pode ser uma atitude arriscada e fazê-lo afugentá-lo de vez. Esperas com confiança são mais suaves... mas domar os sentimentos de forma que compreendam isso, nem sempre é possível.
    Que venha a chuva e toda a realização que está aguardando. Abração!

    ResponderExcluir
  9. Ah, Milene, quem assim fala já viu muita seca, muita promessa, e cada dia é mais igual que o outro...
    (Tem um jeito muito especial de dizer as coisas, sabia?)

    Um beijo :)

    ResponderExcluir